Não posso ir!

Feelme/Não posso ir!Tema:Contos!
Imagem retirada da internet
Estou às escuras, lá fora a vida corre, como sempre, barulhenta, movimentada, mas cá dentro, no chão da minha sala vazia, sem vida, sem ti, tento decidir e pensar no que fazer.

- Preciso que vás comigo, meu amor serão apenas 3 anos, estaremos juntos, mais do que nunca. De lá também poderás escrever e voltar a Portugal quantas vezes a editora te pedir e necessitar, o que dizes?

Eu ficara muda, de medo, de incredulidade, nada jamais me prepararia para uma decisão assim tão difícil. Nunca, por nenhum minuto, eu duvidara do que sentia por ti, mas agora, logo agora que toda a minha vida profissional se consolidara, agora que terminara a reconstrução da casa onde me sentia viva, na qual tudo se encaixava e fazia sentido, até mesmo tu, logo agora pedias-me que te seguisse e te provasse o quanto te amava.

- Artur, não sei o que te diga, estou...
- Diz que sim, não me deixes sozinho, sem ti, já não concebo a vida sem que estejas nela, por favor Marta.

As lágrimas rolam teimosas, não consigo ser positiva, ver para lá do que pretendes construir, para ti, para nós como dizes. Demorou tanto tempo até que me reconhecesse, me trouxesse de volta, e agora...Por esta altura já estarás no outro lado do mundo, não quiseste sequer deixar-me um contacto, rompeste comigo, magoado, incrédulo, assustado. Não fui, não consegui desistir de mim, nem mesmo por ti. Não queria que doesse tanto, que me fizesses falta, que acabasse a questionar tudo o que realmente quero para mim. Será que vai valer a pena, vou lamentar não ter ter escolhido, ter permitido que parte de mim me abandonasse?

Onde se encaixa agora a casa que construí, quem sou eu afinal sem ti, qual é o meu lugar?