Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2017

Maturidade procura-se!

Ter maturidade. Tal como muitas outras características inatas, ou se consegue, ou jamais se chegará lá, quando muito, chega-se tarde demais! A maturidade não vem apenas com a idade, vem com a capacidade de nos vermos e conhecermos realmente. Existirão muito bons mortais, por este mundo fora, que jamais entenderão o que isso significa. Alguns até acharão que se fala de uma palavra abstracta, algo que deverá ser legendado para que se perceba o enredo.

Onde andam os alegados homens maduros? O que será preciso fazer para que saibam mais do que aquilo que vêem na televisão (com legendas). Para que consigam pensar sem paralisar quaisquer dos músculos faciais e para que se mantenham inteiros se tiverem que juntar umas quantas palavras com sentido? Vá lá, não pode ser assim tão difícil, afinal estamos a falar da conservação da espécie, não nos deixem voltar ao Adão e Eva, porque depois já não haverá dentadas na maçã, desta vez acredito que alguém iria ter que a engolir inteira.

E já agora, pa…

Nunca nada é igual!

Não conseguimos que nenhum dia seja como o anterior e talvez por isso fiquemos sem saber o que esperar do próximo, porque nunca é igual!

Hoje senti-te mais longe de mim do que o habitual. Não porque me pensasses menos, mas simplesmente porque o dia não o permitiu. Falámos de forma breve porque estivemos numa correria profissional que sempre acaba a protelar a emocional. Vencedores e vencidos, o inevitável percurso da vida. Gosto de ti, digo-o sempre que posso e repito-o quantas vezes me perguntares. Gostar de ti parece ser o que faço melhor, ultimamente, tu reconheces que sim e eu fico mais completa por sentir que te passo o que sou, nem mais nem menos.

As minhas rotinas, a existirem, começam e terminam contigo. Tens-me "oferecido" as partes de ti que já vou encaixando, ensinando-me a ser mais espontânea,  a desejar ser desejada e a não me esconder nem do que sinto, nem de mim. Hoje o dia foi desigual, é assim  que me chamas, dizes que sou diferente de tudo e de todas as mu…

Amar são palavras...

És sempre tu que dizes que amar são palavras, e eu acrescento que é tudo o resto que nos permite continuar. Mas para que o tudo chegue, precisamos de saber do outro. Precisamos de antecipar cada desejo e de o satisfazer, porque dar é receber duas vezes. És sempre tu o mais calmo, o mais doce e o que espera, pacientemente, para que esteja pronta, mas já estou, já fiquei...

Está tudo a correr ao contrário, mas bem desta vez. Desacelerámos. Passámos a passar pelos silêncios como forma de nos sentirmos, mas apenas e só quando estamos juntos e nos podemos olhar. Sempre que não te sinto, a vontade de ouvir a tua voz parece querer consumir-me, mas basta que me lembro que estás aí, desse lado, mas comigo e que te posso ter, para que a espera não me enlouqueça. Parecemos ter tanto para dizer e tão pouco que precise de ser dito. Estamos a cimentar um caminho que terá que passar por nós, mas sendo mulher, quero mais de ti, até os segredos, porque com eles virás tu, inteiro e como és realmente.

Pedi e tive!

Fiz o percurso até onde certamente já me esperavas, a pensar em tudo o que tivemos antes. Sinto como que se o tempo tivesse galgado décadas e de repente, do nada, a idade, que não sentia, se apoderasse  de mim. Por vezes envelhecemos em dias, sobretudo quando cada um deles no testa até ao limite.

Já estamos bem para lá do início. Agora somos, tu e eu, pessoas novas, renovadas, e espero que mais capazes de enfrentar o que ainda virá e certamente que será muito. Os caminhos que me mostraste. Os lugares novos e os tempos que nunca colidiram, passaram a ser meus e a fazer parte do que sou já.

Estou a ver-te. Caramba, és mesmo um homem bonito. Conheço cada traço, porque sempre que adormecias, de sorrio nos lábios que não beijava apenas para não te acordar, percorria com os olhos a pele que enlouquece a minha, os olhos que parecem ler-me a alma. Os cabelos onde passo as mãos e sinto envolver-me em seda. Estás ali, de pé, à espera e eu quero tanto tocar-te.

Desta vez não houve palavras, não…

Gosto do teu sabor!

Gosto do teu sabor, porque gosto de pessoas genuínas, naturais e empenhadas em ter um sabor memorável. Gosto do teu sabor porque se embrulha no meu, passando-me o que sentes, sonhas e desejas de quem te tem. Gosto do teu sabor porque não é igual a mais nenhum. Carrega todas as tuas vidas. Cada lugar por onde passaste e todas as pessoas que fizeram de ti o que és hoje.

A cada dia que passa, percebemos que algumas pessoas que chegaram até nós, simplesmente teriam que o ter feito, porque depois de as sentirmos e vermos, nada voltará a ser igual, ou a avançar da mesma forma. Trazem-nos o que ainda não tínhamos. São capazes de nos entender sem palavras.  Carregam-nos sem que o peso se torne insuportável e escolhem escolher-nos sem qualquer esforço.

Gosto do teu sabor e já sei que o meu te sabe igualmente bem. Gosto de gostar de ti assim, sem mesmo saber responder às inúmeras perguntas. Gosto de te imaginar para lá de cada dia, esperando que nunca deixes de estar. Gostar de ti fez-me querer …

O que eu era capaz de fazer para te ter...

O que eu era capaz de fazer só para te ter, agora, neste preciso momento!

