O que vem contigo?



Pedes-me que te deixe vir até mim, que permita que me mostres que tens o que me interessa. Uma e outra vez, tantas quantas forem precisas, segundo as tuas palavras, vais-me sugerindo que confie, que saia da minha zona de conforto para que nos possamos finalmente olhar, ver e quem sabe entender!

Não sei porque razão deverei aceitar que é desta vez, que contigo será melhor, ou diferente.  O que vem contigo afinal, o que me podes acrescentar que eu não tenha já, de que forma farás a magia de me conseguir ter, apaixonada, rendida, sem medos, a não precisar de procurar mais nada ou ninguém?

Se duvido?

Enquanto o fizer é porque não chegaste até mim, significa que nada do que conseguiste "soprar" fez qualquer eco, as palavras que se voltam para mim e comigo, são as únicas que nunca me levam ao que está errado, ao que não bate. De cada vez que as minhas entranhas se revoltam, sempre que me arrepio, sentindo forte o que antecipo, então duvido sim, fá-lo-ei sempre, não existe forma de me enganar, não terei como investir em jogos sem prémio, perder não é opção, não antes e muito menos o será agora!