Quando eras tu...

outubro 29, 2016
Lembras-te de quando eras tu? Ainda consegues recordar como era quando eras tu e apenas tu, nos meus dias o dia todo?

City Chic Engagement Shoot in Denver:
Feelme/Quando eras tu... Tema: Relações!
Imagem retirada da internet


Quando eras tu, eu sabia o que fazer, o que esperar, de que forma me mover, eu sabia porque fazia sentido e porque não precisava de mais nada nem ninguém. Quando eras tu, eu fazia bem e da forma certa mesmo quando parecia errar. Quando eras tu, o que se acontecia à minha volta tinha a mesma cor, até quando se coloria de forma mais intensa.

Ter quem foi tanto. Ter quem passou comigo cada segundo de todas as horas. Ter quem acordou e adormeceu comigo, mesmo que lomge. Ter quem sonhámos, sonhando juntos e ansiando pelo toque que teria que chegar. Ter quem faria que tudo se encaixasse. Ter o amor, o desejo, o olhar e o toque que apenas conseguem os que se amam. Ter-te quando sabias que me tinhas.

Será que ainda te lembras dos começos, das corridas para cada um de nós, esperando que o dia não demorasse a passar, para que nos pudéssemos demorar um no outro? Será que ainda te lembras do som ansioso da minha voz de cada vez que ouvia a tua?

Quando eras tu, no presente que estávamos a conseguir reparar, vindos de um passado onde foramos tão pouco, mas querendo, desesperadamente, um futuro que construíssemos juntos, o que nos chegava era tudo o que nos fazia falta. Quando eras tu e apenas tu, nada do que eu julgava saber se encaixava, porque nos revolvíamos de forma quase louca, numa intensidade que parecíamos não ser capazes de suportar. Quando eras tu, eu sabia como te querer, de que forma esperar que me tocasses, onde e como te olhar, beijar e sentir. Quando eras tu, metade de mim vivia para te manter e a outra metade temia que deixasses de o ser.

Eu ainda me lembro e mesmo que agora sorria por te recordar, não consigo deixar de sentir que foste mesmo tu, pelo tempo que me permitiste. Eu ainda me lembro e não vou querer que me saia da pele o que implantaste, porque durante o nosso tempo eu fui MESMO, a mulher que quero ser. Fui o que certamente saberei repetir, até quando deixares de ser apenas tu...
Enviar um comentário

Pensamentos!

Com tecnologia do Blogger.