Mesmo...

Que eu tentasse com todas as minhas forças, sempre soube que não iria acontecer, soube-o quando me olhaste!



O que eu não sabia nem esperava, era que me trocarias, que deixarias uma outra mulher dentro do espaço que construímos ambos, alguém que rolasse nos lençóis onde tantas vezes fizemos amor, quem te conseguisse beijar até perderes o ar que me alimentou a cada dia...

Não sei que culpa poderei carregar, de que forma me permiti olhar para o lado contrário e não ver, não te ver. Acreditei que te cuidava, o bastante, que te enchia de mim, dando o que me pedias e muito mais, mas não bastou, não te bastei.

Não te desculpaste, não te atreveste a usar as palavras, porque eu sim as manobro com mestria, por isso não teria adiantado, eu nunca poderia entender ou sequer aceitar. Tudo, tudo mesmo, excepto outra, eu não partilho, não divido quem amo. Poderias ter esperado que o meu lugar arrefecesse!