Sinto todo o meu corpo revolto num misto de sensações, de desejos e de vontade de te ter outra vez. Não quero ficar apenas eu, quero poder sair de uma vida, a previsível, e ter a outra, aquela onde do outro lado estarás tu. Quero deitar-me ao teu lado nas noites quentes, aspirando contigo o mesmo ar e respirando descompassada a proximidade me enlouquece.

Não me queria preocupar em ter que procurar outro que não tu, eu sei que és a pessoa que escolhi algures numa vida passada, e a quem já amei por muitas mais, e é por isso que ainda mexes comigo e controlas todos os segundos do meu tempo. Volta, por favor. Quero sentir-te. Quero ter-te. Quero beijar os teus lábios, chupá-los sôfrega, ser abraçada por ti e sentir-me reconfortada de um dia difícil. Quero saber-te na outra ponta do meu tempo. Contigo por perto tudo se encaixará na perfeição, tudo o que eu fizer servirá para algo, para bem mais do que para mim e para…

A chuva que quase deixei entrar...

Já tinha começado a chover,  mas apenas quando os pingos se tornaram grossos e ruidosos e começaram a bater, violentamente no pára-brisas, me lembrei de que ainda não tinha saído do carro. Não sei por onde andei, eu com os meus pensamentos, tantas horas. Olho para o relógio, são agora 21 horas, sinto-me vazia, não me consigo lembrar se comi hoje. Escolho sair, e em menos-de-nada estou tão molhada pelo cansaço que se acumulou, que de mim escorre muito mais do que água. O som estridente da quase tempestade permite-me gritar, bem alto e sem que arrisque ser ouvida...

Descomprimi, sinto que os músculos relaxaram, tanto, que duvido até dos movimentos. Como é que posso mover-me, mesmo que seja dando um passo de cada vez e chegar a casa? Que sentido faz tudo isto afinal? Do que está a adiantar tanta dor?

Não sei o que pensas e se pensas sequer em mim. Não sei se estás tão magoado e distante, que não vais querer ouvir e saber de mim. Não sei no que te transformei quando parti metade dos teus…

É bom mesmo sendo domingo!

Qual a razão pela qual aceitamos o que os outros convencionaram por errado? Porque nos deixamos arrastar no mar onde tantos parecem afogar-se, se até sabemos nadar? Porque não vivemos, apenas cada um dos momentos que a vida nos oferece, assim, gratuitamente, sem cobrar se a isso não a forçarmos?

O final do domingo deveria chegar como o consolidar de mais uma semana, permitindo-nos avaliar o que formos capazes de fazer, ou que, uma vez mais adiámos. O domingo terá que carregar o início de mais um começo, e não o final de coisa nenhuma, porque apenas termina o que já parámos de querer. É bom mesmo sendo domingo, claro que é. Estivemos, ou deveríamos ter estado, mais lânguidos e entregues a nós mesmos, deixando as pressas para um outro amanhã. Todos os dias serão o que fizermos deles e só deveríamos olhar para o que merece ser retido, tudo o resto é apenas o resto de que também será feita a nossa vida.

Estarmos continuamente à procura de começos e finais, desgasta-nos até a alma, alguma…

Estou a sentir falta de ti!

Sinto falta de ti, é um facto, e mesmo que a decisão de nos afastarmos tenha passado por mim, gostava de não ter tido que escolher. Estou a sentir falta de ti e a tornar-me difícil e intragável. Sinto que as forças me fogem. O meu corpo parece não reter qualquer das energias de que me abastecia para continuar. Nada em mim é reconhecível, porque pareço ter perdido partes que não poderei voltar a repor.

Os duches agora são verdadeiras torturas, pareço sentir cada um de todos os toques, que mesmo sendo teus me devolviam o que passei a ser. Estou a sentir falta de ti, da tua voz serena e do sorriso que a acompanhava, porque o conseguia adivinhar.

Tudo à minha volta perdeu a cor. As pessoas que me rodeiam já nem se atrevem a fazer perguntas, porque as respostas chegam ácidas. Gostava de poder emergir nas centenas de projectos que sempre arranjo forma de encaixar, mas mesmo com a cabeça a mim, gasto mil e um minutos a pensar em ti.

Por onde andas agora? Será que aceitaste algum dos inúmeros…

Com ou sem amores?

Com ou sem amores? Eis a questão!

As moedas têm sempre duas faces, tal como as relações. São inspiradoras, conseguem fazer-nos querer voar, mas também nos cobram tempo, entrega e obrigam a concessões.
A Sandra e o Tiago estão a começar o que esperam ser "a" relação, mas cheios de medos, de todos quantos povoam os que já tentaram, vezes sem conta, encontrar quem as acorde do marasmo, alguém que lhes reponha a vontade de pertencer a algum lugar, a partilhar pequenos grandes nadas, a acordar cheio de energia, a ser único e a ter sorrisos tolos nos lábios.
A situação não é a ideal porque são colegas de trabalho, mas com cargos tão exigentes, mal se cruzam e quando o fazem, tentam esconder o que até as portas dos gabinetes já entenderam. Ai o amor!
- E quando já não estivermos bem juntos, será que a nossa relação se vai tornar difícil, aqui no trabalho? - E se amanhã cair um meteorito, quantos de nós iremos sobreviver? Larga de ser gaja e vive, saboreia, usa e abusa de mim. - Só u…

Um dia eu sei que irá fazer sentido!

