13.2.18

O prazer de cada recomeço!



Recomeçar será sempre possível e acontecerá tanta vezes quantas nos sentirmos prontos e com a coragem a que obrigam os recomeços. O prazer de cada recomeço está no saber aceitar o que nos chegou, sendo capazes de entender e agradecer a forma e o formato. Recomeçar sabe a início de um novo ano, ao experimentar de um novo alimento, a um beijo de uma boca diferente de tantas outras, até porque nenhuma será igual. Recomeçar enche-nos de esperança e prova-nos que afinal sabemos como seguir em frente. Mas recomeçar não será apenas o novo, também é o que não fomos capazes de viver antes e por isso volta, uma e outra vez, até que se aceite.

Quando sinto o aproximar de cada recomeço, sei que estou a atrair o que desejei, o que pedi e o que guardei bem dentro de mim, na pele e na alma. De cada vez que alguém se aproxima, dizendo-me o que me fazia falta nesse dia, sorrio em agradecimento e reservo uns quantos segundos, para mim não poderão ser muitos mais, porque a minha mente viaja a uma velocidade que poucos acompanham, para analisar o que atraí. Quando estou perante uma nova viagem, uma oferta inusitada ou uma pergunta que eu mesma gostaria de ter feito, sei que estou a receber o que me era devido. Quando agora olho para cada momento, percebo e aceito. Prossigo e corrijo o que não foi visto antes. Agradeço e amo ainda com mais intensidade.

Recomeçar faz-nos aceitar as incapacidades dos outros, deixando-os ir e arrumando-os da forma mais suave que conseguirmos. Recomeçar é querer, outra vez, o que alguém nos fez sentir, mas não soube manter. Recomeçar é esperar que chegue quem já não nos forçará a mais nenhum recomeço, porque nos ensinará o que nos fazia falta.

O prazer de cada recomeço estará em cada novo dia, porque não abdico de nenhum para ser a pessoa que entendo e respeito, esperando que um dia chegue quem eu possa respeitar da mesma forma. O prazer de cada recomeço vai chegar, outra vez, contigo, sei porque já te sinto e porque estou pronta.