Não deu certo... lamento...


Conheci o Jack ainda na escola primária, as nossas mães eram como irmãs, faziam as mesmas coisas, gostavam de tudo o que agradava à outra, e nós crescemos a gostarmos de nos sabermos felizes!

Acabámos obviamente namorados, nem nos afastámos quando frequentámos universidades diferentes, o nosso namoro era inabalável.

A minha paixão pela escrita de investigação, levou-me a trabalhar numa grande revista, e os meus dias e noites passavam-se à volta do que mais gostava de fazer. Havia tanto para aprender e dominar, eu mal dormia com tanta adrenalina.

Infelizmente, e nesse único aspecto, éramos o oposto um do outro. O Jack queria apenas e só um emprego das 9 às 5, que lhe permitisse jogar squash com os amigos, refastelar-se na esplanada de um bar, onde todos juntos riam das anedotas gastas e admiravam as pernas das miúdas.

Inevitavelmente, as coisas não correram bem, começou a cobrar-me as longas horas que eu devotava à profissão, a ressentir-se do meu desejo, segundo ele "absurdo" de ter e ser muito mais. O apartamento que partilhávamos passou a ser demasiado pequeno para mim, começou a sufocar-me. Não conseguia ter um espaço para a minha outra paixão que é a fotografia, e ver as caixas que ainda se amontoavam à procura a de serem arrumadas enlouquecia-me. Nada daquilo era eu, ou o que desejara para mim.

Estou a olhar pela enorme janela do meu novo lar. Tenho tudo o que desejei, mas o Jack já não está comigo. A vida é feita de testes constantes, e as pessoas que amamos nem sempre estão do nosso lado, para o bem e para o mal. Eu sei que ainda o vou amar por muito tempo, mas decidi que não poderia desistir de mim, que teria que me sentir completa e inteira para fazer os outros felizes.

Passei a aceitar as viagens constantes, sou a mais requisitada na redacção, tenho o meu estúdio em casa, onde as fotos, as que tanto vão representando cada passo novo, já não estão em caixas.

Prometi que o meu interior conta mais, e que não vou desistir de procurar alguém que me acompanhe sempre, que tenha o meu ritmo, que partilhe os meus desejos e sonhos, que se regozije com os meus triunfos. Até lá...