Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2017

Quando o amor é simplesmente amor...

Quando o amor sabe ser simplesmente amor, o que somos fica com mais tempo e espaço para se revelar. Quando sentimos que o amor que nos chegou consegue ser o amor que esperávamos, mesmo que esteja a dar baby steps, entranha-se e estranha-se muito pouco. Quando vemos o que já nos fazia falta, instalar-se, sentimos as borboletas, descompassadas e o nosso sorriso fica do tamanho do coração que temos dentro. Quando ouvimos a voz de quem sabe como nos falar, tudo o que é dito, é o que nos importa. Quando nos conseguimos encostar e deixar correr, então estamos, prontos para tudo o resto.

Já não espero por dias mais brilhantes do que os anteriores, porque vivo cada um como se do último se tratasse. Já não espero ser o tudo de alguém, mas desejo que me jurem que só o poderei ser dessa forma. Já parei de procurar, porque sei que me encontraram, a viagem começou quando decidi continuar, não desistindo do que faz sentido enquanto andar por aqui. Já não preciso que a nossa distância em quilómetros…

A ti!

Olá a ti,

Tens vindo a pedir-me uma carta, escrita com todas as palavras que tão bem pareço saber usar, porque dizes precisar de dar um nome ao que estamos a partilhar, por tudo isso aqui vai ela!

Existem milhões de teorias sobre o amor, sobre os comportamentos quando se ama e sobre o que deveremos ser e como, para o outro. Temos, diariamente, sugestões e conselhos sobre como amar e do que abdicar, mas na verdade não existem manuais, nem situações mais certas ou erradas. O que deverá existir em todo o processo, é um amor bilateral. Amar alguém implica ser amado, de preferência na mesma proporção. Também se aprende a amar. Também se aprende a respeitar e a querer o melhor para quem nos deixará bem melhor do que já somos. Amar alguém é saber até onde estamos dispostos a ir, mas como tudo o resto na vida, existe bom senso, existe o desejo de ter sucesso e sobretudo existe a enorme vontade de acertar.

Eu não finjo saber mais do que sei já. Eu não me passo por quem não sou, nem me esforço …

Tempo, Amor e Morte!

Beleza Colateral é um filme fabuloso que tem como protagonista o Will Smith, mas muitos outros actores de renome. Aconselho-o desde já, e vou aproveitar os sentimentos que me passou, para deixar que as emoções cheguem a cada um de vocês.

O que é que nos assusta mais na vida afinal? Temos certamente muitos medos, basta puxar do catálogo das fobias e dissertar sobre as razões pelas quais se alojam, mas até nós sabemos que esses medos são fabricados, mesmo que os sintamos reais. Medos. Vamos falar dos que não fabricamos, mas que tememos mais do que tudo na vida e para além dela. Eu sei do que falo quando ouso sequer sonhar com alguns. Acordo completamente encharcada num desespero que parece querer arrancar-me a alma e as entranhas. Medos que me recordam daquilo que posso mesmo ter medo. Medos que me podem impedir de ver a realidade. Medo de ter medos reais, daqueles que não se podem controlar, mesmo que sejamos controlados.

Não vivemos sem tempo, mas precisamos de o saber usar. O tempo é…

Plans for the future!

Plans for the future, yours. Plans that will take you where you can already see beyond. Plans that may not include who you felt and learned to love, but you´ll be in each and all. Plans that wont let you fall, and let me tell you this, it is possible. You can start over with only small scars. You can start fresh, stronger, and a true believer. You can mend your heart and be free again.

Life shows us long and shorter ways. Life asks us questions, over and over again. Life brings us down to our knees when we carry doubts. Life sometimes is only life, for us to live and enjoy, but we fail. Life teaches us what we´re willing to learn. Life slaps both our faces, but also kisses us warm. Life can be you, when I see, but it takes you back, when I miss the point. When I take all for granted. When I´m weak and die each second of every minute. Life is surely me, all the way and every way.

Plans for the future, mine. Plans that I dare to make, even though making them is a privilege. Plans in whic…

Quando é novo!

Quando se inicia uma relação, tudo é novo, sobretudo o toque e esse muda tudo, quase sempre para o melhor!

Os ajustes serão inevitáveis. As posições diferentes. Os sentimentos, tudo o que trazemos de trás, irá influenciar a nossa forma de querermos sentir e de estarmos prontos. Cada corpo, tom de voz, mãos, sinais e entrega, serão únicos, e jamais se igualarão a um outro. Precisamos de querer muito, de confiar e sobretudo de nos entregarmos, porque apenas assim poderemos recomeçar e continuar.

