23.5.18

Escolher é a minha escolha!

“Yüzünün tüm kıvrımlarında çiçeklenen sıcacık gülüşünü, içimi titreten öpüşünü ve bir pınar serinliğinde gürül gürül içime doluşan sesini özlüyorum…” #didem/öfd


Sou eu que escolhoSEMPRE, como me irei sentir, que importância dar aos outros, de que lado da cama prefiro dormir e o que farei em cada dia!

Se me cabe a mim escolher, então não posso ser masoquista e não deverei querer o fatalismo, nem a mediocridade. Se me cabe a mim escolher, então escolho estar bem e feliz, porque tudo o resto serão apenas passagens mais ou menos longas. Se me cabe a mim escolher, e desde que percebi que poderia mesmo fazê-lo, então escolho amar quem me ame de volta.

Numa fracção de segundos até as nuvens aparecem, ameaçadoras, a roubar-nos o sol que julgávamos ter vindo para ficar. No minuto imediatamente a seguir a uma enorme gargalhada, sentimo-nos sufocar e a voz que ouvíamos, forte, desaparece. Tudo, mas mesmo tudo, é tão efémero e passa-nos tão rápido, que a escolha inevitável será estar bem, pelo tempo que conseguirmos, estando connosco mais tempo do que com os outros, que não raras vezes ameaçam o nosso equilíbrio.

Quem acreditas que se preocupa mesmo com o que és capaz de ser e de dar? Quem te pode mudar os humores, fornecendo-te as forças que tantas vezes ameaçam fugir-te? Quem se deitará com os teus problemas na cabeça, tendo que os resolver mal acorde? Tu, apenas tu. Mas não estás sózinha se tens quem te ajude a pilotar o teu avião, fazendo o que não te sentires capaz, ajustando as tuas rotas nas tempestades, passando-te as coordenadas que não tens forma de memorizar, ou simplesmente estando do teu lado para que o sintas e saibas.

É inegável que me cabe a mim escolher, sempre e em primeiro lugar, tal como será óbvio que de tanto o fazer, acabei a saber fazê-lo da maneira certa!

Como anda o teu amor?



Para onde vai o teu amor de cada vez que escolhes não acreditar? De que forma arrumas o que já fazia parte de ti, apenas porque decides aceitar os teus medos? O que fazes da intensidade com que sentias a pessoa que fez de ti alguém melhor? Porque permites que o que é pequeno abafe o maior sentimento de todos?

É sempre tanto o que nos pode unir, mas bem mais o que nos separa. Temos a vida como a vemos e sentimos. Temos um milhão de "chamadas" exteriores que nos distraem. Temos a falta de tempo e o tempo mal usado. Temos o egoísmo e a subtracção das palavras, umas, mal usadas e muitas outras por usar. Temo-nos a nós, como maiores inibidores da felicidade.

Deveríamos ser muito mais cautelosos no que toca ao uso da palavra amor, não a desbaratando, porque ela carrega o mundo desde que o conhecemos como tal e vai continuar a carregar cada um de nós, até que o que nos trouxe aqui termine. Deveríamos inteirar-nos das regras do jogo, e quanto mais cedo melhor, para que não as subvertêssemos, usando apenas as mais convenientes. Deveríamos fazer-nos perguntas mais vezes, porque a cada resposta já saberíamos o que fazer a seguir. Deveríamos ser muito mais corajosos quando encontramos, supostamente, a outra metade da laranja, é que a consegui-lo, saberemos sempre para onde vai o nosso amor!

22.5.18

O amor por vezes morde...



Por vezes é mesmo assim, o amor morde, ferra, arde, revolve-nos por dentro, mas continua a ser o sentimento que faz tudo o resto valer a pena!

Love bites, but we want every love bites. Um trocadilho com as palavras, porque a verdade é que o amor morde, mas queremos, sempre, cada pedaço de amorQueremos sentir, nem que seja uma vez na vida, o que ele nos consegue trazer. Queremos saber como o descrever, deixando que nos deixe ser como tantos prometem.

O amor morde se não for o amor certo. Se forçarmos o que nunca terá forma de chegar. Se nos deixarmos ficar para trás, aceitando migalhas e recebendo, a conta-gotas o que deveria vir numa enorme enxurrada. O amor morde quando já está para lá de morto e nós insistimos em o manter a respirar. O amor morde se amar for apenas "eu".

Todos nós ansiamos por algo completo, que nos envolva de todos os lados, que nos encha e preencha cada fresta, colando peças que deixámos partir e sabendo que quem estiver connosco o estará mesmo, e para tudo. Todos precisamos dum amor que seja mais do que uma corrida de maratona, longa, penosa e a exigir muita preparação. Ele também nos pode fazer sprintar, caminhar a passos largos, ou tão simplesmente relaxar, sossegando-nos num sossego partilhado.

Não me parece que haja nada de errado em querer um amor que nos morda a indiferença, o cansaço, os medos e que nos acorde para emoções que lavam a alma até dos mais cépticos. Algumas mordidas poderão ser boas, desde que não nos arranque os pedaços que nos farão falta.

Surviving us...

The History Of Colour TV - When Shapes Of Spilt Blood Spelt Love (CD, Album) at Discogs


Let´s skip the glory and the breakdowns. Let´s just be you and me, because I am as damaged and happy, and because you need me, too.

I am jealous, most of the times. I get angry, but I love you more and the most parts. I am weak, and so are you, so give up on judging. I break me from the inside, but I mind, and I mind you. I am helpless because you run away, half of the times, but I help you today and always. I refuse to give up, because I count on you staying. I die and come back, for you...

Let´s skip the blames and the yelling, we both need the truth and the silent that will tell us things. Let´s just save what we have left, and maybe tomorrow we wont have to feed on the blood. let´s just keep on loving because I know I do, and I´m counting on you, too.

Não escolhas ter razão quando já a perdeste!

Lovers | Flickr - Photo Sharing!


Quando te dás a ti mesma, razões para que a razão perdure, não importa o resultado, consegues que o que não se encaixa tenha lugar e que o inexplicável, milagrosamente, se possa aceitar!

É a ti que cabe reconhecer e manter o poder, mas, e até mesmo quando a tua maturidade esteja no auge e já tenhas descoberto quem nasceu primeiro, se o ovo ou a galinha, vais precisar de passar por cada um dos caminhos que te levarão ao que importa. Vais encontrar desculpas que sirvam para camuflar meias verdades e mentiras estruturais. Vais ter que provar de todos os sabores até os poderes distinguir e vais perceber que é possível seres a que ama mais, com total entrega e sem cobranças, mas assim mesmo a não conseguir reverter a falta de amor que te têm.

Quando te permitires ser deslumbrada, porque até tu és filha de Deus e precisas de alguma validação, perceberás que alguns nunca serão capazes de te ver como és agora e que apenas irão querer fantasiar-te para que te encaixes de forma perfeita na sua falta de perfeição.

Não permitas que a dor te mude ou endureça. Não escolhas o caminho mais fácil, que é o da recusa, da negação e da solidão. Não te impeças de sorrir ou rir com gargalhadas sonoras só porque estiveste com quem nunca esteve. Não olhes demasiadas vezes para trás, usa apenas o que te soou a certezas e te deixou feliz, e persevera, porque o amor como o imaginaste sempre existiu e com ele virá quem te assegurará disso mesmo. Não te dês razões para deixares de ter razão, não quando nem a boca que tão perfeita se encaixou na tua já perdeu o sabor.

21.5.18

Quando a realidade nos acorda para as pessoas...

she seems to be a protective mom, based on the look she's giving lol


Uma coisa é o que sonhamos, desejamos e planeamos, outra bem diferente, é a realidade como se apresenta, imperfeita e exigente!

Quando a realidade nos acorda para as pessoas que nos rodeiam, mostrando o seu verdadeiro papel "aqui" e pode tão-somente ser o de destabilizar, magoar ou impedir de brilhar, podemos fazer uma de duas coisas, resistir ou morrer. Cada um é o que tem, mesmo que com muitos enfeites ou barulhos, por isso teremos que saber como encaixar quem nos rodeia, ou afastá-los para sempre.

As lições serão tão duras quanta a nossa teimosia, e se nos recusarmos a entender e a aprender, algo ou alguém o fará por nós, provavelmente da forma mais dura.

