26.1.18

Preciso de tão pouco se te tiver!

Mística!! Enigma


Há dias em que apenas o som da tua voz me basta e é nessas alturas que sei, com toda a certeza, que és verdadeiramente importante para mim!

Por vezes estou tão absorta nas minhas rotinas e em tudo o que vai surgindo sem aviso, que quase arrisco achar que se não estiveres não te sentirei a falta, mas nós sabemos que não é verdade, nós os dois sentimo-nos da mesma forma e com a mesma intensidade, por isso jamais poderia passar, um segundo que fosse, sem que me cruzasses o pensamento.

Mesmo sabendo que a minha pele precisa da tua, e que o meu corpo grita pelo teu, já sei como me refrear. A verdade é que me basta que estejas bem para que eu me consiga segurar e continuar a viver, um dia depois do outro, de mansinho, esperando por ti, como esperarás por mim. Desesperar é proibido, mas também serve para nos lembrar do que sentimos e para reafirmar o que nos faz falta.

Hoje, mesmo que envolta num momento anormal, precisei MESMO de ti, mas a tua voz tranquilizou-me e recordou-me de todas as razões que tenho para te querer. Hoje, mais do que ontem, sei que te terei, TODO, da mesma forma que me terás a mim, e que sentirás como te posso completar e cuidar, porque essa tarefa é minha, porque é o que sei fazer muito bem. Hoje, tive vontade de que toda a vontade de ti bastasse, mas ainda não aconteceu. Hoje precisaria de mais, de bem mais, mesmo que ache e sinta que preciso sempre de pouco no que toca a ti.

Preciso de pouco, sobretudo para saber, para ter a certeza de quem é que me dá o que me faz falta.
Preciso de pouco para me acertar, mas não para me manter, a nós, e nunca te iludas com a minha aparente serenidade, porque dentro existe uma outra, totalmente oposta, e essa sim, precisa de tanto que quase me afoga num desejo que se espalha pelas duasPreciso de pouco para ser eu, porque já me tenho, TODA, mas vou precisar do muito que cada pouco teu me conseguir dar, um dia de cada vez, e agora estamos a "falar"as duas, porque ela está a gritar-me que pare de dizer disparates, e que pouco é nada, assim como alguma coisa será sempre muito pouco.

Pronto admito, preciso de muito pouco se já tiver o tudo que vem de ti, está explicado!