Um dia eu sei que irá fazer sentido! Era o que eu dizia quando iniciei a minha jornada. Ela não foi totalmente consciente ou planeada, mas soube sempre que deveria ser feita. Tudo acaba por fazer sentido, basta que haja tempo, que se consiga ouvir para além das palavras e que estejamos atentos, eu sei que estou, estive sempre. Nada como a vida para nos mostrar os caminhos, as pessoas e para nos presentear com escolhas. Nós temos o livre arbítrio, podemos sempre decidir, quando, onde e com quem. Não adianta olhar para o lado e fingir que as coisas ou as pessoas são como as imaginámos, porque se as inventarmos, a desilusão tenderá a ser maior e mais devastadora.

Gosto de quem sou, de quem me tornei, da forma como me construí, no meu tempo e ritmo. Gosto de tudo o que me esforço por entender e até do que não entendo. Tudo sou eu, tudo me faz uma pessoa melhor e isso é inquestionável, para mim e para quem comigo lida.

Um dia eu sei que irá fazer sentido, dizia-me muitas vezes e acabou, eve…

Não tenho dúvidas...

Não tenho dúvidas, juro que não. Sei quem quero e sei que te quero a ti. Não tenho dúvidas, mas medos sim, muitos, tantos, quantos os dias que agora passo com vontade de te voltar a ter. Não tenho dúvidas porque soube, no minuto seguinte, logo que ouvi o som da tua voz, que me irias mudar a vida. Não tenho dúvidas, mas fui eu que nos parei, teria que o fazer, precisamos, os dois, de nos sentirmos, como somos cada um, ajustando cada peça.

Não saber o que pensas, nem o que pensas de mim, se é que ainda o fazes, deixa-me no chão, do qual apenas me levanto por sentir que até a alma arrefeceu. Não ter como trocar as palavras que nos sossegavam e acendiam um fogo que eu apaguei, interrompe qualquer lágrima, porque estou cansada de chorar. Não começar o dia, a cada dia, contigo e já tanto por ti, esvazia-me por dentro e faz-me arrastar por cada hora. Não sentir a tua boca, na minha, com a paixão que aumentava a minha, rouba-me o ar...

O João ficou resolvido, tão rapidamente quanto me veio um…

Como será amanhã?

Já estavas à minha espera, tinhas escolhido o lugar, e ele teria que passar, como sempre aconteceu, por cada um dos caminhos que já percorreste, solitário, apenas contigo durante o tempo que te fez falta. Sinto a ansiedade tomar conta de mim e preciso, depois de dois longos dias sem ser tocada e olhada por ti, que me abraces, forte, desejoso do que te dou porque me sabes a tudo. Faço um enorme esforço para não começar a correr. Tento parecer tranquila e segura, mas tenho que olhar o chão que parece ir-se abrindo à medida que o piso.

O frio arrepia-me demasiado, não sei se está na rua ou em mim. O desconforto começa a instalar-se, já não és o mesmo e não pareces querer-me como antes. Talvez por isso tenhamos ficado numa conversa meio morna, sobre nós, mas sem muito passado à mistura. Parecemos continuar a arriscar, mas quais serão os custos e como nos teremos depois do ontem que parece ter sido há uma eternidade?

Estamos no banho quente que finalmente me aquecera por dentro, mas de re…

Parceria - Trendhim

Eis que o Feelme tem mais uma parceria, desta feita para mimar os homens. Trendhim- Acessórios para homem

  Visitem e deliciem-se com cada uma das peças, porque eles                                           também merecem!

Escolho ser apenas eu...

Sei, porque o vejo, oiço e sinto todos os dias, que as pessoas não estão preparadas para serem em conjunto e para terem que lhes movimente demasiado os dias. Ninguém quer grilhetas emocionais, sobretudo depois de se terem livrado das que as prendiam mesmo. Sei que poder escolher cada minuto da nossa vida, indo e voltando sempre que nos apeteça, carrega um conforto e uma liberdade que ansiamos desde que tomamos consciência do nós. Sei tanto já, porque escolhi saber do que sinto, falo e penso, que escolho ser apenas eu.

Nunca estou verdadeiramente só, porque me tenho por companhia. Nunca sou forçada a silêncios, porque tudo o que carrego dentro, basta-me. Nunca espero demasiado, mesmo que continue a desejar ser surpreendida e que bom seria ter quem o conseguisse. Nunca enlouqueço para lá da sanidade como a vemos, porque teria que ser eu a trazer-me de volta. Nunca peço, porque ainda não tive quem me desse realmente...

 Escolho ser apenas eu e já o fiz há algum tempo. Muito pouco me faz …

Silêncios que gritam alto!

Há dois dias que não te oiço, ou sequer vislumbro a luzinha verde que entrava, familiar, no facebook. Há duas noites que rolo e rebolo na cama que parece ter-se agigantado. Não sei o que farei se não disseres mais nada e se escolheres arrancar-me de ti. Há dois dias que a comida não passa e que a sede me faz beber os litros de água que deveriam repor as perdas, mas que quase me afogam. Há dois dias que sei, com toda a certeza deste mundo, que és o homem que amo, mas que nada posso fazer para te ter de volta, se não escolheres voltar.

O telefone finalmente tocou e quando vi o teu nome como o gravei no telemóvel, Rui sonho, o meu coração parou de bater, juro que parou e que por breves segundos, senti todo o pânico do mundo. Milhões de dúvidas percorreram o meu cérebro cansado e por milésimos de segundo tive uma experiência de quase fora-de-corpo. Mas a tua voz soou segura e suave - Olá menina linda, como estás?

Não sei o que respondi, talvez não me tenha saído nada, mas ouvi-te enquant…

Palavras e mais palavras...

