Eu disse antes...

Afirmei, que preferia cegar do que te ver com outra, feliz, arrumado, seguro!



Não adiantou, o Universo não me entendeu, ou acabei a explicar-me mal e tive mais do mesmo. Tudo o que não queria.

Eu faço-me de forte, fico atenta à postura, coloco um sorriso nos lábios, mas ver-te, ver-vos, dói demasiado, arranca-me demasiados pedaços.

Ninguém se prepara para algo assim, nem o tonto do coração, que mesmo não vendo, sente, parece ter resistências para tanta crueldade, da vida, de nós mesmos e das escolhas erradas que acabamos a fazer.

Não te quero saber feliz, não quero saber que o teu riso agora pertence a outra pessoa e que já não há nada que eu possa fazer para mudar o que escolheste e o que eu desisti de ter!