Dizem-me...



E eu sei que sim, que estás tatuado em mim, implantado na minha essência, diluído no líquido que me mantém viva!

A cada dia que passa, pressinto que te terei outra vez, que o tempo não chegou a contar, que a volta que deste foi ao contrário, mas apenas para te trazer até mim.

Dizem-me que sou obstinada, que o meu amor por ti está para ficar, e que se tem esta intensidade terás que o sentir. Eu sei que sim, sei que o sabes, que apenas vens a adiar o que já tiveste antes. Eu sei que assusta amor, mas esta sou eu, a mulher que te viu uma vez e te reconheceu. Esta sou eu, a que esteve nos teus braços, quem te amou tanto que nem os tempos me conseguiram quebrar, deixar para trás, apagar...

Onde quer que estejas eu vou procurar-te e encontrar, porque o que nos liga não se esfuma, não tem como. Sem ti não existo, o meu coração fica em metades e até o ar deixa de circular,

Dizem-me que te viram a vaguear, inquieto, partido, e eu sorrio, porque já acredito que ainda será aqui, onde estou, que te voltarei a ter!