Não gosto desta parte, queria já estar lá, naquela que me deixarás totalmente confortável, em que já te reconhecerei e em que já não me esquivarei ou desculparei. Já queria ter tudo agora, sobretudo vida contigo.

Quando é novo tem um sabor muito próprio e nada, mas mesmo nada do que estava para trás, voltará a importar. O amor tem a importância que o outro amor lhe der e durará o tempo que o soubermos alimentar. "Nada como um novo amor para esquecer outro", é o que se diz e eu começo a…

Tudo o que me assusta!

Se eu te contasse tudo o que me assusta, certamente que te assustarias também tu!

Tento parecer controlada, mulher que não aumenta, desmesuradamente, tudo. Tento que me aches tranquila, senhora do meu nariz, a que sabe tudo, mas é apenas isso, vou tentando...

Não sei de que forma continuaremos, e se poderemos vingar, como casal, num tipo de relação que convenha a ambos, que não nos sufoque ou amargue. Não sei a fórmula, mas quero encontrar o melhor modelo. Quero ser parte de ti e não apenas agora. Quero reconhecer-te e identificar cada vírgula, porque quanto mais fores meu, mais serei a parte que tens procurado.

Se eu te contasse que por vezes não durmo, com um aperto no peito, que fica pequenino, apenas com a ideia de que possas desistir de mim, talvez me chamasses de tola, mas eu sei que também tu tens uns quantos medos irracionais, a que nem eu, com toda a minha positividade, aparente, consigo afastar. Eu gosto da forma que aprendi a gostar de ti, gosto do sabor que me deixas na b…

Um amor previsível!

Já chega de balanços em navios frágeis. Já não quero mais embarcar em viagens loucas e sem fim à vista. Já não me sinto capaz de apenas ter quem me encha e preencha o coração, agora preciso de muito mais!

. Preciso de um amor previsível.
. Preciso de quem venha e fique por já saber tudo o que teria de ser sabido.
. Preciso de estar abrigada das tempestades e que a pessoa que me ama o saiba melhor que ninguém.
. Preciso de ter por quem lutar, sabendo que lutará por mim, em primeiro lugar.
. Preciso de quem esteja pronto para me acolher, libertando-me do peso que os outros representam.

Um amor previsível que divida comigo tudo. Um amor que me impeça de me sentir deslocada quando acompanho os outros, quando estou sem estar, porque me falta o mais importante. Porque me falta quem me faz, realmente, falta. Um amor previsível que saiba sempre onde estou e o que penso, porque apenas terei como pensar nele, todas as horas do dia que apenas voltará a valer a pena quando estivermos juntos.

Quer…

Lutar contra a lua!

Não precisas de o fazer. Não tens que lutar contra a lua, porque ela iluminará a noite e depois da noite virá o dia. Não te esforces para afastar o que tem que existir, porque depois de tudo o que tiveste, serás capaz de ter mais. Não lutes contra o teu coração e deixa-o mandar até que ele se esgote, porque ele saberá quando parar. Não te magoes com as dúvidas, porque um dia, do nada, deixarás de as ter, ou deixarão de importar. Não te negues o que mereces, porque mereces muito, tudo, e isso ser-te-á dado por quem te merecer.

Lutar contra a lua será lutares contra ti mesma e tu és o que construíste, da forma que acertará para alguém. Lutar contra a lua seria tentar impedir o dia de chegar e com ele quem lhe dê o sabor que te saberá bem.

Sorri. Dança. Olha para ti, contigo dentro e aceita que já estás onde precisas. Já caminhaste os caminhos que te levarão para fora da escuridão. Enrola-te, feliz no sofá. Vê filmes. Ri-te com as anedotas tontas e dá o que te negaram, porque melhor do qu…

Certamente que sim...

Certamente que te irás identificar com as palavras de hoje, porque todos nós, em algum momento da nossa vida, já achámos que teríamos alguém mais importante do que nós mesmos, e que essa pessoa seria a única capaz de nos manterem felizes. Certamente que já sentiste o sabor amargo da incapacidade, a que não te permite provar que és capaz e que poderás mudar, tudo, para melhor. Certamente que já sentiste que o que te mantinha segura seria o amor que te teriam, como se ele curasse todas as feridas que acumulaste. Certamente que já confiaste em alguém mais do que em ti mesma, achando que nunca te iriam deixar sozinha e sem respostas.

Nós somos capazes de TUDO para que a metade que nos encaixa tenha e seja o que precisamos para nós. Nós, muitos de nós, somos engenhosos o bastante para resolver até o que não tem solução, virando-nos para o outro, mas esquecendo-nos que passar primeiro por nós. Nós, os apaixonados, os que amam sem condições, apenas para sentir e fazer sentir, não nos envolve…

Eu volto-me para ti!