Gostava de conseguir continuar a proteger os meus dos mortos-vivos deste mundo, mas na impossibilidade de poder estar sempre por perto, vou-me mantendo alerta, tentando que aprendam tudo o que já aprendi, mas de forma mais suave e quem sabe assim não os alivio de alguma carga. Gostava, muito, que não precisassem de sentir receio de acreditar, de confiar e de amar incondicionalmente, mas a verdade é que a espada deverá estar sempre com eles, mesmo que embainhada. Gostava de lhes poder dizer que lhes bastará serem bem formados e terem carácter, para atraírem os respectivos pares, mas estaria a dizer uma enorme mentira, assim sendo, digo-lhes para não desistirem à primeira e para exigirem na proporção do que derem, porque se não disserem como queremos ser tratados, o mais provável é que ninguém se importe.

Quando a realidade nos acorda para as pessoas que não prestam, sacudimos os ombros e escolhemos o nosso melhor sorriso, depois só teremos que continuar em frente, para que eventualmente cheguem os que importarão.

20.5.18

De mim terás sempre tudo!

i still write love letters to my hubby and he loves it.  <3


Olá meu amor,

Eu sei que falamos todos os dias. Sei que debitamos milhares de palavras por segundo,  mas ainda assim, nunca nos cansamos de nós, porque que há sempre muito mais por dizer e para saber.

Gosto de escrever para ti e sobre ti. Gosto de me sentir importante na tua vida, de te mudar os dias e os rumos. Gosto deste amor que começou para mim, desta forma, mas que para ti apenas se limitou a crescer. Gosto da nossa parte de dia, aquela em que mais ninguém entra ou faz falta. Gosto de gostar de ti assim.

Dizes-me, quase sempre, que posso ir aprendendo a baixar as defesas e a aceitar que és quem sempre me fez falta. Até que o percebo e tento, com todas as minhas forças, parar de lutar, porque mesmo que sejas real e que digas o que sentes e esperas de mim, a verdade é que existe sempre margem para erros.

De mim, terás sempre tudo meu amor!

É o que me sopras, gritas, apregoas e recordas, todos os dias, para que nunca arrisque duvidar. É, e tem sido, com essa tua capacidade imensa, de me sentir e ver como sou, que acredito estarmos no lugar certo, para durar, para nos acompanharmos quando o corpo e alma precisarem de repousar.

De mim terás sempre tudo, não te cansas de repetir e eu tenho que acreditar, porque continua a fazer sentido e soa a verdadeiro. Foi assim no exacto momento que te reencontrei.

Um beijo, doce da mulher que te ama,

M.A.

O que é verdadeiramente importante?

strong, arrogance


Qual é a importância que dás ao que te chega, coisas e pessoas, lugares e oportunidades? Ao que recorres quando nada parece encaixar-se, ou o que dás de ti, agradecendo, quando tudo é tão certo que não precisas sequer de te mover? Como é que relativizas, ou será complicas ainda mais, cada um dos desafios que a vida te coloca?

Tudo terá a importância que lhe escolheres dar, mesmo que para isso tenhas que te reprogramar, reavaliando o que te trará paz de espírito, ou um turbilhão constante e que aumentará à medida que se adicionam os anos. Tudo é tão premente quanto a pressa que te imprimes, ou tão lento e propício a adiamentos, se não estiveres nem para aí virada. Tudo pode ser o tudo que te faltava ou o nada em que transformará o que não importa.

Já sabes o que é verdadeiramente importante na tua vida, e o que podes fazer se não o tiveres? Se te deixei a pensar, então ainda não carregas o que importa e não definiste o que te cabe por direito. Se ainda estás no começo da vida, vou entender e dar-te tempo, mas se já vais para lá de meio, tem santa paciência, por esta altura já deverias saber que no chão só mesmo os pés...

19.5.18

Se te conseguisses ouvir...


Michael Fassbender .... Hmmmm.... Love these dark portraits with light focused only on the face and upper torso. Like Rembrandt.


Se te conseguisses ouvir serias capaz de perceber que quase nunca fazes sentido!


Queres porque sim, mas recusas quem te quer. Decides porque não te imaginas noutro futuro, mas acabas a renegar o teu presente, fugindo parado. Impedes-te de ser amado e desperdiças o único amor que tanto de custou conquistar.

Se te conseguisses ouvir, no silêncio, sem os barulhos que te embrulham a vida e te deixam tão confuso, saberias que tudo o que perdeste foi porque abriste as mãos.

Ninguém mendiga amor, sentimentos, ou desejos que não parecem ter forma de crescer. Ninguém é louco, o bastante, para aceitar o que nunca chegará. Ninguém deve ver quem não existe, não para si.

Pus o meu amor no alto de mim, gostei, ainda mais, de cada pedaço que sou e dei-me a importância que tenho. Agora preciso de te começar a agradecer a recusa, porque me deixaste espaço e tempo para reencontrar quem afinal esteve sempre aqui. Tornaste-me a mulher mais completa e feliz que conheço, e saber que essa mulher sou eu, impede-me de tirar este sorriso parvo nos lábios, mas que me fica tão bem.


A vida é feita de decisões, umas mais rápidas e prementes que outras, mas que deverão e terão que ser tomadas. A vida é um mar revolto, de ondas demasiado altas. Uns saberão como esperar que se aquietem, e outros terão forma de as surfar, desafiando todos os desafios e medos que também sentem. A vida é um Universo de possibilidades para os que estão atentos e conseguem manter o coração puro e aberto aos outros. A vida é a entrada e a saída dos que terão que passar por nós, e foi por isso que entraste, que me arrebataste, e que te foste, quando te deixei ir, quando te expliquei que comigo só TUDO, só MUITO e só MELHOR.



Se me conseguisses ouvir, agora, saberias que estou cheia de um amor que já não partirá, porque encontrei quem me olhou e viu. Se me conseguisses ouvir, dir-te-ia com o peito carregado de felicidade, que te estou IMENSAMENTE grata por teres desistido. 

Depois de mim quem?



Dizias que estavas louco por mim e que me adoravas. Não te cansavas de repetir que era a única e que nunca terias um amor que se pudesse comparar ao nosso. Ouvi-te sussurrar e gritar tudo o que uma mulher gostaria de ouvir, mas a realidade foi diferente e já não estás no nosso agora, desististe de nós e o que tanto parecia ser, parou...

Depois de mim a quem será que vais repetir todas as promessas, as mesmas que aprendi a ouvir, acreditando em cada uma?

Vamos sempre ter os que planeiam sem executar, decidindo sem reflectir ou entender. Há quem nunca seja capaz de manter o que até escolheu e recebeu, talvez porque não saiba como, ou entenda que pode continuar, indefinidamente, sem ter que prestar contas. Não sei como classificar estes espécimens, provavelmente não me cabe fazê-lo, mas não consigo impedir-me de sofrer por ter acreditado, cegamente, no que não teria forma de acontecer.

Depois de mim quem é que passará pelos teus abraços ansiosos, mesmo que pouco sinceros? Depois de mim quem terá o que senti e me soube a real, como o sou até quando já não sou amada? Depois de mim quem é que te saberá amar?

18.5.18

As palavras que apenas eu entendia...

( Luv de Pose)


O meu mundo, sobretudo o das palavras, há muito que era apenas meu e não tinha eco em ninguém do outro lado de mim. O que escrevia e dizia, importava-me sobretudo a mim e ser UMA, não tendo que me dividir, nem acrescentar, fez-me endurecer e deixar de incluir!

O que tu vieste mudar e o que me vieste ensinar, é que preciso de te meter em tudo o que digo e faço, porque já não estou sozinha. Estás para ficar, movimentas-me e acrescentas-me. Responsabilizas-me por tudo o que desejo, sonho e faço acontecer. Já és a metade de que tantas vezes falei, mesmo que por vezes achasse que seria apenas mais uma palavra. Lembras-me, a cada minuto, de que forma te devo tratar e é por isso que estou a prestar mais atenção.

As palavras que agora debito, encontram um adversário à altura, nunca ficam sem resposta, nunca me deixam no vazio, e sobretudo, nunca me permitem duvidar  do que representas para mim.  As palavras que agora lês e ouves, tocam-te, infligem-te prazer, dor, medos e todas as emoções que apenas elas sabem como passar. As minhas palavras, agora, servem para que vás sabendo mais sobre mim, quem sou, quem fui, e quem era lá atrás quando passaste, mas não ficaste.

Sou demasiado coração na boca, sentimentos soltos, movimentos que não sabia parar e não precisava, porque era apenas eu, porque amava, mas não tinha retorno, porque esperava, para nunca ver chegar, mas deixou de ser assim, e agora vou ter que pesar, medir, olhar e ver mesmo. Agora que estás no meu percurso e que tudo o que sentes me toca, tenho que saber como cuidar de ti, dando-me na proporção certa e usando as palavras a nosso favor.