Os dias deixam de o ser se eu não teclar no meu computador, palavras e mais palavras. Já vai longe o tempo das inúmeras canetas usadas em tudo o que era papel, mas não se tornou mais fácil produzir e reproduzir sentimentos. Sou mais exigente a cada frase. Leio e releio, sentindo que mudei e me mudei. O que me inspirou ontem deixou, completamente, de importar  hoje. Já há outro romance prontinho para mais um parto, e tal como com os filhos, o primeiro não será apenas o mais difícil e eu encaro-o sempre como o único.

Gosto da sensação de andar cheia de papeis com notas, livros que vou  espreitando, bem próximos do portátil sempre ligado e pronto a receber mais sentimentos, ideias, sonhos e desejos de palavras com significado.

Sou umawordaholic edou demasiada importância aos sons que as palavras soltam, mesmo quando não me são dirigidas. Gostava de poder encontrar um homem que as usasse tanto quanto eu, que necessitasse de se fazer entender e que me buscasse por dentro. Eu sou uma faladora…

Eu, como me terás que ver...

Ele estava ali, muito próximo do rio que antes nos trouxera a antecipação do outro, mas na altura com imenso prazer e um friozinho bom. Não me canso de o olhar, tudo nele me trás a paz que tanto procuro, mas que agora vou inevitavelmente perturbar. Estou a tremer por dentro. O meu coração parece ter disparado e ainda nem me movi, tal como não o fez ele. Tão perto agora, mas a uma distância emocional gigantesca, eu movida pela minha verdade e ele por centenas de dúvidas que terei que confirmar. É sensível, o bastante, para saber que não vai gostar do que tenho para lhe dizer. Já conhece a forma como me movimento, desconfortável, quieta e nervosa, numa inquietude que passa a quem sabe para onde e como olhar. Ele já estava ali e eu teria que me aproximar...

- Olá Rui.

Sorriste-me sem qualquer chama. Engoliste em seco, mas abriste-me os braços onde me aninhei, talvez pela última vez e não tive como me conter. Chorei baixinho, sem soluçar, mas tão sufocada que só desejava poder juntar a mi…

Ela gritou-me e eu ouvi-me!

Se eu nunca desviar a atenção da minha voz interior, saberei sempre o que esperar e como agir, porque ela nunca me engana, é ela que me alerta quando algo que não está bem e cuida de me cuidar não me abandonando!

As minhas emoções por vezes atrapalham o discernimento, mas eu sei sempre que bastará parar, e pensar, para que tudo volte até ao ponto onde esteve antes. Eu sou a que realmente importa, e terá que ser através de mim, que todos os outros que entrarem, ou por infelicidade saírem da minha vida, terão que passar. A minha essência só se manterá intacta se eu me ouvir e escutar. Não importa o que esperam de mim, importa sim o que faço para não me desiludir e para estar à altura do que planeei ou desejei. Ouvir-me significa estar em sintonia, escutar-me significa deixar o meu corpo ter as sensações que sempre procurou e que encontra, devagarinho, a cada dia.

Vou-me conhecendo etapa a etapa, reconhecendo-me e entendendo porque reajo desta maneira e não de outra. Se ninguém me esten…

Sinto o medo colado às entranhas...

Algumas pessoas têm como missão voltar à nossa vida, uma e outra vez, para nos ensombrar e é por isso que estou agora a pagar, caro, os momentos menos bonitos do meu pós-divórcio. Ficar sem o Artur após quinze anos de uma vida em comum e sonhos, aparentemente partilhados, atirou-me para uma solidão que não entendia e escolhi escolher, achava eu, quem entraria de alguma forma na minha vida. Inscrevi-me num site de encontros e conheci uns quantos homens. Vieram nos mais diversos formatos, partidos, sádicos, irracionais e melodramáticos. Testaram a minha capacidade de os afastar tão rapidamente quanto começavam a processar cenas dignas de filmes de faca e alguidar, e foi quase sempre fácil, até à chegada do João, porque para este não estava preparada e quase que me fez perder num mar de águas menos claras.

Estou a pensar de que forma posso contar-te que estou a ser assediada, diariamente por quem aparenta não pretender desistir de mim. Não queria que soubesses de um passado do qual não m…

Acordar contigo dá ainda mais sentido ao que sou!

Acordar contigo, sabendo que estou aqui para cuidar do que já cuidas, meu e por mim, dá-me uma enorme responsabilidade, mas um prazer que cresce tal como o amor que já tenho por ti!

Não sou uma mulher fácil. Não tenho os mesmos códigos, nem olho da mesma forma para os mesmos lugares. Não sinto vontade de andar para trás e não me foco no que me poderia magoar, se o permitisse. Os problemas, os revezes, o adiar de qualquer dos planos já delineados, não me demovem de nada nem de ninguém que importe na minha vida. Não sou a mulher que se possa formatar, ou conduzir, vou, se souber o que me espera. Aceito, se não tiver que me esforçar a parecer o que nunca fui. Gosto primeiro e depois amo com a intensidade que deveriam ter todos, mas que ainda assusta uns quantos, demasiados e por isso mesmo continuam a fugir. Não sou a mulher que se entende à primeira, mas quando acontece, nunca mais restarão dúvidas.

Acordar contigo passa-me os poderes que acumulo aos que já tenho, porque fazer-te sentir …

Vais ter que estar de volta, de alguma forma...

Não importa quando nem de que forma, mas eventualmente vais ter que estar de volta ao que te faz sentir bem, inteira e tu mesma!

