28.1.18

Será que me magoarias?

• live in the moments •


Será que me magoarias?

Acredito que terias ficado quieto, não te mexendo mais do que o necessário, se também o tivesse feito, se não te tivesse cobrado respostas e os mesmo cuidados de antes, se não tivesse esperado que te mantivesses tu mesmo, como conheci antes.

Talvez não me magoasses como o fizeste, se eu me tivesse deixado ir, aceitando e parando de ser o tanto que disseste não ter como aguentar, mas esta sou eu, a que conheceste sem outra cor que não a que me cobre a pele e a alma. Esta sou eu, de todos os formatos, com todas as indecisões e choros, com cada riso que chega de parte alguma, mas que vem porque é por ti, e só tive que me manter para que afinal quebrasses.

Não sei de onde te veio tanto amargo de boca, nem tanta dor camuflada. Não sei porque é que acabei a não conseguir olhar para os olhos que me largaste, tão acesos, tão magoados, a parecerem não entender do que falava, mesmo que tivesse usado as mesmas palavras. Acredito, preciso de acreditar que apenas te cansei, não de mim, mas do que te enchi, preenchendo mais espaço do que me cabia e estavas disposto a dar. Já me retirei. Já mudei cada pedaço de pequenos pedaços que mudara para o espaço que me atrevi a considerar meu. Já te deixei de respirar compassado, sem temeres que te invada, que te entre tão dentro que deixes de te reconhecer. Já aceitei que se me magoaste, foi porque te magoei primeiro, e porque me esqueci, por breves minutos, de me manter como te prometera...