17.5.18

O que faria e seria se existisses?



Dava tudo o que tenho para ter tudo o que representas, porque és bem mais do que preciso!

Deve saber BEM ouvir algo parecido. Haverá certamente quem ande por aí a desbaratar palavras tão intensas e motivadoras quanto estas, gostava de saber onde, melhor ainda, matava por encontrar pessoas assim, com conteúdo, vontade e coragem acima da média, porque no geral anda tudo a rastejar pelo chão, literalmente, sem vontade de usar ambos os pés, muito menos o coração ou os neurónios.

Será que nos vamos endurecendo, amargando e desistindo, à medida que todos os outros já parecem ter desistido de existir? Será mais fácil termos as mesmas cores e misturarmo-nos com todos os outros? Será loucura querer que alguém nos enlouqueça enquanto se sente incapaz de sobreviver à nossa falta?

Dava tudo para encontrar a metade que reconheceria a minha, mesmo que não se encaixasse inteira, mas que soubesse onde se colocar para que ambos tivéssemos um lugar definido. Com o uso exacerbado de tantas palavras, penso que já passei a ser um caso perdido, talvez por isso ainda esteja à espera de ouvir o que ninguém parece ser capaz de dizer, not as if they really mean it!


16.5.18

Destino, escolhas ou a falta delas...

Sensuali


O que temos. O que nos falta. O que somos e o que nunca conseguiremos ser, terá certamente uma explicação aceitável, mas é muito difícil, ou praticamente impossível, que aceitemos o que não nos acerta.

Destino, escolhas ou a falta delas. É a nós que nos cabe analisar de que forma nos temos conduzido, porque apenas assim poderemos reverter erros dum passado que nos ensombra, mas que já não está mais aqui. Se adivinhássemos nunca nos perdíamos, mas algumas das burrices são tão óbvias que a dor permanecerá por tempo indeterminado. Talvez com o perdão e a aceitação da incapacidade natural nos segure um pouco mais, mas que dói isso dói.

O que é suposto aprender? O que foi que não consegui entender ou ver? Temos que nos perguntar, todos os dias, de que modo caminhamos e até onde acabaremos a chegar, se não tivermos um plano, se não soubermos ler as coordenadas e se insistirmos no que não resulta.

Se fosse destino seríamos apenas marionetas sem vontade própria. Por isso eu aposto nas escolhas, as que não nos caberiam fazer e as que fizemos mesmo depois de sabermos que não deveria ser daquela forma. 

Destino, fim ou resultado de uma determinada acção, mas desenganem-se os que escolhem não escolher nada, achando que se safam, porque não fazer nada também é uma acção. Por mim falo sempre e é por mim que escolho fazer, sendo e agindo, porque se correr mal, pelo menos tentei. O poder é meu!

Tatuado em mim porque o permiti!

Inked


Tatuado em mim, por agora, mas a saber-me a um sempre que certamente me deixará em apuros. Tatuado em mim até que já não consiga distinguir o que era do que passei a ser!

Já não tenho como dizer ou explicar por que razão me deixo envolver assim, anulando a vontade de continuar, por mim e comigo em cada passo. Há tão pouco do tudo que tanto me levou a criar, que me entrego à vontade de arrancar, sem anestesia, pedaços de todos os que votei para ti.

Tem sido uma viagem longa, sem ti, mas contigo até quando não penso, ou me distancio do que estou a fazer e a dizer. Pareço saber cada dia menos, mesmo que vá sabendo codificar este amor obstinado e dolorido, entendendo que não é certo, porque me faz mal. Não és tu que me magoas. Não é de ti que me chega esta vontade de te ter, porque na verdade não sei o que significa. Não tenho como te culpar, até porque tens estado tão distante de tudo o que sinto, que já não deveria estar a sentir nada...

Estás tatuado em mim porque o permiti e é a mim que me cabe arrancar-te. Estás tatuado, mas as imagens estão cada vez mais sumidas e pequenas, deixando com a leve esperança de que um dia, talvez até mesmo amanhã, de tanto te ter e querer, já não serei capaz de mais.

15.5.18

Qual o valor duma promessa?

Photo


Qual o valor duma promessa? O que significa, para mim, ouvir-te dizer que será para sempre e que estarás do meu lado até que não estar seja inevitável? Qual o valor que dou à promessa que me fazes todos os dias? É enorme, enche-me a alma e não me permite duvidar, porque sem ti permaneço sem a luz que o dia me dá, sem o amor que não quero perder e sem o ar que nunca posso deixar de ter, mesmo e sobretudo quando nos beijamos de forma sôfrega, numa entrega que apenas conseguem os que se reconhecem.

As promessas vão chegando, encadeadas, perfeitas, como é perfeito o que sinto por ti. As promessas que me trazias antes, mas que apenas agora ousei ouvir, já não saem de mim. As promessas, as tuas, que se colam às minhas, restauram as noites mais longas, como longo está a ser o tempo para te voltar a ter.

Tudo o que sinto passo para ti, e explico, sempre que posso, que és tu e que terás que ficar, porque sem ti não haverá luz, nem amor que resista ao que deixaria de acontecer se não nos tivéssemos. Já sabes, porque te digo, que até de olhos fechados te consigo ver, e que te sinto, até quando achas que me foges e me deixas a sentir como é pouco o que ainda tenho. O valor que dou a tudo o que me passas e o valor que ponho em tudo o que te prometo, tem feito crescer este amor que reinventámos.

O meu vazio, aquele que fui enchendo e preenchendo com tudo o que sei fazer, ficou pleno, agora, mas das emoções certas. A forma como dava, cada passo, inverteu-se, e a vontade de ir, mais rápido, mas com mais firmeza, ampliou-se até quase me sentir no ar, a flutuar naquele do qual me alimento para me alimentar de ti. O que te prometi é para cumprir, e o que passei a ser, por ti, é para te ver sorrir mais vezes, de forma mais segura, impedindo-te de duvidar de até onde estarei disposta a ir para te manter. O que te prometi foi que te amaria, e amar-te será o que farei até que já não seja mais possível, porque aí teremos findado, tu e eu!

14.5.18

O ataque é a melhor defesa...

Powerful Female Portraits by Brian Ypperciel #inspiration #photography

O ataque é a melhor defesa!

É desta forma que muitos, se não a maioria, se movimenta na vida, atacando antes que o façam, gritando mais alto, para que os outros não possam ter voz e desistindo porque continuar obriga a mudanças.

O ataque é a melhor defesa e eu mesma já tive ocasião de testar esta máxima, por isso garanto que resulta. Vamos primeiro à linha da frente e desferimos golpes que ferem mortalmente quem não estava preparado. A necessidade de nos defendermos constantemente dos outros, chega como uma sinal vermelho que nos impede, supostamente, de cair. Estamos sempre com ambos os pés atrás e quando os mais incautos se decidem a acreditar nos outros e na capacidade do mundo se movimentar da forma certa, dão-se mal.

Não sei muito bem que conselho dar, não que me tivesse sido pedido, mas gostaria de poder dizer que não é a desconfiar que confiamos, eventualmente, no outro. Adora poder assegurar, sobretudo aos meus, que é julgando por nós que veremos a verdadeira essência dos que chegam até nós. Dava tudo para não ser a profeta da desgraça, e quiçá o exemplo vivo de que podemos baixar os muros e viver sem demasiadas dores emocionais, mas não posso e não devo, não vão depois atirar-me com dedos acusatórios e risos de escárnio.

O ataque é a melhor defesa, é um facto e vale mais vivo e em pé do que caído e sem esperança, por isso e já que parece assim estar determinado, comecem por matar antes de morrerem, mas depois não digam que não terão nem um vislumbre dos que possam valer a pena, porque não saberão quem são!

13.5.18

Sonhar é o que nos acorda para a vida!

Fire In The Sky - <a href="http://tjdrysdale.com/">Website</a> <a href="http://tjdrysdale.artistwebsites.com/">Shop</a> <a href="https://www.facebook.com/TJDrysdale">Facebook</a> <a href="https://instagram.com/tjdrysdale_photography/">Instagram</a>  Model: Victoria Yore


É preciso possuir uma boa dose de sonhos para fazer sonhar. Nada como conseguirmos imaginar para além do que vivemos, diariamente, para que tudo saia do vulgar e do comum. Precisamos, todos, de muita loucura associada a cada sonho, para que sonhar não seja apenas uma forma de fugir, mas uma corrida para os lugares certos.