Em dias mais cinzentos, onde é que podemos ir buscar a energia e as cores que nos fazem falta?  De que forma nos conseguimos renovar? Teremos que manter as reservas de ânimo e de vontade de estar sempre de bem, sobretudo connosco próprios, porque quando o conseguimos, todos à nossa volta acabarão por beneficiar.
Já ouvi algumas pessoas sussurrarem que gostariam de estar de volta ao que sempre conheceram sobre elas, e mesmo sabendo que o tempo passa e se renova, não deixam de sentir saudades da segurança inocente, do olhar que deitavam à vida, esperando sempre pelo melhor e nunca desconfiando do que viria, nem de como viria. Sentem alguma nostalgia sobretudo dos momentos intensos que viveram, da altura em que conseguiam sonhar sem reservas, dos livros que liam até altas horas, achando que o mundo lá fora não importava e que tinham tudo para serem felizes. Na…

O amor está no ar!

O amor está no ar! É mesmo como a música diz, é só ver por aí casais felizes, apaixonados, de bem com a vida e com eles mesmos à minha volta. Cheguem para lá, estou enjoada, ou será ciumenta e invejosa? NÃO, mesmo. Amem-se muito, acertem os passos e se sobrar algum niquito de bons fluidos, mandem para mim que eu aceito. Não, desesperada ainda não, mas pronto, tenho dias!

Será que continuo demasiado cerebral e exigente e por esse motivo afasto tudo e todos, até as moscas? Será que ainda espero, secretamente, pelo príncipe encantado, o que me levará pela mão, mostrando-me o que ainda não conheço? Será que me habituei a construir imagens de pessoas que não têm forma de existir? Não, esta não posso aceitar, porque certamente que existem outros como eu, com os mesmos valores e desejos.

O amor está no arO amor está continuamente no ar, para cada tipo de pessoa, até para as que não acreditam que ele pode mesmo chegar. O amor faz-se, encontra-se e alimenta-se, connosco, por nós e pelo que co…

Quando os segredos nos sufocam...

Tu não mereces, eu sei-o bem, mas também não tenho como evitar alguns dos fantasmas que me ensombram. Tudo o que dizes e fazes, faz-me sentir bem, é doce, sabe a uma realidade que nunca tive, mas... Mas e se não continuar? E se acabares por me magoar? E se um dia, do nada, disseres que já não consegues e que... Caramba, tudo isto assusta. Os começos arrepiam-me a pele, tal como o prazer que nos passa quem chega e inevitavelmente se instala.

Estou a olhar-te, és tão bonito e meigo. Tudo em ti cheira a segurança, mas a verdade é que também já o senti antes e o que foi que me restou? Medo, sobretudo de repetir o que ainda hoje me dói por dentro.

Cada um dos lugares por onde me levas, carregam partes de ti, do que já sabes e pareces querer dividir comigo. As nossas rotinas já nos identificam e conferem alguma normalidade. Os cheiros, os sabores, os toques e até os pensamentos quando nos olhamos. Não estou a conseguir evitar os silêncios. Apetece-me gritar que algures, e a qualquer moment…

Estou cansada de me sentir cansada, de mim!

Embora lá apanhar-me do chão! Hoje estou down, nada me inspira, sobretudo a ideia de enfrentar um novo dia porque estou tão cansada, de não te ter, de estar e de continuar à espera que me escolhas, que me faças sentir uma mulher sem máscaras, natural, eu.

Já te tive, sei ao que sabes, como me olhas, de que forma a tua voz me faz sentir tão viva e pronta para deixar de ter medo, para aceitar que afinal preciso mesmo de ti e te quero por perto...

Estou cansada de me sentir cansadade mim, da minha exigência, de querer que tudo passe por mim, de não saber partilhar, de me refugiar numa mulher que tem tanto para dar e que sabe como se completar, bastando que aceite quem está do outro lado.

Não sei onde acabo a ir buscar as energias de que preciso para continuar aqui, à tua espera, a querer-te como se fosse hoje, o primeiro dia em que soube que terias que ser tudo e que se calhar já o foste antes!

Nós outra vez!

Estou a olhar-te, aninhada no cadeirão de verga, enrolada sobre mim, nua, cobrindo apenas o que te manterá a olhar-me e sentindo que já não sou apenas eu. Arranjas sempre uma forma de encontrar um tempo para nós. Seguras as pontas dos nossos desejos, que até já são muitos e arrastas cada um para onde saberemos satisfazer a vontade que sentimos, quase desesperada, de estarmos juntos.

Nem sempre falamos, mas falamos quase sempre e dizemos o que o outro precisa de ouvir. Querer e incluir alguém na nossa vida é dar-lhe, tudo, de todas as formas, porque acabaremos alimentados do que o alimenta. Gosto de todos os recantos que descobres para nos acolher. Cantos onde já estiveste apenas tu antes. Lugares com a magia que soubeste sentir, tal como me sentes a mim agora. Não nos cansamos dos beijos e sempre que as nossas bocas não falam de nós, sentem-nos. A tua meiguice faz de mim uma mulher ainda mais doce, pronta e desejosa de te dar a mais ínfima parte de todo o prazer que me passas.

Tenho …

Estou à tua procura!

Estou à tua procura. O aeroporto parece-me ainda mais impessoal e incrivelmente movimentado, olho sem te conseguir ver, estou a sentir o meu peito a arfar com a ansiedade, com o receio de que tenhas desistido de vir e de que não me tenhas perdoado. Não sei como ficaria, que restos de mim sobrariam se decidisses sair do cenário agora, logo agora em que finalmente percebi que é por ti que corro e tento ser a melhor, a mais bem-sucedida, a que é reconhecida por todos. Nada, mas nada do que construí fará mais sentido se não o puder partilhar contigo.

