Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Não sei se é possível dar muito mais!

Não sei se é possível dar muito mais, porque certamente que acabarei a explodir, mas não me imagino de outra forma, não quero os meus dias diferentes, eles terão e deverão ser sempre assim, tão intensos quanto o sou eu mesma. Só me mantenho se tiver a capacidade de me superar, de acabar exausta e com a sensação de que poderia ter feito bem mais, dito mais ainda, e amado por dois, três, por todos aqueles que ainda se refugiam na incapacidade de sentirem a única coisa que realmente faz sentido.

Por vezes tenho a veleidade de achar que poderei receber dos outros e de ti, tanto quanto posso dar, mas acordo depressa e percebo que como eu, só eu mesma e que se me estiver destinado, acabarei a receber quem consiga encher-me os dias de sol, palavras, cuidado e tempo. Se eu encontrar quem saiba caminhar ao meu lado, rindo das mesmas coisas, esperando sem desesperar, acordando feliz por me ter e adormecendo tranquilo por saber que estarei aqui amanhã, eu deixarei apenas de querer mais e passare…
Mensagens recentes

Estava a ouvir-te, mas decidi escolher-me!

Estava a ouvir-te e foi impossível disfarçar que mexes realmente comigo e que afinal conheço bem cada trejeito teu. A forma como mexes no queixo que já beijei tantas vezes, o sorriso malandro quando não aceitas o que a outra pessoa te diz, as mãos, grandes, nas quais as minhas tantas vezes se aninharam, e que se movem seguras, desenhando os teus desejos e provando a tua segurança... Estava a ouvir-te e percebi que não tenho como conseguir que passes despercebido, foste demasiado presente na minha vida e estás de pedra e cal em cada minuto dos meus dias.

Mantive-me atenta a tudo o que falaste sobre ti, o modo como contaste cada percurso que tão bem conheço. Fui largando sorrisos de confirmação, mas mantive-me atrás, apagada e algo triste, por perceber, naqueles minutos que pareceram horas, que será assim que me manterei na tua vida, um passo atrás e na sombra para que possas brilhar. Estava a ouvir-te, mas levantei-me, ri com vontade e decidi que se não for eu a gostar mesmo de mim, o …

Vou ser forte, intensa e apaixonada!

Vou ser forte, intensa e apaixonada, hoje apetece-me.  Prepara-te, agarra-te bem à cadeira, porque vou querer que saibas de que forma te sinto e quero!

O que eu julgava ser difícil pôr por palavras, sobretudo quando falamos de viva voz, porque aí gaguejo e embrulho-me toda no teu olhar, a escrever é o que já sabes, palavras e mais palavras a uma velocidade 10 vezes superior ao teu pensamento.
Já sei ao que sabes, como me consegues deixar pronta, quente, a escorrer de mim e de ti tudo o que me dás. O teu toque arrepia-me até as partes do corpo que me esquecera de sentir. As tuas mãos não precisam que as guie, vão a cada recanto, nunca se aquietam e parecem ter-me tido sempre. O que me sussurras deixa-me quase descontrolada e mordo os lábios para não gritar que preciso de ti em mim e que o teu peso me tira o ar, mas me recorda que é contigo que respiro agora. 
Falámos tanto sobre nós, usámos toda e cada palavra que nos definiria, que quando nos tocámos, quando os nossos corpos se juntar…

Eu aceito que estava errada!

Eu aceito que estava errada, mas deixo-me ir, porque me parece que é possível e que se parar de me segurar, chego onde é preciso. Eu aceito que estava errada, mas não me apetecia ser apenas eu, mesmo quando achava que conseguiria ficar quieta no meu canto, sem ter que me armar de nada, nem de me proteger e ainda te podendo incluir.

Os dias voltaram a ter mais sol, juntando-se ao que parece ter chegado para me aquecer por fora, porque dentro já estás tu e eu volto, devagarinho, a experimentar a sensação de ser desejada outra vez, de ter quem pensa em mim, quem me mostra estar do lado certo, mesmo que o não peça, porque não deverá ser preciso. O amor não se pede e as emoções apenas se partilham. A vontade de fazer bem ao outro, junta-se ao desejo de que nos façam igualmente bem e de que nos preencham os vazios, os que inevitavelmente se irão instalar. Queremos quem nos afaste os medos e nos dê a mão, segurando a vida dentro de uma outra que se começará a escrever.

Eu aceito que estava er…

Uma mulher ao contrário...

Ver uma mulher ao contrário. Sentir que ela carrega um peso bem superior ao seu. Perceber que já não está onde se sente, mas que apenas se deixa ir, é difícil de entender. O exercício pode ser feito de diversas maneiras, e as causas até deverão ser muitas, mas de cada vez que uma mulher fabrica sentimentos, arrastando-se para lugares que nunca foram seus, os efeitos secundários serão devastadores para todos à sua volta.

Uma mulher ao contrário não serve para porra alguma. Ela sabe fingir melhor do que ninguém, aprendeu com a mãe, sempre que lhe dizia para sorrir mesmo que dorida. Aprendeu com o pai a não mostrar demasiado de uma vez só, escondendo o que lhe pertence por direito. Aprendeu com o primeiro homem que supostamente a ensinou a amar, escondendo o prazer e a falta dele. Aprendeu com um mundo cruel, sempre que lhe gritaram que gritar era feio e sinal de fraqueza, até mesmo quando a dor a rasgava por dentro e por fora. Aprendeu consigo a ter as caras que cada cara lhe pedia, e a …

O Universo no seu melhor!

Pensei em ti ontem e, coincidência ou não, ligaste-me. O Universo tem mesmo formas interessantes de nos mostrar o óbvio, o que até poderia estar a entrar pelos olhos, mas que por uma razão ou por outra, falhamos ver!

Porque foi que não deu certo connosco afinal?

Serão talvez, momentos distintos na vida de cada um, a falta de sintonia, os medos de arriscar, eu sei que tive, porque mesmo tendo pedido um homem mais forte do que eu, tu eras demasiado, eras e continuas a ser, muito resolvido. Sabias exactamente o que esperar de uma mulher e eu não estava capaz de o ser.

O que mudou desde então?

UI, tanta coisa. Estou completamente irreconhecível, certamente que ficarás de queixo caído quando souberes de mim, do que tenho feito e o que estou disposta a fazer por uma relação que me complete.

Será que te adoçaste entretanto?

Tinhas um olhar muito cinzento sobre as mulheres, talvez por te terem magoado demasiado, ou talvez pela tua educação e visão do nosso mundo. És muito conservador nos compor…

Belas Adormecidas do século XXI!

Por vezes somos quase que réplicas fiéis da Bela Adormecida. Parecemos ter que esperar por quem nos venha acordar e já nem falo do beijo, mas da necessidade de ter quem diga meia dúzia de palavras com sentido, para que todas as outras se possam encaixar.

Minhas amigas, ninguém nos pode salvar de nós, a não sermos nós mesmas. Precisamos de saber como conduzir o carro, depois de nos terem ensinado a fazê-lo. De contrário as lições terão sido em vão, e olhem que não são baratas. Poderemos usar de elementos  mais tecnológicos, ou indo através da boca mesmo, o caminho a percorrer até se pode tornar mais longo, mas a acontecer, pelo menos teremos como aproveitar a paisagem.

As Belas Adormecidas do século XXI já não estão numa cama, lindas e maravilhosas. Elas agora são mais histéricas, desequilibradas, entupidas de xanax e de outras substâncias com letras igualmente fixáveis e mais rapidamente afastam o pobre do "príncipe", que na falta do cavalo deve ter um veículo bem potente pa…