Papeis...



Isto de representar parte do tempo, de ter papeis definidos tal qual uma actriz e usá-los para cada situação, pessoa, olhar e sentimento, nem sempre é fácil.
Procurar os teus braços deixou de ser opção, por isso resta-me o ajuste a mim mesma, esperando que pelo menos eu permaneça e não deseje fugir, de cada vez que for difícil, sempre que me apeteça encolher-me e deixar-me quieta...

Será que se te tivesse mostrado o teu papel o terias desempenhado com convicção, que irias entender o que esperava de ti, porque nos encontrámos mas acabámos em dimensões diferentes? Se te pudesse tocar acho que o saberia, porque quase que tivemos tudo, quase que conseguiste fazer com que a vida valesse a pena ser vivida.

Eu acho que sabes que nunca mais voltarás a amar desta forma, mas baralhaste as falas, mantiveste o teu coração seguro e continuaste no percurso que conhecias.

Eu vou manter-me fiel a este papel, agora, até que entre um novo actor e o argumento se altere!