Consegui, durante as três horas de viagem, lembrar-me de cada palavra que trocámos nestes cinco anos de namoro, intensos, reais, verdadeiros e que me tornaram numa pessoa mais focada em ter e dar felicidade. Foste tu que me ensinaste a não acordar rabugenta e stressada. Foi contigo que consegui olhar para o mar que povoa a minha janela com serenidade, aceitando que a sua imensidão me suplanta e me pode trazer paz. És a minha escolha, a parte …

De olhos fechados!

Nem sempre consigo olhar-me como sou. Nem sempre aceito as minhas incapacidades esquecendo-me do que ainda não fiz. Há tanto para pesar e medir, tanto que abraçar, sacos de desafios, riscos a correr, mas em dias como o de hoje, com os olhos fechados, a tentar sentir-me, torna-se ainda mais complicado aceitar-me, mas tão fácil entender-me. Quando não for eu mesma a ler o que escrevo. Sempre que não passe por mim descodificar-me, então aí sim, não terei como entender o que faço aqui.

Nada é preto ou branco comigo. As minhas cores misturam-se. Os meus sons nunca são iguais e o que me enlouquece hoje, amanhã já estará superado.

De olhos fechados, comigo e em mim, já vi mais do que tu que supostamente os terás bem abertos, mas ainda não te encontraste. De olhos fechados sei como tactear cada pedaço de vida que apenas eu poderia ter vivido. De olhos fechados, mas bem consciente do que está à minha volta, quem e com que propósito. De olhos fechados, não para que não te veja, porque estás em …

Deixei de ter que esperar por ti!

Voltei a sentir-me uma menina. Adormeço a pensar no que pensou de mim, e acordo a desejar que já não tenha como deixar de me querer. Começamos e terminamos os dias juntos. Estamos um no outro e um com o outro, mesmo quando não nos falamos e já somos bem mais hoje do que ontem,  esperando que o amanhã chegue bem depressa.

Gosto do seu cuidado quando me olha e do toque que toca mesmo, bem no centro de uma alma que já se sentia cansada. Gosto de quando entende de tudo o que falo, e sobretudo do que ainda escolho calar, com medo de que se assuste. Sei que tem uns quantos receios. Milhões de perguntas. Lugares para percorrer comigo. Sei que esteve à minha espera, mas que falhou ver-me mais do que uma vez. Eu estive sempre aqui. Reconheci o cheiro que passava sempre que passava por mim, mas não tive como o chamar antes, só me restou esperar, bem mais do que muitas vidas, até que se voltasse e fosse capaz de me reconhecer.

Ele sabe quem sou, sem saber como. Ele sente que o calor que o meu c…

Quando sabes o que importa, importas-te!

Quando sabes, porque já o percebeste, que precisas de muito mais do que aquilo que recebes, decides parar de desculpar quem não tem, não é e não sabe o que fazer contigo. Quando sabes, porque queres e procuras saber, o que te move, faz feliz e acrescenta, paras com as migalhas que apenas sujam o chão que pisas. Quando sabes, porque aprendeste, que só atrais o que precisas de viver, aceitas e reforças tudo o que és. Quando sabes, porque o viveste, que no final sairás mais forte e segura, permites, por breves momento apenas, que recebam tudo o que nunca tiveram, mas que a ti te sobra e continuas o caminho.

É tanto o que te pode trazer para baixo, fazendo-te cair, que estares em pé e segura, não te permite sequer brincar com o que és e com o que já armazenaste. Não sei do que não sabem os outros. Não sei o que falham entender sobre mim. Não sei e nem tão pouco me interessa, que se sintam incapazes de me descodificar, quem for certo, certamente que chegará até a mim.

Quando sabes o que q…

Para que os vazios não se instalem!

A sensação de não se saber, ou de não se conseguir, do nada arrasta todas as outras, impedindo-nos de saborear até os sucessos. Nada no nosso percurso deve ser feito a solo. Mesmo que nos saibam bem alguns momentos e que os silêncios cheguem para nos aquietar, o melhor da vida será sempre a partilha, o outro do lado certo, a opinar, a acompanhar, até a discordar, mas connosco, por nós e gastando do tempo que realmente nos importa. Se não for assim faz muito pouco sentido.

Tanto que já caminhei, que de cada vez que olho para trás nem acredito, já sou muito mais uma fazedora, não me limito a sobreviver, vivo realmente, sinto, estou presente na minha vida e na dos que amo. Agora olho com atenção, não passo apenas, porque quero e preciso de bem mais da vida para estar completa, mas os vazios por vezes teimam em se instalar, e apenas porque "tu" ainda não fazes parte do todo, não te tenho como meu e não sei que nome nos dar e o que esperar, mesmo que espere muito.

Para que os vaz…

Se planear adiantasse...

Planos fazemos, uns quantos, e até que podem correr bem. Sem perspectivas, sonhos ou desejos, dificilmente chegaremos a algum lugar, mas até quando tudo parece estar no lugar certo, após toda a confirmação e verificação detalhada, vem o raio da vida e diz-nos - Ah pois não, querias que fosse tudo à tua maneira? - E não é, ou raramente o será.

Se planear adiantasse, planearíamos até e sobretudo o amor. "Quero agora, neste preciso momento". "Não me vai dar muito jeito nos próximos dois anos". Adiantaria e muito, mas perderíamos o factor surpresa. O sabor não nos ficaria na boca, como ficam todas as lembranças doces e até as amargas. Viver deixaria de ser um risco e um acertar diário, para passar a uma lista de compras. Se planearadiantasse, terias chegado primeiro que todos os outros e depois de já estar pronta. Seria eu a escolher, em todos os momentos, o quando e o onde. Se planear adiantasse, não estaria agora crivada de tantas derrotas e qualquer dos lugares que …

Tanta vida para além de nós...