Sempre que me perco de mim e perco a vontade de continuar, é para ti que me volto. Quando preciso de um amigo, é por ti que chamo. Quando deixo de ter respostas, é a ti que procuro porque sabes sempre o que dizer. Quando o que faço deixa de me fazer bem, é nos teus braços que me lamento sem receio de não parecer forte.

Tu tens sido o conforto que me recusei enquanto me recusavam o que não era capaz de pedir, porque não sabiam mais e porque confiavam na minha força. Tu sabes que ela está lá, mas entendes que preciso de a armazenar para quando for, mesmo, necessária.

Eu volto-me para ti e cada vez mais, porque tu dás-me vontade de continuar e porque a tua voz me pacifica do mundo, deixando-me em paz. Eu volto-me para ti porque tu iluminas o meu céu e colocas todas as estrelas que nem consigo contar. De cada vez que levanto os olhos, suficientemente alto, elas lá estão, a mostrar-me que a luz que me guia jamais se extinguirá. Eu volto-me para ti, porque não me pedes nada, nem sequer que …

A voz em mim!

A voz que sai de dentro de nós e nos grita que estamos a fazer tudo de forma errada, será a que acabaremos por ouvir mesmo. Eu oiço-me quando o barulho termina. Eu escuto-a, com atenção, porque o que me arrepia, impede-me de ser eu outra vez.

Não adianta esconder-me de mim, Não adianta fugir dos fantasmas que mesmo não estando visíveis, são bem audíveis e ocupam espaço. Não adianta estender a mão para que alguém a segure, porque terei que ser eu a pisar terrenos seguros. Não adianta esperar demasiado, porque apenas eu nunca me falharei.

Vais ser "tu" o maior prejudicado., Vais ser tu a penar pela minha falta de confiança. Vais ter que ser tu a convencer-me, ainda com mais força, a confiar outra vez, tanto quanto confio em mim, até quando o meu discernimento me falha. Vais ser tu a provar-me que estou errada, se tiveres talento. Vais ter que aprender a segurar os teus impulsos, porque eu estarei de ambos os pés atrás. Vais ter que ser tu a aprender a apenas repetir o que te d…

E já são 300,000!

                                          300,000 visualizações de página!

Nada poderá voltar a ser como antes. De algum tempo a esta parte o blog está entranhado nas minhas rotinas como se de um emprego se tratasse. Não é um trabalho porque o prazer que tiro dele é uma enorme compensação. Eu sou a mulher das palavras e se não as uso rebento!

O propósito inicial foi atingido e o maior de todos, o que fomentou este meu interesse, foi o de tentar perceber se de alguma forma seria capaz de tocar os outros. Pessoas anónimas, mas iguais a tantas outras, a mim inclusive. E esse propósito foi conseguido, sem qualquer falsa modéstia.

Nesta fase da minha vida, e da do blog, as mudanças estão a ser gigantescas. Passei a ter um gestor das minhas redes sociais e mudarei em breve de hospedagem, graças a um designer gráfico. Deixei de trabalhar de forma solitária e agora tudo o que faço é supervisionado, e mais passará a ser no futuro, porque este mundo é de uma dimensão por vezes avassaladora. Há

Pensamentos!

Imagens!

Será que somos a imagem que projectamos, ou será que apenas nos dissimulamos, dia sim e dia também, mostrando o que não é real? As imagens que os outros têm de nós, são as que deixamos ver, e fazemo-lo como forma de protecção. Ninguém deseja estar completamente vulnerável aos outros, sempre. Ninguém deseja ter que se explicar sempre que os outros sintam vontade de perguntar. BEM! Aqui vou ter que fazer uma ressalva, porque todos nós conhecemos os eternos desgraçadinhos, aquelas pessoas que ADORAM derramar as suas desgraças, até mesmo as que não existem, e que se esforçam para ter um ar de desespero.

Teremos certamente dias em que seremos claros como água, mas já em outros, se não na maioria, a nossa máscara será de uma permanência falaciosa, pior do que as que usamos no Carnaval. Usamos salvo seja, porque eu não tenho pachorra para fingimentos e porque esta celebração em particular, não tem NADA a ver connosco. Mas pronto, quem achar que ainda necessita de mais máscaras para se expre…

Se eu conseguir...

Se eu o conseguir ver, consigo fazê-lo. Se eu for capaz de acreditar, nada se tornará impossível e tudo, mas mesmo tudo surgirá por portas, abertas, escancaradas e eu entrarei sem medos. Quando eu acredito em mim, até voar se torna possível e passo a correr sem me cansar, chegando no exacto momento que era suposto. Se eu conseguir voar, nada voltará a estar fora do meu alcance.