Experimenta sonhar acordada, colocando cada peça nos lugares mais improváveis e vais ver que até as cores se misturam ao contrário para criar a tua paleta. Experimenta provar, saboreando e lambuzando-te, o que até julgavas ser amargo, ele se adoçará miraculosamente. Experimenta voar, ao invés de apenas caminhares e acabarás por te elevares sem qualquer receio das quedas. Experimenta não esperares por nada, tendo já tudo e acabarás por receber o que te pertence.

Sonhar é o que nos acorda para a vida, sobretudo se andarmos a dormir na forma, esquecendo-nos do essencial, crescendo demasiado rápido e parando de acreditar no que até existe. Sonhar permite-nos olhar para os outros como personagens que se enquadram e fazem sentido. Sonhar é o que não desisto de fazer, sobretudo porque me permito misturar todo o absurdo de que sou feita, com a realidade que vou criando, até porque se parar de sonhar, nada do que escrever terá impacto. Sonhar foi o que comecei por fazer quando teclei as primeiras palavras e olhem até onde me trouxe...

Para ti há sempre tempo!

Saatchi Art Artist LOUI JOVER; Drawing, “silent jungle...” #art


Para ti há sempre tempo, porque o meu corre na tua direcção e o meu tempo só serve e faz sentido se o teu existir. Há sempre tempo para se amar quem nos ama. Há sempre tempo, mesmo que seja reduzido e sem todas as horas que usamos a cada dia. Quem quer, realmente e quem precisa de precisar do outro, arranja sempre tempo.

Tenho tanto que fazer, tantos para cuidar, tanto para decidir, mas se não estás no que decido e se não te encontro no que faço, o meu tempo esvai-se, escapa-se-me das mãos e corre na direcção errada, deixando-me com tão pouco de mim, que fico sem o que me faz falta, sem ti.

Não sei como devo continuar se não ficares, se não estiveres e se não me deres o que tanto pareço precisar. Não me apetece parar, mas sei que preciso de me parar, porque o ponteiro da energia está a descer e o que me mantinha viva, as tuas mãos, o teu olhar e a tua voz, faz-me tanta falta, que nem o tempo parece repôr o que estou a perder.

Não sei como estar sem ti. Não entendo como posso sobreviver à tua ausência, porque és tu que me alimentas e me recordas do que deve ser feito para que o continue a fazer. Não sei, nem quero, recomeçar, tu és a minha âncora, a força de que me alimento para não morrer. Não sei usar o meu tempo quando o teu não existe.

Será que estou a fazer sentido, ou apenas a deixar-me sentir, sem muito que possa ser usado?

Não vou aguentar muito mais, preciso que venhas, que me toques e que me acordes deste sonho que não tem cor, nem lugar, nem sequer personagens.

Muda o tempo, por favor, e ajusta-o para que te tenha outra vez, porque quero voltar lá, ao lugar onde já estávamos os dois!

11.5.18

Para que servem os testes emocionais?

Parfum Wanita Terlaris Sepanjang Masa |Natalia Vodianova The legend of #Shalimar by Guerlain| http://drparfume.com/parfum-wanita-terlaris-sepanjang-masa/ #parfum #parfumwanita #parfumpria #parfumwanitaterlaris


Não consigo deixar de pensar nas razões pelas quais a vida nos chega, por vezes, desenfreada e a abalroar tudo e todos. Talvez seja para nos recordar que não controlamos nada. Serão testes? Serão voltas e reviravoltas necessárias e inevitáveis? Serão descuidos ou desatenções?

Para que servem os testes emocionais?

Para nos posicionar-mos melhor. Para sabermos quando recomeçar e reavaliar. Para que não nos acomodemos, sobretudo ao mau. Não termos como segurar o que nos foge das mãos, deveria servir para que agarrássemos tudo com mais atenção e entrega. Não podermos escolher de que forma correm os dias, até quando desatamos a correr, achando que chegaremos mais depressa, deveria fazer-nos escolher melhor.  

Os testes emocionais chegam até nós em forma de pessoas, lugares, objectos e até palavras, as que ouvimos e as que precisávamos de ter ouvido para sermos diferentes, mas a verdade é que se não acontecessem, nunca saberíamos qual o verdadeiro sabor do que deve ser saboreado, inalado e entranhado para ficar. Os testes emocionais validam a nossa força, a que temos, ou a que nunca seremos capazes de encontrar. Por isso alguns passam e continuam e outros sucumbem!

10.5.18

És adaptável ou consistente?

Cool head


Trabalhar quem somos, o que pensamos e a forma como nos comportamos, tem timings, sequências e exigências que nem sempre analisamos, não com o cuidado que lhe é devido. Consistência, eu era fã desta palavra, mas passei a gostar muito da adaptabilidade, porque é possível mudar e permitir que a consistência seja reavaliada. Por norma sou consistente, mas ultimamente dou comigo a ter a versatilidade que me deixa reavaliar o que tanto achei ser correcto, sobretudo para mim.

Sou obviamente consistente com o que acredito, mas aberta a novas formas de ver este mundo, que não sendo apenas meu, tem cores que nem eu mesma conheço, ou reconheço. Sou consistente com o que faço, mas já me depararei com novas formas de fazer e até muito mais bem-sucedidas. Sou consistente com a forma como olho os outros, mas é tão engraçado perceber que até os consigo olhar com mais benevolência, ou respeito, quando me permito olhar sem julgar.

O que mais desejo, especialmente daqueles a quem amo, é que me vejam como sou, aceitando que sofri mudanças necessárias e que o meu crescimento acrescentou-me mais e melhor. Ser vista realmente, em tudo o que empreendo, percebendo o meu percurso, que até pode ser ajustado, porque é ajustável de cada vez que tenha recomeços e sempre que alguém novo chegar, é o que preciso para me manter e continuar.

Estou a sentir, agora mais do que antes, que já sou vista e quase quase, entendida, não por todos, porque não seria possível, mas por quem me consegue mudar, embalando-me em melodias novas e que me soam ao que já esperava ouvir desde que iniciei o meu processo de crescimento. Sou consistente em toda a minha adaptabilidade e é isso que me importa!

9.5.18

Blogs Portugal

Resultado de imagem para blogs portugal


A minha experiência com esta plataforma tem-me permitido um maior crescimento e alargado os meus horizontes. A possibilidade de parcerias reais com as marcas é mais facilitada e o ranking é respeitado por todos.

Espero continuar a crescer e a fazer parte desta comunidade incontornável de influnciadores, com o apoio e validação desta grande plataforma.

Longa vida aos bloggers e a Blogs Portugal

8.5.18

Quem consegue amar apenas metade do tempo?

Portrait Photography Inspiration    Picture    Description  Stefan Gesell Photography


Quem consegue amar apenas metade do tempo, quando der jeito, quando for conveniente, e quando a agenda o permitir? Quem acredita, ainda, que as emoções se compartimentam e podem ser deixadas onde não perturbem demasiado? Quem poderá querer apenas umas migalhas, quando o bolo inteiro é tão mais doce e apetecível?

Vamos ter sempre os cidadãos de primeira e de segunda fila. Os que fazem acontecer e os que esperam, pacientes, como fazem os abutres, pelas peças já mortas e sem vida. Bem, cada um come do que gosta, quanto a isso, nada a declarar! Alguns dos argumentos usados, mesmo que possam parecer muito válidos, apenas convencerão os tolos, porque no campo dos afectos, dos sentimentos e das relações, é mesmo assim que se passa, só aceita quem quer e só rejeita quem duvida e quer mais. Teremos, sempre, os que se escudam nas impossibilidades que apenas eles conseguem ver. Teremos, sempre, os pequenos, os que se deixaram encolher e que se escondem qual ratos, da vida. (Que raio, hoje estou muito para o lado dos bichinhos).

Vou continuar e desconfio que durante todo o tempo que andar por aqui, a achar que nunca saberei como lidar com os pobres de alma, com os que recusam ver e ser vistos e com todos quantos apenas vieram para nos roubar algum ar.  Juro que me esforço, mas depois sobem-me uns calores, que só correndo, e muito, poderei conseguir que passem. Querem melhor anti - emagrecimento? É só estarem rodeados de gente negativa, medrosa, morta, porque morreu mesmo sem ter dado conta. 

