Sou duas de mim!



Caramba! Por vezes consigo cansar-me a mim mesma. Faço e sou duas de mim.

Toneladas de projectos, um ir e vir de rotinas, obrigações, desejos, necessidades, quero sempre mais e espero sempre mais, de mim e da vida.

No final de um dia duro como o de hoje, dou comigo a perguntar como consigo tanto, onde vou buscar tanta energia, o que me move, do que me alimento??

Espero conseguir-me manter-me assim, sempre alerta, viva, inesgotável, porque não me imagino de outra forma. O prazer com que me divido, multiplico, é o que caracteriza a minha dualidade, a minha personalidade inquieta.

Qual será o homem capaz de me "segurar"?