Eu consigo fazer tudo aquilo em que acredito e nada, mas mesmo nada, me fará parar-me se lá, do outro lado do que já vejo, estiver o que preciso e quero. Se eu conseguir acreditar que me bastará esticar os braços para tocar até o céu, então metade do percurso estará percorrido e o resto, o resto ficará para quando já lá estiver. Se eu conseguir pensar, dia e noite, em tudo o que me fará e tornará mais feliz, então a felicidade virá, mesmo, até a mim. Se eu conseguir ver-me, já nem precisando de me olhar, então o que queria passará a pertencer-me.

Se eu conseguir superar-me, de cada vez que duvidar, sairei melhor…

Namorar é bom!

Namorar é bom. É tão bom meu Deus. Namorar deixa-nos o ego em alta, totalmente inflamado!


Quando estamos a namorar, e ainda por cima, com quem quisemos e escolhemos, os nossos níveis energéticos disparam. Quando namoramos, juntamos pedaços reencontramos a nossa essência, enamorando-nos outra vez.  Quando temos namorado, temos os dias mais completos e sentimo-los mesmo nossos, porque neles estão quem importa. Quando estamos enamorados, estamos numa posição privilegiada e ninguém nos toca ou incomoda.

Namorar é bom. Namorar deixa-nos mais bonitas, de olhar brilhante e de coração a bater ao ritmo certo. Namorar contigo e tu comigo, nunca nos farta ou cansa. Namorar, dia sim e dia também é o que me apetece de cada vez que sinto vontade de ti, outra vez. Namorar sem amanhã, sentindo o hoje da única forma possível, com intensidade. Namorar quem me namora. Namorar sem restrições e até com alguma loucura. Namorar sempre e só...

Começar a namorar contigo deu-me uma nova perspectiva do amor. Da …

Preciso...

Preciso que olhes para ti com mais atenção. Preciso e quero que te respeites, porque se não o fizeres estarás a defraudar-te. Fizeste tudo o que te cabia, da melhor forma que encontraste, lutando como sempre conseguem os que amam, mas e os mas fazem parte da vida, percebeste que terias que parar e paraste-te. Preciso que retomes a tua vida desde o exacto momento em que foi, temporariamente, interrompida, porque precisavas de viver novos sentimentos, estando em lugares que outros teriam sido incapazes de te levar. Já te senti mais forte e determinada. Já te vejo sorrir sem lágrimas escondidas porque fizeste as pazes contigo e percebeste que terias que ter seguido por "ali" até te puderes parar. Já reconheço o teu caminhar seguro e sempre distante porque tens um mundo no qual ninguém parece conseguir entrar. Minha querida, se te pareceu que tinhas encontrado quem te conhecia e sabia ler, não foi porque te tivesses enganado, mas tão somente porque o desejavas muito. Desculpa, c…

Não preciso!

Não preciso de te ver, nem sequer de te tocar, para saber ao que sabes e de que é feita a tua pele. Nãopreciso, de te ver sorrir para me recordar de cada um dos teus sorrisos e de como eles me iluminam. Não preciso de todas as palavras que tão bem sabes usar, para que me digas o que também sentes por mim. Nãopreciso que me avises sobre o amor que ainda guardas, e não por mim, mas que ainda será meu, porque eu sei esperar, aliás, estive sempre à tua espera e continuo. Não preciso que o meu corpo entre no teu e que o toque para saber que a tua pele é aveludada, quente e capaz de me serenar, enlouquecendo-me. Não preciso de beijar a boca que já beijei, tantas vezes em sonhos, para ter o mel que espalhas, basta-me ver os movimentos e os esgares, para te saber.

És a medida perfeita de toda a minha imperfeição e carregas tudo o que me lembro de desejar, antes mesmo de te ter desejado, a ti, como és e como certamente acabarás por ser para mim. És a espera que não me desespera, porque agora, …

Passei hoje...

Passei sempre pelos mesmos lugares, e até por ti. Fui vendo as mesmas caras e lugares e até a ti. Não procurei o que já me cansava de olhar, mas nunca olhei para ti. Fui passando, muitas vezes sem estar, estando apenas porque teria que ser, caminhar e continuar, mas passei e vi-te.

Não sei o que muda os dias. Não sei porque estamos, por vezes, tão desatentos, mas acabamos, do nada, a ver para além dos que passam, anónimos, por nós. Não sei porque te vi desta vez e o que te fez diferente ao meu olhar. Não sei porque arrisquei sorrir para o teu sorriso, não controlando a vontade que parecia ser maior do que eu mesma.

