Avançar para o conteúdo principal

Não sei o que é ser pai!

adorable, baby, born
Feelme/Não sei o que é ser pai!Tema:Sentimentos!
Não sei o que é ser pai! Não sei de que forma, sentem os medos e as conquistas dos filhos. Não sei se o coração também se lhes encolhe, até ficar demasiado pequeno para respirarem, de cada vez que a sua prole se magoa ou coloca em situações de perigo. Não sei ao que lhes sabem os beijos que dão quando ainda não nos encurtam as manifestações de amor. Não sei se identificam os choros e se serão realmente tão fortes quanto fazem parecer. Não sei que força imprime a mão de um pai que aperta, de forma segura a do seu filho. Não sei se o faz alheado de tudo, apenas porque precisa de o proteger, ou se também ele sente que enquanto as mãos estiverem enlaçadas, aquele ser que ajudou a nascer, lhe pertencerá na íntegra. Não sei se apenas concordam com as mães para que não se aborreçam, ou se sentem, mesmo, que elas preenchem a parte que eles não possuêm. Não sei o que sonham de cada vez que sonham com o futuro dos filhos e se também se vão revendo no que fazem e dizem. Não sei o que é ser pai e não pretendo tomar-lhes o lugar, porque a mim foi-me atribuído um papel diferente.

O que realmente sei, após uns quantos quilómetros de vida, é que cada pai pode acrescentar aos filhos a experiência que a mãe nunca terá. Sei que o tom de voz e os movimentos do corpo serão repetidos e a serem bem-feitos, ampliarão a vontade que ainda estão a maturar de serem, iguais, tão grandes e tão seguros quanto os seus olhos foram capazes de ver. Sei que um pai, tal como uma mãe, terá que viver, dia após dia, perto, dentro, o mais dentro possível, do coração de um filho. Um pai terá que saber quando faz falta, mesmo que não lhe peçam e raramente o farão. Sei que um pai, e cada vez teremos mais pais assim, tem uma forma diferente de adormecer e de acordar cada um dos seres que lhe foram confiados. Sei que também os carregam às cavalitas, dizendo as tonteiras que precisam de ouvir para também eles serem tontos e descontraídos. Sei que lhes ensinam a chutar as bolas com a força que a mãe nunca terá e a atirar as pedras que saltam rio fora. Sei que lhes velam o sono e aconchegam os cobertores. Sei que os beijam de mansinho para que não percebam que também eles lhes  têm um amor que por vezes parece não caber no peito. Sei dos planos que vão fazendo, mentalmente, muitas das vezes sem saberem a quem rogar por ajuda e sucesso. Sei que quando os vêem dar a primeira cambalhota e usar a bicicleta sem as rodinhas se enchem de um orgulho que lhes sai pelos olhos.

Sei alguma coisa sobre o que significa ser-se pai, até porque também tive um, mas o que nunca saberei, porque não posso nem preciso saber de tudo, é do que são feitas as suas emoções. Isso cabe-lhes por inteiro, assim como lhes cabe ensinar tudo o que sabem, mesmo que lhes pareça que nunca os imitarão. Ser pai também tem um peso e uma importância que ninguém se deve atrever a retirar, mesmo que saibamos que alguns nunca serão capazes de ser o que se espera deles, a verdade é que até o que se impedem de fazer servirá de exemplo.

Desejo a todos os pais um dia tranquilo de reflexão e que não esperem, do nada, por aquilo que não foram capazes de dar, porque para um filho, terá sempre que ser TUDO. Dêem sobretudo certezas e tudo o que fizerem devolver-lhes-á a tranquilidade e a segurança que não pedem, mas de que necessitam para serem seguros. Desejo, a cada pai que não se afastem demasiado, dando às mães todos os papéis importantes, porque elas apenas conseguirão fazer o seu. Desejo que aprendam a usufruir de tudo o que um filho faz, mesmo quando parece não fazer nada. Desejo que saibam mesmo o que significa ser pai e que assim transformem os vossos filhos em pais que todos desejarão ter.

Desejo-vos muitos abraços hoje com sorrisos a acompanhar!

Mensagens populares deste blogue

Quando já não importar!

Se eu passar mais do que 2 horas sem pensar em ti. Se não apareceres nos meus sonhos. Se deixar de te chamar à atenção pelo que me falhas dar. Se procurar programas que não te incluam, então é porque deixei de me importar e quando acontecer, já nada poderá colar as peças outra vez. Isto é o que chamo de sobrevivência emocional!

Quando entrei na tua vida, foi para ocupar o espaço que tinhas vazio. Foi para me acrescentar, dando-te até o que não te atreveste a pedir e é apenas assim que concebo uma relação. Quando entrei na tua vida foi para termos muito de nós para cada um. Uma relação deverá incluir-nos em todos os momentos, crescendo connosco, sobrando em prazer e em partilha. Numa relação ampliamos o desejo de nunca sairmos um do outro, criando um lugar e um espaço que será apenas e sempre nosso. Uma relação será incluirmos os que já faziam parte da nossa vida, os meus e os teus, aprendendo a misturá-los e usufruindo do que nos oferecem.

Se não te tive antes, se não comecei, lá atr…

Decidi!

Decidi escrever sobre nós e vou tentar fazê-lo sendo o mais fiel e genuína possível!

Não sei o que tens, ou talvez até o saiba, porque o que conseguimos foi sempre crescendo e melhorando. Não acontecemos logo no princípio, mas chegámos a uma velocidade estonteante, como nunca tinha sequer ouvido falar. Já não somos exactamente crianças e é por esse motivo que sempre acreditei que sabíamos o que queríamos e precisávamos um do outro. Pensava, mas pelos vistos de forma errada, porque nesta equação eu não sou a única parte importante.

Nunca me cruzou a ideia de que não tivesses aparecido no momento certo, porque encontrámos forma, eu e tu, de estabelecermos prioridades e de nos cuidarmos emocionalmente. Nunca, em momento algum, tive vontade de recuar e de me arrepender de ter embarcado na viagem mais louca da minha existência. Nunca senti que te deveria culpar por me teres procurado, porque me soube bem deixar de te fantasiar, tendo-te mesmo.

Dizias-me que sabias quem eu era e porque te d…

Parece que estou mais velha. Pois!

Mais 1 ano e este passou a uma velocidade assustadora. De repente estou mais velha e atravesso, como se estivesse numa outra dimensão, tempestades, mas pareço sobreviver a cada uma.

Parece que estou mais velha, não que o sinta fisicamente, mas o emocional começa a acusar a pressa e a energia com que sempre fiz tudo. Decidi que quero sossegar-me, porque preciso de mais tempo para me regenerar. Agora procuro a qualidade. As pessoas verdadeiramente importantes na minha vida. Quero mais em menos tempo, porque não quero perder nenhum sem que me sinta plena. Quero um amor que me afogue num prazer que só poderei retribuir. Quero tudo do muito que ainda me falta receber.

Parece que estou mais velha, é o que me diz o cartão que me identifica, mas não me diz muito mais, o resto vou ter que ir descobrindo sozinha porque algumas etapas são muito difíceis de superar, no entanto são essas mesmas que nos fazem crescer. É o que dizem, certo? Pode até ser, mas havia necessidade de ser tão difícil? Eu s…