Quando seguras as palavras, não ouves todos os sons!

Black Microphone
Feelme/Quando seguras as palavras, não ouves todos os sons!Tema:Relações!

A grande moda para os que parecem apenas "planar" neste século, é não dizer, não mostrar e não argumentar. CLARO que é MUITO mais fácil. Evita confrontos, explicações e derrotas. Mas como nada é apenas preto ou branco, também acarreta perdas, porque quando seguras as palavras, não ouves todos os sons. Não somos seres individuais, tudo no Universo carrega um par, algo ou alguém que se equipara e que nos completa. Se não tivermos quem se mantenha por perto, cuidando-nos nas derrotas e festejando os sucessos, pouco do que fazemos e somos valerá a pena.

O EU está a ser olhado como uma enorme conquista. Sobretudo para as mulheres que tanto trabalharam para a independência e liberdade. Querem poder escolher, decidir, ou simplesmente não fazer, sem que haja julgamentos ou cobranças. A sensação é BOA, sou eu que vos garanto. Mandarmos no nosso nariz. Sermos quem nos dá na real gana, diferente a cada dia, ou igual sem qualquer receio de vulgaridade. Escolher ir ou ficar. Comer muito ou entrar em dietas loucas. Arrancar prazer do que não se esgota, nem protesta, nem cobra, a qualquer hora e sem qualquer motivo. Falhar redondamente a receita da avó, ou cozinhar lindamente para comer sozinha, dias seguidos. Comprar o que não faz qualquer falta porque até já existe em casa. Ou adiar o que tem que ser feito. Este é o sabor da verdadeira liberdade.

Mas... Ora então não queríamos que houvesse um mas? Tudo o que fazemos, ou deixamos por fazer vem com uma factura associada. Por vezes pagamo-la de imediato e sem juros, mas outras há em que terá que ser dividida por demasiadas prestações e no final o seu preço não vai compensar a aquisição.

Quando seguras as palavras, não ouves todos os sons, mas terás sempre o livre arbítrio. Faz as escolhas que te possam realmente acrescentar algo, ou então permanece por aqui, a planar até que consigas realmente voar. Boa sorte!

You Might Also Like

0 comentários

O que quero agora!