Sim eu sei...




Eu sinto-te, sei porque me foges, porque não estás a determinados dias da semana, são sempre os mesmos, viram-te do avesso, mudam-te o foco...

Não, não me estás a enganar, não tens porque o fazer, não me deves nada, nem explicações, nem tempo ou sequer as palavras que não te saiam naturalmente, mas tu sabes, ou deverias saber, que te quero ver bem e que jamais te pedirei o que não consegues dar.

Mais um dia numa semana em que quiseste ir para quem na verdade te consegue dar o que precisas. Essa não sou eu, jamais o serei, até ou se o decidires, quem sabe, algures num percurso que insistes em manter, mudar de ideias, de rota, de foco. Nessa altura eu certamente já não estarei mais aqui, mas não tenho mágoas, nunca consigo ficar mal, a querer mal, quem me entrou pela porta principal e me abanou tanto que até os olhos passaram a brilhar com mais intensidade.

Pára de fugir de ti, assume-te, luta com todas as armas,  usa o que já te consegui passar, usa as palavras cujo poder reconheces, vira a mesa e salta para o lado de onde nunca deverias ter saído, nem mesmo em pensamento!