A esposa e mãe perfeitas!


Será que isso existe realmente, e que deveremos querer atingir tal grau de perfeição?

O que poderá fazer de nós alguém perfeito, aos olhos dos outros, aos nossos olhos? Que abnegações deveremos ter, do que necessitamos de desistir, até onde precisamos de ir?

Já desisti de seguir fórmulas, padrões, preciso de ser a perfeita "eu", para permitir aos outros, aos que amo realmente, alguma normalidade perfeita.

Sinto que quando me vou deitar mais tranquila, foi porque concluí o que me propunha, porque me cuidei mais e por consequência cuidei dos meus. Se eu sentir a necessidade de parecer perfeita, todas as minhas imperfeições me deixarão triste, desiludida, e não preciso que isso aconteça.

Estou a acompanhar a série, "The perfect Wife", tem sido fantástico ver com uma mulher pode voltar a eclodir, a ser ela mesma, lutando contra o que sente, contra o que lhe pretendem impor, terminando os seus duros dias mais viva. Não devemos nunca, em momento algum, apagarmo-nos para iluminar o outro, porque se a luz dele ou dela nos falhar, tudo o resto parecerá ter sido em vão.

Acredito, cada vez mais, que os casamentos, as relações, só poderão resultar, se cada um tiver o seu tempo, espaço, desejos realizados. Se formos cuidados, e respeitados por quem escolhemos partilhar a vida, as quedas serão mais suaves, e reerguermo-nos será mais fácil.

Quando eu for perfeita aos olhos de alguém, marido ou filhos, já o terei conseguido ser para mim mesma!