Quem consegue apenas passar por aqui, nunca poderá reclamar de nada, nem de ninguém, porque quando se abdica do direito de ser diferente, é-se apenas mais um!

7.5.18

Não queiras ficar sozinho...

Grayscale Photography of Human Left Eye


Não te afastes dos que te podem segurar as mãos. Não deixes de lado quem um dia se poderá pôr ao teu lado, curando-te das dores que te vão mesmo doer, sobretudo se estiveres só. Não queiras ficar sozinho porque a solidão pode ser uma morte lenta e devagar só deves querer o amor.

Não te estou a dizer que te agarres, de qualquer forma e feitio, a quem não te mate a solidão. Não vale tudo, porque não importa quem nunca se importar e porque não precisas de precisar sempre e nunca ter. Não te estou a motivar a procurar grilhetas emocionais, mas a quereres ficar preso a quem te motiva à partilha, à entrega e ao amor, o que te desejo, porque posso, é que não te afastes, irremediavelmente, de quem te poderá salvar.

Não queiras ficar sozinho, não vai compensar, mas se eventualmente acontecer, espero que estejas verdadeiramente preparado!


5.5.18

Comigo só fica quem está comigo!

active, activity, adventure


Já não desperdiço tempo precioso com quem não está, verdadeiramente, comigo, e estar comigo é saber de mim, o que sou, faço, quero e luto por ter. Comigo só fica quem está comigo e deixei de fazer concepções. Não adianta procurar por quem nos procura e tentar falar sobre o que não têm forma de ouvir ou entender. A minha determinação não pode, nem deve, ser confundida com arrogância, até porque em momento algum me considero mais, já melhor, isso sim, lamento, mas a verdade é que existem seres que não valem o chão que pisam e esses NUNCA poderão ficar comigo.

A vida vem com prazo de validade. Ela é-nos oferecida, mas tem que ser agradecida e respeitada. A vida é o agora, depois de tudo o que o ontem nos ensinou e tentou preparar para o amanhã. A vida é o que queremos fazer dela e eu quero TUDO o que a possa tornar mais grandiosa e válida.

Deixei de querer saber dos que se arredaram. Não procuro, nem peço qualquer tipo de ajuda, porque eu sei quando devo oferecer a minha, bastando que saiba dos que são importantes para mim. Deixei de valorizar os que estão presentes uma vez por ano, ou duas se considerarmos o Natal. Deixei de querer ouvir sobre o que conquistaram e que espero seja muito, porque não estiveram presentes nas minhas conquistas. Deixei de me esforçar e desisti de quem desistiu de mim.

Comigo só fica quem está comigo, determinadamente e não forçosamente numa base diária, mas quem se importa e sabe do que sei, encontra-me a meio caminho e percorremos juntos o restante. É a isto que chamo amizade!

4.5.18

Deixaste de ser importante...

Yeah Printed White Board


Que sensação de alívio se instala, quando percebemos que o que não era importante finalmente deixou de o ser, em nós. A nossa teimosia e tentativa, muitas das vezes descabida, de querer reverter o que já há muito morreu, força-nos a um uso anormal de energias, as mesmas que nos faziam tanta falta e que desperdiçámos. "Deixaste de ser importante e eu voltei ao primeiro lugar da fila. Andei por aqui a arrastar-me, meia adormecida e de repente até me tornei uma enorme expert em relações e sentimentos, mas sem saber nada do que acabou por me chegar" 

UFA, que alívio. Que sabor doce de volta aos meus lábios. Que adormecer tranquilo e acordar revigorado. Deixar de te ter, sem qualquer mágoa ou recordação amarga, libertou-me para o que ainda me falta fazer. Ter-te veio na altura certa, isso aprendi, mas como terias que te ir, com a minha permissão, coube-me o trabalho de trabalhar a tua despedida. O que sinto hoje é que já tens o teu lugar, lá, bem arrumado, onde arrumo tudo o que perco e que agora aceito de sorriso nos lábios, é que deixaste de ser importante!

Estou longe, a anos luz, das lamechices habituais que abraçam as mulheres com grilhetas bem visíveis. Não gosto do papel de mártir e abomino as lamúrias eternas. Gosto do que é simples, natural e do que pode ser catalogado, tendo um nome, um lugar e um tempo. Preciso, mais do que muita gente, de estabilidade emocional para criar, para ser inteira e para recomeçar a cada dia, porque todos eles são diferentes. Recuso os pesos que me impedem os passos ligeiros. Desejo, ardentemente, a segurança que passo aos meus e que deve estar dentro de mim, por isso procuro-a e vou, determinada, atrás do que tem que ser meu e olhem que preciso de muito pouco que seja palpável, mas já do que apenas eu vejo e sinto...

Deixaste de ser importante e deixei de querer saber da importância que tiveste antes, é que quem não aparece esquece e tudo o que se deixa de sentir, morre!

2.5.18

Perguntem que eu respondo!



Mudar eu mudo, tantas vezes quantas possa e entenda ser necessário, por isso mudei, outra vez. Já sou para lá de profissional. Já consigo antever o que vai acontecer e esperar pelo inesperado. Nunca é fácil e não vou dizer que se vá tornando, há medida que as mudanças aumentem, mas o antes, a preparação para o dia D, já tem uma estrutura definida.

Quantas vezes já me mudei? Perguntem que eu respondo. Nops, não me atrevo, mas adianto que foi para lá de muitas. O que posso responder é que a cada mudança procurei melhor, ter mais e subir uns quantos degraus. Não foi sempre assim, porque por vezes até os maus nos surpreendem e conseguem ser ainda piores, mas a carapaça fica mais dura e na luta passo a ter mais armas e eventuais meios de defesa.

Mudar muda-nos os pólos, também os baralha, confesso, mas por vezes até passam a enquadrar-se melhor, activando a perspectiva da coisa. Sou, por que me fiz, muito mais organizada, diminuindo o que não tem que caber, para excluir o que não nos faz falta e o bom de tudo isto é que sou eu a determiná-lo. Acreditem que não tenho como vos descrever o prazer que me dá desenvencilhar-me da "tralha". 

Com tanta conversa certamente que já perceberam que me voltei a mudar. YES, mas desta vez soube-me pela vida. Deixei para trás gente cáustica, azeda e desprovida de conteúdo. A viagem foi mais longa e ainda não terminou, mas foi a certa e senti na altura, tal como sinto agora, que mudar é o que me muda para melhor.

Se vou continuar a mudar? Perguntem que eu respondo!

1.5.18

Amar-te faz-me ser assim!

Schön! Juan Betancourt Dresses Up for Franck Glenisson Shoot


Amar-te é saber como ir ouvindo os teus pensamentos, os que manténs tão organizados, que me desorganizas todo por dentro. Não precisas de falar e só tens que ir olhando para mim e para todas as outras coisas, para que saiba tudo o que preciso de saber sobre ti. Amar-te é este exercício diário e louco de te querer agradar, sabendo que ter-te é o que mantém junto cada um dos meus pedaços, os que consegues reconstruir apenas com alguns sorrisos. Amar-te faz-me ser assim, desprovido de outra vontade que não passe por ti.

Não quero centrar a minha vida na tua. Esforço-me, diariamente, por não depender de ti, mas a verdade é que preciso de te ter e de te saber por perto. Alimentas-me. Consomes-me. Viras-me e reviras do avesso, mas encontras sempre o melhor de mim. Não quero parecer egoísta e não tomo o teu amor por garantido, mas aprendo contigo que somos o que fazemos e eventualmente teremos de volta, por isso dou, muito, sempre e recebo, porque tu tens na mesma proporção.

Amar-te faz-se ser assim, como nunca me soube, mas que parece duplicar-me, dando-me as forças e a vontade que nenhuma outra arranca, não enquanto te amar!

29.4.18

Queres saber o que é a magia?

adscoupleslove: “ ”


Queres saber o que é a magia? É tudo o que te transforma, para melhor. É o fogo que te sossega e a água morna que te agita, mesmo que venha dum mar picado. Magia é seres capaz de mudar os que estão à tua volta, dando-lhes o que lhes acrescenta, enquanto tu mesma te sentes magicamente maior, poderosa e bonita, num sorriso constante que parece vir de dentro e que nada ou ninguém impede de acontecer. A magia acontece quando já encontraste as respostas e apenas segues, determinada, os caminhos que a vida te aponta. A magia deixa-te num estado de alma que te faz brilhar e destaca de todos os outros e é quando a magia te envolve, que consegues ver com clareza até o que não está na tua frente.