Não sei se andámos depressa demais. Não sei sequer porque nos deixámos ir depois de umas quantas palavras trocadas, que hoje nem me parecem assim tantas. Não sei que necessidade imperiosa é esta que sinto, para tanto querer sentir este homem.

Tínhamos que nos voltar a ver. Era premente que o olhasse fora de todo aquele cenário que nos parece ter enfeitiçado antes. A aldeia perdida. A água que ainda hoje consigo ouvir. A noite que alimentámos com muita sede de uma vida que ainda não chegou onde precisamos, não até hoje.

Passei na ponte que me leva tantas vezes e vi a sua silhueta de longe. Já me é familiar e tem um sorriso que quase me desmancha, mas eu permaneço de ar controlado, segura de mim, bem mais do que o sou realmente. Os beijos foram a fugir, aqui, neste lugar sem magia, sem a nossa, não me deixo levar e afasto os pensamentos do corpo que já tomou o meu. Levantou-se quando me aproximei, que vontade de o abraçar logo ali e de reter na roupa o cheiro que já tenho na mente. Fal…

Como é que sou para mim?

Como é que sou para mim? Ainda não terei aprendido a ver-me na totalidade, mas já sei mais de mim hoje, do que em outros caminhos que percorri, sem entender muito bem porque o fazia, para onde e quando deveria parar. Como é que sou para mim? Todas as vezes que fecho os olhos reconheço-me, e fica tão mais simples saber porque penso assim, porque te quero desta forma e porque acabo insegura sempre que não te sinto... Para mim sou fácil e acessível. Para mim sou quem gostaria de ter ao meu lado. Sei e quero sempre amar com intensidade, como se o mundo amanhã já não coubesse mais e não chegasse para dar tudo o que reservei para ti, sim tu mesmo, tu sabes que é de ti que falo, é contigo que sonho, é do teu corpo que me lembro e é nele que fico mais mulher.

Hoje, agora e mesmo antes de te olhar, li-te, escutei-te e soube que me irias mudar o mundo. O que sinto por ti não vai passar. O teu sorriso e a forma como me tocas carregam o que preciso. Tu és o que quero, porque é contigo que sei com…

Sinto que tenho a vida ideal!

Sabem o que sintoSinto que tenho a vida ideal! Agora, cada vez mais, sei que fiz as escolhas certas. Sei que estou do único lado possível, e fico devastada quando encontro vidas desfeitas, vidas que caíram, algures, após tanto tempo e investimento e que falham reerguer-se, não conseguindo vislumbrar a luz ao fundo do túnel. Se adicionarem a tudo isso, o factor idade, tudo se torna ainda bem mais negro.

Tenho-me deparado com verdadeiras batalhas, com gente igual a todos nós, mas que por diversas razões viram todo o seu Universo cair, abruptamente. Sem forças para recomeçarem alguns, mas determinados outros a conseguirem, uma vez mais, experimentar os sabores que acompanham as relações novas, as conquistas, de um emprego, de uma mudança de casa e até de amigos que se instalam e que "lavam" as feridas.

Como tudo chega na hora certa e para nos mostrar o que é importante, para nos fazer repensar e reavaliar muita coisa, obrigando-nos a olhar mais para nós de forma crítica, sobr…

Chegámos os dois um ao outro!

Estás, finalmente, dentro de mim e não apenas do corpo. Consegues fazer com que me sinta muito para além de mim e que te devolva no mesmo ritmo, aquele que imprimimos enquanto nos alimentamos de cada um. Sabes como me deixar pronta, tens a suavidade e o mel que se mistura, de forma perfeita, no que somos e no lugar que escolheste para me fazer tua. Estás finalmente a provar-me que estava certa quando te reconheci. Quase que nos esgotámos nas mensagens, elas seguiam-se dia fora levando e trazendo o que crescia de forma descontrolada. A tua calma estava a quebrar-se e ao invés dela, vinha agora, bem mais do que por palavras, a vontade que eu esperava que tivesses de mim. A água corria na nossa direcção e com ela chegava o som do lugar certo, ali, onde escolheras tu e onde estaríamos ambos à espera do que já não tínhamos como adiar. Com o cair da noite senti um arrepio bom, estava contigo e ia saber ao que sabias. As estrelas sorriam-me de volta enquanto as olhava agradecendo num silêncio …

Sabes o que é o amor?

Quem é que sabe do que fala, quando fala de amor?

Estarmos por aqui, procurando quem nos procura, mas recebendo, tantas vezes, quem não está pronto para nos ter, transforma o amor num desafio demasiado profundo e perigoso. Estarmos aqui, capazes de entender que nem sempre poderemos ter quem nos revolva as entranhas, mas de uma forma que nos levante ambos os pés e deixe a flutuar, termina com qualquer desejo de saber um pouco mais sobre o que nada sabemos.

Quem pode ter o amor que lhe serve e sentir que o sabe manter?

Amar deixa-nos, invariavelmente, com a sensação de que temos que ir retornando à primeira lição, vezes sem conta e sempre que comecemos a amar. Amar quem sabe muito menos do que nós e que ainda apenas tacteia na escuridão em que se mantém, pode ser um suicídio emocional. Amar sem ainda saber o que comporta verdadeiramente um amor à séria, com tudo o que nos tentaram ensinar, mas que falharam provar, devolve-nos à condição de seres demasiado falíveis para conseguirmos ser f…

Também recebo cartas de amor!