Disseste que me vias e esperavas todos os dias, até nos que não ia. Dizes-me, agora, que nunca te moveste demasiado, para não me afugentar. Dizes-me que tinhas todo o tempo do mundo para chegar ao meu, porque sabias que chegaríamos, os dois, um dia, à mesma hora e com a mesma sintonia. Já me disseste tantas coisas que eu até consigo acreditar, talvez porque seja mais simple…

Dramas, cansaço, momentos...

Nós, eu e tu, começámos há algum tempo atrás, por motivos que não se explicam, mas acabámos por ficar e mantivemo-nos. Tu e eu, da única forma que sabíamos, iniciámos uma viagem que até conseguimos prolongar, durante algum tempo, nos mesmos lugares. Eu e tu fazíamos sentido, porque queríamos as mesmas coisas e da mesma forma.

Agora, no nosso presente, acumulamos dramas, acusamos cansaços e temos mais momentos maus, deixando que tudo o que já foi bom morra. Nos nossos dramas estão os medos, envoltos no cansaço que sempre se apodera de quem deixa de amar. Nos nossos momentos já não estão os sonhos que até sonhávamos juntos. Nos momentos que nos sobraram, já nem nos olhamos, porque fazê-lo seria assumir o que queremos ambos e a verdade é que deixámos de querer.

Já não temos como voltar atrás. Já não somos dois, com vontades que nos deixavam cheios de vontade de nós. Já não somos capazes de mudar o que até parece assentar-nos e sossegar-nos.

Antes, há algum tempo atrás, tu serias quem me…

A carta das cartas!

Quando decidi começar a escrever as cartas que já não vão parar às mãos de quem são dirigidas, mas que servirão para muitos mais amores, igualmente fortes e fracos. Já são umas quantas cartas e cada uma, depois de lida, trouxe-me recordações e levou-me aos lugares onde estava enquanto as escrevia. Vou continuar a usar, SEMPRE, o que considero ser o bem mais precioso que tenho, as palavras, mas também sei que arrumarei todas as que sobrarem e estiverem a mais. Escrever cartas, todas elas de amores que ficaram ou que se foram, será espalhar um pouco de mim em mim, mas deixando que me leiam enquanto sou apenas eu, sem quaisquer artifícios.

Escrever, hoje, a carta detodas as cartas que já fui capaz de escrever, relembra-me de mim e do amor que ainda tenho para partilhar, e olhem que é muito. Escrever a carta das cartas não significa que nunca mais escreva outra, apenas serve para que não deixe repousar demasiado, porque quando e de cada vez que o faço, deixo de estar onde realmente posso…

Estar acordada e manter-me acordada!

Estar acordada e manter-me acordada, toda a noite, para te ver dormir e para te sentir respirar. Estar acordada sendo capaz de velar o teu sono, tentando que os teus sonhos me tenham dentro e para que quando acordares me vejas primeiro que todos e tudo o resto que nos leva de nós. Hoje vou estar acordadae manter-me acordada até ter a certeza que estás comigo e que o teu sono é tranquilo porque me tens. O teu sorriso é ainda mais bonito quando dormes e eu quero acreditar que estás a ter-me até quando dormes.

Não quero perder nada de ti, porque já perdi demasiado de quem também foi bem mais do que esperava. Não quero imaginar, quero saber, quero ver e quero entender o que precisas muito antes de teres que o pedir. Quero ser tudo e de todas as formas e não quero adormecer para não sentir a tua falta.

Estar acordada e manter-me acordada, deixa-me ter todo o resto de ti, até o que não sabes que estás a dar e o que não pertence a mais ninguém. Passámos horas a falar do que já nem sabíamos ex…

Pensamentos!

Se eu estivesse à tua espera...

Se eu estivesse à tua espera, talvez nem chegasses. Se eu tentasse tirar-te dos sonhos, provavelmente nem te materializarias. Se eu quisesse demasiado de "ti", quem sabe nunca teria tido o tudo que me consegues dar.

Ter a certeza, saber quem encontramos no nosso percurso, tornaria tudo mais fácil, mas não é suposto que nos facilitem o que importa mesmo. É difícil para que tenhamos a certeza e sendo difícil teremos que responder a todas as perguntas que nos colocam, mesmo que sem voz. - É o que desejas para ti? Consegues acordar a saber que sim? Sentes que se não fosse não serias?

Se eu estivesse à tua espera, como és realmente, não serias assim, completo, tranquilo, mas agitado o bastante para me tirares do marasmo em que mergulhei. Se eu estivesse à tua espera talvez me preparasse melhor, se é que é possível estarmos preparados para amores maiores e certos.