A cada dia, algures, teremos quem consiga entender melhor e mais rapidamente cada emoção, até as que ninguém parece saber explicar, reduzindo o que não importa e ampliando o que acabará por ter resultados práticos. São mágicos os que se fazem amar, de forma simples, sem qualquer esforço, e incendiando corações há muito apagados. São mágicos, porque não desistem e porque querem o retorno de cada entrega, sentindo a dobrar.

Queres saber o que é a magia? É a certeza, ao acordares, de que tens ou terás, do teu lado, quem nunca deixará de te ver, reconhecendo-te mesmo quando mudares e vais fazê-lo a cada 

Sonhar acordado ajuda?

pinterest : clairegravess ☼☾


Ajuda muito ser capaz de visualizar, saborear e sentir o que sonhamos e nada melhor do que o fazer acordado. Já testei e acreditem que funciona!

Sonhar acordado tem uma duração infinita, pode acontecer a cada segundo, multiplicado por todos os minutos que tivermos livres. Sonhar acordado melhora a saúde física e mental. Redobra o cuidado connosco e estimula-nos a dar mais e melhor ao outro. Sonhar acordado carrega todas as palavras que não usamos naturalmente, talvez pelo receio de nos excedermos, mas nos sonhos não existem excessos. Nos sonhos temos superpoderes e podemos tudo. Podemos até e ainda, receber de volta o amor de quem não nos ama. Sonhar acordado acorda-nos para o que a vida tem para oferecer e é tanto que nem a sonhar nos enchemos.

Sonhar acordado ajuda? Digam-me os que já tentaram e confirmem o que fizeram acontecer depois de tanto sonhar!

28.4.18

Toda a gente se apaixona...

I wish that such energy and passion would feel for my work as I feel about you. ;-)


Toda a gente se apaixona. Umas vezes da forma certa, mas já outras, sentindo que tudo é tão errado, que nenhuma razão será capaz de suportar a maior de todas, a loucura momentânea que nos invade e contamina o sangue. Toda a gente se apaixona, nem que seja uma vez na vida e quando acontece, ficamos a saber por que razão lutamos, tanto, por sentir o que mais nada consegue. Toda a gente se apaixona e mesmo que não tenha acertado, certamente que valerá a pena.

Acordarmos sem precisar de procurar por mais nada ou alguém. Ter o dia todo para nós, porque apenas nós parecemos importar e possuir a receita para a felicidade. Respirarmos sem sabermos quando inspirar o ar que não parece bastar e impedindo-o de voltar a sair. Rirmos sem razão aparente, ou tendo todas as que bastam. Chorarmos porque sentimos, e a verdade é que ele pode tornar-se real. Sofrermos por antecipação, ou apenas deixarmo-nos ir, sem qualquer plano válido. 

O que mais nos consegue deixar assim?

Toda a gente se apaixona e quem disser o contrário certamente que ainda não começou a viver!

Não me quero lembrar de ti!



O meu mundo fecha-se, ensombra-se e escurece quando me lembro de ti. Ter-te no pensamento impede o meu futuro de brilhar e nada do que conquisto tem o sabor que mereço. Saber o que fazes e com quem, deixa-me imóvel e dorida por dentro, por isso não me quero lembrar de ti. Não preciso de rebobinar as mágoas e os momentos que acabaram apenas por ser meus, porque nunca estiveste.

Não quero ser das que se afoga nas suas próprias lágrimas e se lamenta, dia após dia, pelo que não teve e nunca chegou. Preciso de ter sorrisos genuínos e momentos apenas meus, comigo e a saber do que sei para que chegue quem ficará. Não gosto do preto e branco quando posso ter o azul brilhante e que me alimenta a alma. Não aceito que não me escolham por inteiro e que não consigam ver como sou. Não quero dores eternas, nem amores que apenas um consegue sentir e é por isso que não me quero lembrar de ti.

Sei, melhor do que ninguém e ainda mais do que tu, a pessoa cujo nome já nem repito com medo de repetir tudo o que me fez sofrer, que sou capaz de tudo por mim. Sei que ninguém me voltará a tratar mal. Sei porque o determinei e cansei de esperar. Sei que a minha importância cresceu e que o meu olhar apenas se quer pousar em quem me olhe de volta e me ame como sou capaz.

Não me quero lembrar de ti como fazia antes e certamente que sendo assim, determinada e obstinada, o conseguirei fazer, sendo tão bem-sucedida em apagar-te, quanto fui em te reconhecer. Não me quero lembrar de ti, é uma ordem e vou acatá-la a partir de hoje!

27.4.18

Apaga as luzes e vem...


O que tenho em mente certamente que te vai deixar como me deixas sempre, pronta, mais apaixonada e carregada de todo o prazer que te quero passar, por isso apaga as luzes e vem, vem que a nossa música vai começar a tocar!

Hoje o dia é todo para ti e já há muito que penso nisto. Deixas-me envolto numa vontade de ti que não diminui e nada parece conseguir acalmar, nem sequer essa boca que quase me enlouquece quando se cola à minha e me assegura que é nela que quero permanecer. Deixas-me capaz de todo o arrojo,  mesmo que sejas tão tranquila nesse fogo inato que não preciso de me exceder, fá-lo tu, aparentemente sozinha, de sorriso malandro e olhar que me mata, cada dia mais, para me fazer voltar a viver.

Apaga as luzes e vem até a mim, estou à espera de tocar cada pedaço desse corpo que dizes ser meu. Estou a sentir as batidas da música que se misturam com o bater do meu coração, aceleradas e suaves, apressadas e duma lentidão que me permitem ver-te, centímetro a centímetro, linda, segura e minha.

Apaga as luzes e vem, estou pronto para ti...

Quando soltas as amarras...

inspirational fashion photography - Google Search


" Larga o que não te agarra" - Assim diz o Gustavo Santos, o mesmo que hoje tive o prazer de ver, inusitadamente, numa pastelaria em Ponte de Sôr e não pude deixar de sorrir perante as considerações que teceu nesse livro, porque fazem TANTO sentido. E não, não fui capaz de incomodar o senhor que estava acompanhado da linda esposa, nem sequer para uma selfie que provaria o que não sou forçada a provar. Prontus!

Quando soltamos as amarras e nos permitimos aceitar que nem sempre acertamos, que por vezes fazemos julgamentos errados sobre as pessoas e que elas têm o direito de nos desiludir, mas nunca nos iludindo demasiado tempo, enchemo-nos de uma liberdade que nos percorre o corpo por inteiro. Não deveríamos gastar o que nos é tão precioso, sobretudo a paciência e os momentos que passam demasiado rápido para serem descurados. Na nossa vida irá permanecer quem a ela pertença, todos os outros, passarão, tal como fazem alguns comboios, seguindo para as suas estações de origem.

Ando demasiado centrada em mim mesma para tentar entender quem não se entende. Já não movo um músculo e eles ainda andam doridos com tanto empenho físico e mudanças emocionais, para chegar a quem nunca esteve verdadeiramente comigo. Preciso, cada vez mais, de deixar que os outros sejam eles mesmos, sem qualquer cobrança, porque não pretendo ensinar-lhes nada. Sinto-me tão cheia de tudo, que não existem brechas para os vazios de conteúdo e vontade e há tanta gente vazia por aí...

"Pelo amor da Santa", como tantas vezes digo, façam-se à vida. Escolham quem vos conseguir agarrar, ou empurrem, com toda a vossa força, quem não vos segurar sequer a mão. Há muito para além do que vemos bem de frente a nós. Há mais vida, lugares, pessoas e amores que poderão ou não ser os que esperamos, mas que enquanto vão e vêm, nos recordam da nossa importância.

Quando soltamos as amarras meus amigos, nunca mais nada nos consegue condicionar e como aprender significa seguir em frente e mudar, considero-me oficialmente mudada, para melhor!

26.4.18

O que é que me faz falta?

Dreamer ” @Commaa Lopez


O que é que me faz falta? A verdade é que preciso de cada vez menos. Espero por muito pouco, ou por quase nada, de quem não se pareça comigo, mas continuo a sonhar, livremente e sem qualquer vontade de sentir ou ter amarras.

Faz-me falta gente verdadeira e com conteúdo. Agora já exijo, por perto, quem não precise de ser formatado, porque nunca será essa a minha função e porque já aprendi que não mudamos ninguém. Faz-me falta fazer falta a alguém, de forma genuína e sem demasiados esforços, sendo quem sou, mas reconhecida por quem passou a ser meu. Faz-me falta mais umas quantas certezas, mesmo que já saiba viver sem respostas.