Sou a mulher das palavras, mas por vezes conseguem surpreender-me e acabo a receber o que tantas vezes envio. Afinal também recebo cartas de amor!

Olá miúda,

Resolvi usar as mesmas ferramentas com que tanto nos encantas, para te mostrar que é possível teres de volta tudo o que dás. Sei, sinto e entendo, que uma mulher como tu, precisa de ser amada de forma tão intensa, que acabes a ter silêncios pela imensidão de carinho e de entrega com que te envolverão. Fizeste de mim uma pessoa mais inspirada e inspiradora. Renovaste a minha fé nas relações e permitiste-me continuar a sonhar, agora contigo, porque finalmente tenho um rosto para colocar na mulher pela qual tanto esperei.

Fica já aqui declarado, assinado por baixo e com todo o meu coração, que devotarei cada um dos meus dias a tentar que me vejas para além do olhar que permites aos outros. Eu sou diferente, SIM, porque me mudei, porque passei a acreditar e porque o mérito é também teu. Dá-me um chance, permite que te mostre do que s…

Trouxe-te para a minha realidade!

Aceitei conhecê-lo, não sei muito bem porquê, ou talvez até o saiba e apenas recuse aceitar. É diferente. Soa-me a genuíno, porque ou muito me engano, ou as suas malas, as tais que tanto parecem pesar aos restantes mortais, são mais carregáveis. O encontro pareceu natural, como fizemos ambos por parecer, mas bem dentro de mim, senti que os olhares e as palavras que saiam das nossas bocas, as mesmas que se deveriam ter beijado mal, foram demasiado pensadas. Quando esbarramos em alguém especial, sentimos o peso que a vontade de acertar carrega. Quando e de cada vez que os ventos sopram na nossa direcção, sem causar danos, a vontade de recomeçar instala-se e depois, bem, o depois acaba por acontecer. Olhei-o enquanto o fumo do cigarro se misturava com o lugar que escolhi. Os barulhos do rio e o calor que o sol parecia deixar cair em demasia sobre o meu corpo tenso, envolviam-nos num misto de sonho e realidade conquistada. Temos que nos sentir corajosos o bastante para termos actos de cora…

Que saudades tuas...

Que saudades tuas... Quem é que eu quero enganar quando digo que já te fechei no meu armário das boas recordações? Nem sequer a mim mesma, porque na verdade basta que veja uma nova foto tua, para que até as minhas entranhas se remexam, para que todo o meu corpo sinta a tua presença e que imediatamente um sorriso se rasgue. É bom ver-te, saber-te de bem com a vida, mas dá uma saudade ouvir a tua voz outra vez e o que eu dava neste momento por uma ligação, por um olá que sei que não poderia acontecer até porque nem trocámos os novos números.

São tantas as vezes que para ti e sobre ti escrevo que por vezes receio jamais voltar a ter uma vida normal, sem conseguir sorrir e aceitar um outro homem. Estou lamechas neste momento e apenas porque ao ver a tua nova fotografia voltei a querer incluir alguém nesta vida que levo sem pensar muito em mim, no que quero verdadeiramente e no que necessito enquanto mulher. Fujo de todos os que me possam vir a interessar. Digo-me indisponível, mas a verdad…

Estarei a sonhar?

Estarei a sonhar? Se for, estão proibidos de me acordar, porque a sensação que tenho e que me percorre todo o corpo, é a que preciso manter!

Daqui, deste lado de mim, muita coisa parece certa e sem nada para contestar, mas mesmo não me apetecendo rir, consigo sorrir por dentro, sabendo porque estou desta forma, quem me deixa assim e até onde e quando me consigo manter. Se a decisão tivesse sido minha, não estaria tão desapontada, porque teria mais, teria tudo e ter-te-ia a ti. Não me quiseste, não foste capaz de nos manter e continuaste a correr sem nunca olhares para trás, para mim. Agora, a esta distância, consigo perceber que mesmo com maquilhagem, a que uso para fingir e para parecer que estou sempre bem, já vou conseguindo ter emoções fortes, deixando de andar em círculos e de me procurar, porque não fui eu que me perdi.

Hoje, e mesmo que esteja realmente a sonhar, sinto que renasci e que ainda sou capaz de tanto. Sou capaz de tocar o corpo que carregue toda a sedução, emoção e c…

Mostra-me como te posso ter de volta!

Se não estás o sangue não corre, o coração não bate e o ar não circula. És o meu oxigénio, tudo o que inspiro e me enche de força, de determinação e de segurança. Fala comigo por favor, só mais uma vez e diz-me o que esperas que seja, como desejas que te inclua e de que forma te posso encher de tudo o que sempre esperaste de mim. Eu prometo que vou aprender rapidamente, que vou parar de reclamar de uma força que não tenho e que desta vez passarei a despir-me do que sou apenas para os que me vêem por fora.
Fazes-me  falta, por isso enrolo-me e escondo-me, mas o sentimento não se esvai, continuo a sentir o teu cheiro, os teus lábios quentes, doces e cheios. Os teus beijos acalmam-me, passam-me marés de vida, de vontade de ser diferente, muito mais mulher. Tudo ganha outro sentido, até o sono fica mais tranquilo. Tudo em ti me permite saber por onde vou e como espero acordar amanhã. 
Eu aceito e admito que sabe bem ser protegida, conduzida e amada sem restrições. Sabe bem não pensar demasi…