A tranquilidade que sentimos quando acordamos e temos quem nos olha, quem não deixa de nos procurar e quer, mesmo, sabe…

Milagres ou talvez não!

Os milagres chegam nos mais variados formatos. Temos uns quantos milagres documentados, mas a maioria nem chegam a ser relatados, no entanto salvam vidas, literalmente!

Os milagres vêm no formato de pessoas especiais, daquelas que pareciam nem sequer estar atentas ou disponíveis, mas que quando precisamos, mesmo, nos oferecem um abraço restaurador. Quando percebemos, quando nos dispomos a ver quem nos viu, os milagres acontecem.

As relações nem sempre seguem as regras, provavelmente essas até serão as mais simples e bem-sucedidas. As relações chegam a uma velocidade própria e nem sempre passível de ser controlada. As relações levam os envolvidos a quererem mais do que esperavam, ou a terem mais do que antecipavam. As relações mais erradas, poderão tornar-se nas únicas que acertarão tudo o resto.

Os milagres dos tempos modernos têm uma face desconcertante, porque envolvem pessoas reais, e porque não se explicam, apenas se sentem e deixam rasto. Cada milagre carrega um sonho. Cada sonh…

O que eu te passo!

O que eu te passo, tu passas e com tanta verdade e desejo que apenas posso continuar a desejar-te assim. O que te passo permite-me saber como sou e como me sinto por dentro, porque dentro de mim estás tu, para ficar. O que eu te passo é do tamanho do mundo em que o nosso mundo cabe, todo, por nós e connosco. O que te passo, meu amor, foi o que me ensinaste, porque amar-te torna o fácil tranquilo e o difícil suportável.

Abraçar-te em cada abraço, prova-me que apenas sou porque existes. Beijar-te, permitindo que as nossas bocas falem por nós, leva mais um do outro, que um e outro poderiam alguma vez conseguir. Tocar o corpo que o meu corpo aceita, leva-me a querer mais e a saber o sabor dos que se misturam, inteiros, porque amar só pode ser isto.

O que eu me esforço por te passar, sem qualquer esforço que me impeça de continuar, é a parte mais completa de alguém que veio, aqui, para te conhecer e ter. O que prometo, de cada vez que te tenho, sem ter que te prometer, porque o sentes, é qu…

I am so into me!

I am so into me now, and not because I chose to. I am into me, because what comes from outside does not fulfill me anymore. Even the old songs, the music which made my body move, as it would with you, and for you, aren´t here any more. Not having you reminds me of who has always been around. Not knowing where to look, forced me to look back, to the right side, mine, at me. I am sointo me now, because I am me again. I am so into me and with what I can do with my life. The way I want things to go. How fast I am pushing my desire to have someone by my side, you, whoever you are.

I should have known better. I should have learned before. I should have walked away sooner. I should have seen you...

Nothing we can do, when nothing can be done. Nowhere we can go, when there´s no place we can be.

I am so into me now, that all and everything will have to fit!

Ele e ela!

Ele era o que ela esperara. Ele fazia o que ela sonhara. Ele carregava o que ela nunca deixara duvidar. Ele era bem mais do que vira antes, e levava-se todo de cada vez que lhe levava amor.

- De mim tudo, porque tu és tudo.
- Por mim serás, seremos, sempre o que nos faz falta.

As palavras nunca se contornavam, nem com ele, nem com ela, As palavras usavam-se para o que serviam. Para sossegar. Para validar e confirmar o que os abraços diziam e passavam, com toda a carga eléctrica. Com os arrepios que desistiram de controlar. As palavras usavam-se quando os olhares não bastavam e quando os beijos os deixavam a querer bem mais, com tanta intensidade que pareciam rebentar.

Ele afastava as nuvens e passava a força que ela mesma tinha, mas que multiplicavam. Ele carregava um tempo que se encaixava perfeito no dela, porque o desejava o bastante para permitir.

Ela sabia, soubera sempre, que metade dela procurara sempre por alguém assim e agora, agora que chegara, cada uma das suas células corria…

Entendermos o mundo de cada um!

Hoje a minha amiga Paula enviou-me uma pequena história que vou partilhar porque faz IMENSO sentido:

Um macaco viu um peixe na água e tirou-o de lá, achando que lhe estava a salvar a vida, mas o peixe acabou por morrer. Como é importante entendermos o mundo dos outros...