Já passou o tempo de entender o que me faltava para ser mais inteira. Já não procuro, desmedidamente, pelo que não me cabe encontrar, nem sequer respostas, essas terão que ir chegando naturalmente. Já não quero ser a que domina ou sabe tudo, não para os outros. Já não tomo por garantido o meu tempo, porque esse sim faz-me falta.

Agora sei que só me poderias realmente fazer alguma falta, se fosses quem preciso para me sentir mais completa!

24.4.18

Forças que chegam quando precisamos delas



Forças que chegam sempre que precisamos delas, para nos adaptarmos, para podermos prosseguir e para nos vermos onde apenas será possível!

Estás a surpreender pela tua capacidade de cuidares de todas nós, de ires à luta e de fazeres acontecer. Era assim que te via, mas foste-te perdendo, aceitando o que te chegava sem protestar, deixando que escolhessem por ti, que te dessem o que achavam certo e ficando mais pequena, mais infeliz, menos tu.

Sei que te alimentas do que esperamos deste lado e que sabes que estamos prontas para te seguir, para arrumar as malas que até já estão feitas e apanhar o avião da vida. Sei que isso te dá alento e que consegues ver o que nos está reservado e o quanto poderemos ainda rir de tudo isto, até do que pareceu tão gigante que nos fazia olhar para cima, mas afinal percebendo que grandes somos nós, se quisermos. Um dia estaremos, as quatro, a beber um vinho, (para mim terá que ser doce), a olhar o horizonte e sabendo que já não temos medo de nada, porque somos a força que cada uma imprime às outras e que temos tudo para dar certo. Um dia, já no nosso futuro, teremos quem nos segure as mãos nos momentos mais duros. Um dia, eu, tu e elas, teremos as suas metades definidas e a felicidade que transportaremos sobrará para todos que queiram e sejam capazes de estar onde estivermos nós.

Eu sou assim, este ser que sente para além do que se vê, por isso sei que tudo o que escrevi é tão verdade quanto é o amor que vos tenho!

23.4.18

Sentir em câmara lenta!

"You get in life what you have the courage to ask for." — Oprah Winfrey


Por que razão sinto os embates em câmara lenta?

Juro-vos que por vezes nem eu mesma me consigo classificar. Sou tão estranhamente estranha e ao mesmo tempo tão natural, pelo menos aparento, que já desisti de entender o que sinto quando, aparentemente, não estou a sentir nada. Pode estar a desabar o mundo, mas se não for a personagem principal ou o cerne da acção, remeto as considerações para mais tarde e torno-me automática, quase desprovida de emoções. Será uma defesa? Muito provavelmente, mas é sobretudo uma forma de sobreviver, protegendo o coração, afinal de contas ainda me faz imensa falta e quero-o em bom estado.

First things first!

Comigo funciona assim, primeiro resolvo, cuido e faço acontecer. Depois, mais tarde, regra geral sozinha, analiso e permito-me sentir. Não raras vezes dou comigo numa experiência fora de corpo, atrasando o que a acontecer mais cedo, certamente me derrotaria. Funciona e confere-me uma carapaça que vai engrossando com o passar do tempo.

Para o que serviria se me deixasse stressar, ou entrasse em pânico? Quem poderia depender de mim, ou confiar que tenho forma de solucionar o que nos surge, se tivesse medos infundados? Onde ou de que forma me restauraria se me deixasse partir?

Estão a perceber agora por que razão sinto os embates em câmara lenta? É que não há outra forma de continuar em pé!

22.4.18

Deixa-me amar-te como posso e sei!

beautiful couple


Deixa-me continuar a ser como me julgaste ver e não queiras mudar uma vírgula. Deixa que te ame, apressadamente, na aparente loucura que todos apontam, porque apenas assim o meu amor valerá a pena. Deixa-me sorver-te, pedaço a pedaço, sentindo e usufruindo da pele que me sossega e do corpo que me alimenta, de fogo, luxúria e muito desejo. Não reclames do que te dou em demasia. Não descures o cuidado, mesmo que excessivo, porque é com ele que te recordo da importância que tens para mim.

Estamos rodeados de amores sem sabor. Corpos que se encontram, mas nunca se tocam. Pessoas que não se misturam e nem se reconhecem. Estamos cada dia mais sozinhos, mas não nós, nunca nós, porque apenas nos temos se nos tivermos realmente, sem qualquer recusa, ou sequer medida.

Deixa-me continuar a ser o homem que amaste de sopetão, numa entrega que quase me assustou, mas que me soube pela vida, a mesma que não planeio manter se não te tiver. Deixa-me continuar a fazer o que te faz feliz!


20.4.18

Não desistas de mim!



Não desistas de mim. Mantém-te no meu abraço e respira, comigo, enquanto inspiras as energias que te passo. Não desistas do amor que escolhemos partilhar os dois, quando no mesmo momento e lugar, nos vimos e reconhecemos!

És tu, foste sempre tu, a mulher que me fez procurar até pelo que não sabia fazer-me falta. Gostei de gostar de ti assim, de forma automática, sem quaisquer "quês" ou "porquês", aceitando que me estavas destinada e que por isso te encontrara. Nada do que tinha, existia ou sabia, antes de te ter, me importa ou sequer faz sentido. Sou um homem renovado, todos os dias e a cada dia, bastando que te tenha do lado, acordada para te encher dos beijos que me alimentam bem mais, ou a dormir, enquanto te olho e quase duvido que sejas realmente minha.

Não desistas de mim, até e sobretudo quando falho, porque és tu que me permites crescer e devolves a razão quando me torno demasiado cego. A minha imaturidade resolveu abandonar-me, e tomei nas minhas mãos a vontade e o propósito de te fazer feliz, a mulher mais feliz que já alguém viu andar por aqui. Não desistas de mim, nem de nós, porque sou capaz de te ver como mãe, tranquila, de sorriso aberto, orgulhosa das crias que criaremos juntos, à nossa maneira, mas para que também elas sejam capazes de ver, sentir, respeitar e amar para além delas mesmas. Vais ser tu a conciliar as nossas vontades e a que divide para multiplicar. Verei aninhados nos seios que me enlouquecem, pelo volume, toque e sabor, os filhos que manterás nutridos de tanto alimento e amor. Irei, também eu, encher-me de orgulho pela família que farei crescer, tendo-te no meu leme, junto a mim, confiando no que ainda farei acontecer para todos e aumentando, dia-após-dia, o que guardo e preservo para ti.

Estou a sentir-te. Sei que tens os olhos fechados e quase que consigo sentir o sorriso que largas por dentro. Por vezes moves-te e olhas-me, doce e totalmente entregue a mim e é aí, sobretudo aí, que agradeço em silêncio a quem quer que te trouxe, porque sem ti nada do que sou hoje teria acontecido.

Amo-te como só eu entendo, mulher da minha vida!

19.4.18

Todos temos um tempo!

{Pinterest// Sadie Joyce}


Todos temos um tempo, assim me dizia alguém, hoje!

Temos um tempo para entrarmos em alguém, deixando-nos entranhar o bastante para que o antes deixe de ser importante e até de existir. O que passamos a querer, é mantermo-nos assim, a querer como nunca o fizemos. Temos um tempo para que a outra pele se misture com a nossa e nos saiba aos sabores que passaremos a reconhecer. Temos um tempo para ouvir com atenção cada palavra e para sentir que fazem sentido. Temos um tempo, o nosso, para nos pararmos do que não correu bem e para recomeçarmos num começo que nos levará longe, para o amanhã que antecipamos com a outra metade de nós.

Sei agora que não te ter me enlouquece e impede de viver. Sei que não será igual se te perder. Sei que nada mais me importa se não estiveres onde também. Sei que as músicas que oiço, cada uma delas vezes sem conta, apenas contam se falarem de ti. Sei de muitas das coisas que me enlouquecem, mas nenhuma tão intensa, tão assustadora, nem sequer tão dolorosa, como não estares comigo.

Todos temos um tempo, sobretudo para que se saiba que  amar e ser amado é o que realmente importa. 

16.4.18

Cada final de relação tem um nome, certo?


A razão pela qual tantos penam por aí, prende-se com o simples facto de não saberem que sentimento pôr ao fim de uma relação!

