Quero-te, muito, sempre, já...


- Quero-te, muito, sempre, já...

Era sempre assim que o Pedro me falava, sobretudo quando as suas ausências em viagem eram maiores do que o habitual!

Para mim, estar 1 semana sem ele era fisicamente doloroso, eu decidira não o admitir por palavras, mas sentia-o bem dentro de mim, e mantinha-me desconfortável perante a sensação de total dependência emocional.

O Pedro surgiu na minha vida, quando eu já achava que tudo estava muito bem, e ponho ênfase no muito bem. Não necessitava de mais nada para além do que tinha, a minha auto estima estava intacta, os meus sonhos e planos eram o que me movia, cuidava de mim, do meu corpo, fazia formações, estava de regresso à faculdade, finalmente, para o doutoramento, tudo se encaixava, mas eis que o Pedro aparece...

Quando nos olhámos, as minhas pernas estremeceram, o meu coração saltou, e eu nunca mais fui a mesma. No entanto não me arrependo, nem por um segundo. Estar com ele, beber da sua jovialidade, paciência, cuidado extremo comigo, saber que vive comigo e para mim, que nunca se esquece de me dizer que sou importante, que já me deveria ter encontrado noutra era, tudo isso é o que me completa e deixa a mulher que sou e sinto, hoje.

- Olá meu amor, eu também te quero, muito, hoje e sempre. Já, também seria bom, aliás, o ideal!