Olhem o poder das palavras. Entendam a magia que conseguimos operar quando e de cada vez que comunicamos. O nosso mundo é feito de tudo o que construímos, ano após ano, mas ele nunca se assemelhará ao mundo dos outros. Ninguém precisa de ser salvo, a não ser que o peça e o deseje. E nós, os do lado de cá, não deveremos querer dar só porque nos faz sentir bem. Teremos que saber ler nas entrelinhas e depois sim, opinar, ou calar.

Eu nunca quis ser o macaco na vida de nenhum peixe e não planeio ser o peixe que se depara, de repente, com um macaco estúpido e desatento. Que doloroso é ver alguém a tentar, desesperadamente, respirar, mas sem o conseguir, porque lhe tirámos o ar. Não pode existir sensação mais demolidora. Es…

Já não quero mais dor!

Já não quero, nem preciso, de mais dor ou de dramas. Já não quero mais nada que me deixe a não querer coisa alguma. Já não quero dar mais recados, ou sequer dirigir-me a quem apaguei de mim e deixou de existir. Já não quero mais ser a que quer por dois. Já não quero mais dor infligida a mim, por mim.

Os capítulos reescrevem-se, movimentam-se e param-se quando deixamos de ter o que dizer. Os livros que deixamos para a posteridade também têm que ser sobre força e superação, porque temos todos um papel que deverá servir aos que não se sabem libertar de si mesmos.

Hoje, aos 20 dias do mês de Fevereiro, do ano de 2017, fechei o capítulo das dores, dos dramas, e das loucuras a uma só voz. Hoje a minha "voz" calar-se-á para sempre e nunca nada do que me fez doer, sonhar, amar e querer, voltará a ser referido. Cansei-me de me cansar. Desisti de desistir de mim. Parei de me parar e decidi que para ter, deverei procurar por quem já esteja à minha espera.

Não vou voltar a brincar com a …

Aceitar-me como sou!

Nem sempre estamos habilitados a lidar com a pessoa que passará connosco o resto da nossa vida, nós mesmos. Nem sempre sabemos o que conseguimos fazer e até onde somos capazes de ir, por nós, por tudo em que acreditamos e nos faz bem. Nem sempre somos as pessoas certas para lidar connosco.

Os fins devem justificar os meios, mas apenas se tiverem como acontecer. Eu sei que posso tão somente ser eu e que as minhas mudanças serão feitas por mim. Eu sei que apenas posso ser eu o tempo todo, mas terei que saber deixar ser quem se cruzar comigo. Hoje já sei bem mais do que ontem sobre mim. Hoje percebi que sou uma lutadora nata e que o faço sempre que acredito, mas tal como já o sabia também, quando deixa de fazer sentido e começa a magoar-me, paro. E já parei!
Os dias serão sempre novas oportunidades para nos redireccionarmos. Cada dia com o qual somos presenteados deve representar-nos e não poderemos permitir que nos defraude, levando-nos onde nunca nos conseguimos imaginar. Teremos dias…

Camaleónica!

Camaleónica, é como me sinto por vezes. Mudo de cor de cada vez que o "poiso" se altera sempre que sou forçada a caminhar ao contrário, a reestruturar-me, a inventar novas formas de chegar onde me proponho. Sinto que a minha adaptabilidade se tem vindo a estender e que, de uma forma ou de outra, chego sempre a bom porto.

- Qual é o teu segredo? - Perguntam-me vezes sem conta. - Não o sei bem, mas a existir algum, será talvez a perseverança, misturada com a minha "incapacidade" em aceitar que me venceram e que me atrevi a pensar desistir. Não posso, não tenho como, nem sequer é uma opção. Não de mim e do que me cabe fazer.

Ser mãe certamente que me adicionou poderes mágicos, retemperando os meus medos, porque se estiver assustada, a minha prole ficará enfraquecida. Por norma esta forma de encarar a vida é natural, mas também tenho dias em que me olho ao espelho e duvido até de mim, felizmente que rareiam, mas nem eu me livro de ser humana.

Adaptarmo-nos, reinventarm…

Masoquismo = a doença 2!

Masoquismo = a doença que já nem sequer é rara, porque cada vez mais e mais pessoas parecem gostar de sofrer, de sentir uma nostalgia que os leve a ver novelas mexicanas e a chorarem no ombro dos amigos e das amigas, com frases a acompanhar, do género "ela não podia ser minha", " vai ficar para sempre em mim", "tínhamos tudo para dar certo, mas"...

PLEAAAASE!

Onde foi que eu errei meu DEUS? Agora, para além de esbarrar em gente lamechas, também eu me tornei numa. Que raio de castigo é este? Mas afinal o que é que nos move e porque razão gostamos de nos "lambuzar" em comiserações, em sentimentos da treta e em amores impossíveis?