Nós somos seres pensantes, está bem, eu sei que uns mais do que outros, mas a realidade é que precisamos de perceber se o que sentimos é ódio, raiva, amor, não importa o quê, mas o resultado tem que estar definido e claro. Quando os homens se queixam de que não entendem as mulheres, mesmo que para isso não façam qualquer esforço, é apenas porque não estão atentos, mas eu vou explicar, again! As mulheres rotulam tudo, gostam de nomes para cada ser ou objecto e quando não o encontram, põem-se a bater com a cabeça, com a sua e a dos outros, até que se faça luz. Mas porquê prolongar dores, o que ganham "vocês" afinal?

Quero que entendam que uma mulher precisa de um ponto final, e que quando ele existir, deve ser colocado e devidamente sinalizado. Garanto-vos que desta forma ela seguirá viagem, a fazer o luto, demorando o tempo que lhe couber, mas sem olhar para o passado que será apenas isso e ela entendê-lo-á.

Quem já foi nosso e a quem supostamente amámos, pelas razões certas ou erradas, merece um fim.
Quem esteva na nossa pele e nos passou um prazer que certamente teve efeitos, merece uma palavra, mesmo que escrita numa folha de papel reciclado.
Quem já não nos estremece o corpo, tem o direito de manter o seu próprio corpo e juntá-lo a quem puder chegar, porque apenas assim ela o permitirá.
Quem não for nosso, merece ser de alguém, porque é a natureza que o reclama.

Os nomes existem, já foram todos inventados, por favor usem-nos!

13.4.18

Beijos?

Que beijo sincero


São muitos os beijos. São estranhos alguns dos que damos e recebemos. São tantos os desperdiçados, mesmo que desejados e sofridos. São beijos de quem amamos muito, por vezes demasiado. São beijos de quem não queremos, mas que nos beijam assim mesmo. Beijos que sabem a um sabor que ninguém identifica, mas que nos enchem e preenchem e não apenas de prazer. Beijos que acordam para a vida e impedem de uma morta solitária. Beijos que pedem muitos mais de volta!

Já muito se escreveu, eu inclusive, sobre a importância de dar e receber beijos, porque desses não nos cansamos, não se forem de e para a pessoa certa. Não há nada que um bom beijo não cure e quando os temos na medida certa, nada nos falta.

Gosto de beijar, tal como a maioria das mulheres, mas sofro de falta, muita, até porque não ponho a minha boca em qualquer uma, no way. "És esquisita, então aguenta". Não se trata de esquisitice, mesmo que o seja por vezes, trata-se de querer TUDO aquilo a que tenho direito, mas BEM feito. Gosto de beijar e até levanto o pé direito quando me espetam um bom e doce beijo, mas gosto de saber como, onde, porquê e sobretudo com quem, mesmo que agora falte pouco para desatar a beijar todos quantos me apareçam pela frente.

Beijos, venham eles e não apenas hoje, please!

12.4.18

Qual é a cor da tua cor?

@ematimofei


Qual é a cor da tua cor? Como te identificas e avalias, de que forma as cores estão presentes na tua vida e na tua personalidade? Será que tens a segurança e a força do azul. O optimismo e a clareza do laranja, ou a juventude e a coragem do vermelho?

Eu alimento-me das cores, envolvo-me nelas e sei que não teria forma de me enrolar, apenas num branco inerte, no vazio e frieza que provoca. Terei sempre que dar enormes pinceladas das cores que mudam os meus dias e que fazem de mim este ser tão emocional, tão intenso e vivo.

Fico sempre surpreendida quando me respondem não ter uma cor favorita, ou uma menos interessante, porque temos que saber tirar partido, nós os visuais, deste maravilhoso dom. Se ao menos pudéssemos ver as pessoas pelas cores. Se as conseguíssemos catalogar, percebendo de que forma irão mudar o nosso espaço e se entrarão em nós com a vivacidade ou a baixa frequência que as cores provocam...

A minha cor especial, da qual sou TOTALMENTE dependente e viciada, é o azul. Com ele vem-me a sensação de mar, de água, de céu, de movimento e está presente em praticamente TUDO o que nos rodeia. O meu esforço é enorme para me dosear, porque de contrário mergulharia toda a família numa única cor, mesmo que tenha diversos tons e certamente que se sentiriam enjoados e cansados, algo que para mim é impossível de acontecer.

Li numa avaliação de cores, que o azul representa a confiança, a segurança e a força. Pois! Porque será que gosto tanto dela então? Está mais do que explicado, sou eu em cada pincelada, mais ou menos desbotada, e é por essa razão que gostaria de atribuir uma cor a cada pessoa, percebendo o que as move e em que direcção.

Já aumentei um item na minha lista de perguntas. Já vos falei da minha lista e agora vou passar a riscar os itens da mesma, para saber se o dito cujo se enquadra ou não na minha visão da vida. Assim sendo, vou perguntar - "de que cor és tu"?  - Espero que resulte e que me ajude de alguma forma, partindo do princípio que terão realmente uma resposta visual!

11.4.18

Dizer o quê?

ЅℰXUᎯℒ ✦ ᏇᎾℳᎯℕ - Pinterest: Crackpot Baby


Há muito pouco que adiante dizer, se do outro lado de nós nada for ouvido. Existem pessoas, momentos e sentimentos que nunca serão partilháveis, por mais que as consiguemos amar.  Dizer o quê, quando as palavras não bastam, ou ecoam demasiado forte e fora de contexto?

Somos, cada um de nós, fruto de tudo o que acumulámos, ano após ano, em experiências que nos vimos forçados a repetir, ou a deixar de lado. Tivémos parte do que fomos capazes de conquistar, mas certamente que não atingimos metade do que sonhámos, não por falta de talento, nem tão pouco por falta de vontade, mas porque nos encolhemos perante o que nos abanaria, inevitavelmente, mas apenas para nos melhorar.

Mudar dói. Mudar obriga a escolhas que assustam. Mudar arranca-nos raízes, mesmo que delas já não venha qualquer "alimento". Mudar é o que desejamos e precisamos para mudarmos tudo à nossa volta, mas mudar é o que escolhemos, muitos de nós, nunca fazer. Dizer o quê? Logo eu que mudo sempre que me mude por dentro. Mudo de pessoas corrosivas, caústicas e danificadas. Mudo de ar, quando o que respiro me impede de respirar. Mudo de amor, aquele que sinto, se senti-lo não me permita amar-me em primeiro lugar. Dizer o  quê aos que temem até a sombra? Muito pouco, porque as palavras que usar não farão eco. Não, porque as temem mais do que a tudo o resto. Não, porque já sabem a verdade e ela apenas lhes recordaria da mentira eterna. Não, porque já desistiram, há muito e eu desisto dos que não querem continuar a aprender.

Dizer o quê, quando já disse tudo?

10.4.18

GRITAR!

Sarah Connor #sarahconnor


GRITAR impõe-se de cada vez que nos sentirmos doer por dentro, mas com uma dor que ninguém explica, porque chega de tão fundo que nos parece querer apagar a alma. GRITAR pode ser um acto de coragem. Um desprender de amarras. O afirmar de quem se toma por pessoa e precisa, como de pão para a boca, de ser respeitada e admirada pelas escolhas, mesmo que erradas.


Nunca deixo nada por dizer e se gritar é o que me permite continuar, faço-o, com o mesmo à vontade com que canto e incluindo-o nas minhas rotinas para que não me afogue, mas 
calma com esta coisa do gritar, porque ele pode não ser no sentido literal da palavra. Por vezes os gritos saem sem sons agudos, mas numa determinação que basta para que nos levem a sério. Gritar afirma-nos e reafirma tudo o que tantas vezes repetimos para que nos oiçam.

Conheço tantas pessoas sufocadas, com palavras que recusam deixar sair, olhando, sempre, para todos os lados, certificando-se de que não serão julgadas, que manterão a classe, como se por classe entendessem o nuca levantar a voz, o olhar de forma tranquila, sem deixar que os olhos chispem, de raiva ou de cansaço. Ter classe significa ter postura, carácter, algo a dizer e que até poderá doer a alguns, mas que virá para clarificar mal entendidos.

Os "arrumadinhos", e estou a tentar ser gentil, não lhes "gritando" que a falta de um nome e postura é tão limitador que dói, esses, vão acumular doenças incuráveis, mágoas que se manterão e com as quais não saberão mais lidar. É bom que entendam que no final pagarão tudo isso, tornando-os seres totalmente indesejados e sem qualquer capacidade de aligeirar as palavras que já não terão mais como conter. Nessa altura, inevitavelmente, acabarão como acabam os que nunca souberam explicar o que precisavam, sozinhos!