Avançar para o conteúdo principal

Breathless!!

Sem ar, mas incrívelmente pronta por te ter perto!



Mesmo que o tempo passe e olha que passou e muito para ambos, o que fomos e mantivemos parece ter sido preservado e ao ouvir-te pronunciar o meu nome, com a mesma entoação de antes, sentindo como respiras a cada sílaba, como te sou familiar e que estamos ambos no aqui e agora da mesma forma, foi surpreendente.

Poderia ter passado todo o tempo, que pareceu pouco, apenas a olhar para os teus lábios que ao moverem-se me fizeram recordar tanto. Asseguro-te que já tive algumas bocas na minha, que experienciei beijos bons, que me fizeram levantar o pé direito, mas como tu, com o calor que me passaste, com o sabor que preservei e que mantiveste, só tu. Com a tua boca a minha sabe quem és, quem sempre foste, não duvidei, nunca, apenas temi que o não soubesses tu.

Deixaste-me sem ar, o meu corpo antecipou o que ainda não consumámos, há tempo, virá mais do que nos roubaste por seres um homem grande, mas de alma pequena. Eu sei o que te assusta e mesmo já tendo sido eu tão cuidadosa, com receio de permitir que um outro te tirasse de mim, agora não receio mais nada, não vou perder um segundo que seja, vou-te manter por perto e encher-te do que sei fazer melhor, vou usar as palavras que já deverias ter escutado há muito, porque se soubesses, se me soubesses, com toda a intensidade que sentirei eu, tal como todos os que amam, nunca me terias deixado.

Hoje, sem ar e cheia do que já entendo, hoje renasci e tu foste como te sonhei a cada noite, mesmo que por breves segundos, enquanto encaixava novas silhuetas desejosa de parar de sofrer, tu estiveste sempre lá, em todos os sonhos desde o dia em que acordada te vi e percebi!

Mensagens populares deste blogue

Quando já não importar!

Se eu passar mais do que 2 horas sem pensar em ti. Se não apareceres nos meus sonhos. Se deixar de te chamar à atenção pelo que me falhas dar. Se procurar programas que não te incluam, então é porque deixei de me importar e quando acontecer, já nada poderá colar as peças outra vez. Isto é o que chamo de sobrevivência emocional!

Quando entrei na tua vida, foi para ocupar o espaço que tinhas vazio. Foi para me acrescentar, dando-te até o que não te atreveste a pedir e é apenas assim que concebo uma relação. Quando entrei na tua vida foi para termos muito de nós para cada um. Uma relação deverá incluir-nos em todos os momentos, crescendo connosco, sobrando em prazer e em partilha. Numa relação ampliamos o desejo de nunca sairmos um do outro, criando um lugar e um espaço que será apenas e sempre nosso. Uma relação será incluirmos os que já faziam parte da nossa vida, os meus e os teus, aprendendo a misturá-los e usufruindo do que nos oferecem.

Se não te tive antes, se não comecei, lá atr…

Decidi!

Decidi escrever sobre nós e vou tentar fazê-lo sendo o mais fiel e genuína possível!

Não sei o que tens, ou talvez até o saiba, porque o que conseguimos foi sempre crescendo e melhorando. Não acontecemos logo no princípio, mas chegámos a uma velocidade estonteante, como nunca tinha sequer ouvido falar. Já não somos exactamente crianças e é por esse motivo que sempre acreditei que sabíamos o que queríamos e precisávamos um do outro. Pensava, mas pelos vistos de forma errada, porque nesta equação eu não sou a única parte importante.

Nunca me cruzou a ideia de que não tivesses aparecido no momento certo, porque encontrámos forma, eu e tu, de estabelecermos prioridades e de nos cuidarmos emocionalmente. Nunca, em momento algum, tive vontade de recuar e de me arrepender de ter embarcado na viagem mais louca da minha existência. Nunca senti que te deveria culpar por me teres procurado, porque me soube bem deixar de te fantasiar, tendo-te mesmo.

Dizias-me que sabias quem eu era e porque te d…

Qual é o nome que chamo?

Qual é o nome que chamo? O teu, sempre, e em primeiro lugar!

Chamo o teu nome porque me conforta e aproxima de ti. Chamo o teu nome para te acalmar e para te deixar a ferver, cheio de vontade de mim. Chamo o teu nome quando desespero, por não ser capaz de me explicar.

Chamar por ti, de cada vez que preciso que me entendas e que te foques, em mim, sabendo que te irás aproximar, ainda mais. Já há algum tempo que chamo por ti, e que procuro fazer o que sempre fiz, contigo por perto. Já há algum tempo que chamar por ti, me passa a sensação de realidade, e de certeza. Chamo por ti por todo o amor que tenho e pela saudade que se foi agigantando e que se recusa a sair.

Estou pronta, hoje bem mais do que ontem, para chamar o teu nome quando o meu corpo se enroscar no teu, quando sentir do que és feito e quando o meu prazer se misturar no teu. Estou pronta, como nunca estive antes, para deixar para trás o que eu era, quando era apenas eu, e para receber o que passaste a representar. Estou pronta