Eu era das que tinha pouca paciência para quem preferia a mágoazinha para se alimentar, do que a vontade de viver, de tocar, de beijar e de amar alguém, MESMO. Dizem que pela boca morre o peixe e mesmo sendo boa nadadora, arrisco-me a ficar sem ar antes mesmo de mergulhar.

Se nos querem, querem, se não, deveríamos saber des…

Será?

Será que seria mais fácil ter a quem culpar? Será que saber que não foste tu e que nada poderias fazer para "o" evitar, melhoraria alguma coisa e ajudarei de alguma forma? Será que teres as mãos limpas te impediria de te sentires suja, magoada, dorida e incapaz de prosseguir? Será que não saberes a verdade te ajudaria a viver a mentira? Será que não saberes as respostas não te transforma em alguém mais pequeno e frágil?

Nós seremos, sempre, o que escolhermos. Nós faremos, sempre, o que fizer sentido, durante o tempo em que nos conseguirmos comprometer com a nossa causa, e nós seremos capazes de abraçar as causas que envolvam amores e guerras, desde que sejam nossas. Nós teremos que encontrar razões para continuar, ou para não desistir. Nós estaremos a ser testados a cada dia, todos os dias e apenas quando a nossa vontade estiver envolta em certezas, poderemos parar de esperar e finalmente ter. Nós somos tão complexos quanto a complexidade que envolve cada desejo e decisão. N…

A parte de ti!

A parte de ti que sempre me fez respirar de forma mais descompassada, foi a que me trouxe tudo o que mantenho dentro. Aquela parte de ti que mais ninguém parece conseguir ver, foi minha e eu tive-a com a intensidade de quem te poderia perder. Aquela parte de ti, a meiga, a que me seguraria se eu caísse, a que me amaria mesmo que eu fosse imperfeita, essa, eu até soube como ver e sentir. Aparte de ti que me fazia querer acelerar o relógio, porque apenas tu fazias os dias terem verdadeiro sentido, manteve-me desperta e pronta. A parte de ti que todas as partes de mim foram capazes de reconhecer existiam mesmo, eu sei porque as senti, a todas e a cada uma.

Eu não hesitarei, vez alguma, a responder-te, a ouvir a tua voz, lutando comigo e contra mim. Eu sei que nunca serei capaz de sentir um amor assim, mesmo que outro acabe por chegar. Eu sei que o que trocámos permaneceu e serei capaz de me lembrar, para sempre, da parte de ti que me manteve a respirar. Eu sei que tu sabes que se precisa…

Ela!

Ela era, antes, no nosso passado, tudo para mim, Ela era a mulher que pedi e a namorada que merecia. Ela iluminava os meus dias e fazia-me sorrir sem que o pudesse controlar. Ela fazia-me sonhar, sobretudo acordado. Ela era a minha miúda e eu sentia-me o homem mais completo do planeta. Ela virava e revirava todas as minhas teorias sobre o amor. Ela questionava sempre tudo, porque esperava muito de mim. Ela pertencia-me, inteira, porque se dava sem reservas. Ela recordava-me, todos os dias, de mim mesmo, de como era quando ainda não a tinha, mas já a esperava. Ela trouxe-me o sol que me roubaram e foi da temperatura que me aquecia até a alma. Ela esteve, sempre, todos os dias e a cada dia, para mim e comigo. Ela passou cada noite que antecipei até a ter mesmo tido.

Eu sei, melhor do qualquer outro, tudo o que tem. O que consegue dar. Até onde vai por um amor que a ame. Eu sei tudo sobre ela e ainda assim continuo a não saber nada. Eu sei o sabor da entrega até quando nos misturávamos c…

As novas relações!

As novas relações, as que começaram após o fim de outras tantas, estão vetadas ao insucesso logo à partida. Se analisarmos as dificuldades que emergem perante a "loucura" em que se transformam os dias de quem quer viver a dobrar, ou a triplicar, ou...

Temos filhos, empregos, moradas diferentes, exigências emocionais e físicas que nos testam até ao limite.

- Se não vens é porque não me sentes a falta. - Nada mais errado, para quem tem que correr, galgar horas e percursos, cuidar de si e dos seus, para poder ter pedaços de todos os momentos que eventualmente mudarão o casal, ou os afastarão para sempre.

Nós, as mulheres, sofremos de síndrome da "impreparação" (acabei de inventar outra palavra), mas a verdade é que temos que estar certas de que tudo se encontra no lugar. Que os cabelos estão soltos e cheirosos. Que a depilação (outro pesadelo para a maioria) foi atempadamente concluída. Que o banho se pôde prolongar, usando os "milhões" de cremes que passamo…