17.12.16

Hoje!

momento preciso!:
Feelme/Hoje!Tema:Me!
Imagem retirada da internet

Hoje tem sido daqueles dias em que tudo o que digo, e a forma como vivo, passaram a fazer ainda mais sentido. Hoje percebi, mais do que ontem, porque eu sou das que faz questão de crescer, dia após dia, que o que preciso e peço acaba sempre a chegar. Hoje revi os amores e as dores que me provocaram, mas também ri de todos os risos que cada um foi capaz de me arrancar. Hoje fui grata aos olhares, aos choros, aos começos atribulados, aos receios infundados e até aos medos que disseram sentir de mim. Hoje fui grande e senti-me sem qualquer pudor, grande, porque se eu não me souber ler e entender, ninguém, nunca, em momento algum, o irá fazer.

Por vezes fui demasiado cautelosa e outras de uma entrega que me surpreendeu. Por vezes não me atrevi a olhar duas vezes, mas numa outra, talvez a primeira, fui tudo, dei tudo e senti tudo. Por vezes não soube como me fazer explicar e outras, expliquei-me demasiado quando na realidade sou apenas o que tenho, o que mostro e o que sinto. Por vezes fui eu mesma que me magoei, mas continuei a ser a que sabe o que fazer e quando me sarar. Por vezes pareço fria e obstinada, mas sei, tal como o senti hoje, que o que passo, bem de dentro, é tudo menos frieza.

Hoje escrevi todos os passos que percorri e soube, com toda a certeza, que este foi o meu ano de revelação. Este ano cresci emocionalmente 20 anos. Este ano fui preparada para um amor maior e sei que quando ele entrar, eu estarei pronta para o receber. Hoje ainda não consegui parar de me felicitar pela capacidade que tenho de sobreviver a tudo. Hoje passei a gostar ainda um pouco mais de mim, porque não tenho nada por resolver, nenhum amor por apagar, nem sequer palavras para usar com quem se silenciou. Hoje, todas as pessoas que de uma forma ou de outra passaram pela minha vida, ficaram no lugar certo, aquele que sempre reservo a quem não voltará a ter-me. Hoje fechei mais umas quantas portas, como faço sempre que entendo e preciso, mas abri uma nova. Hoje recomecei mais um dia, o primeiro de muitos que terei e dos quais poderei falar, sem reservas nem vergonha, porque tudo o que sempre dou, é genuíno. Hoje senti a liberdade e a leveza que apenas conseguem os que não deixam nada por fazer.