Gosto...


Do que me fazes sentir, da forma como toda eu te pertenço e não tenho como te fugir!

Gosto que me deixes tão viva, sempre que me tocas e que estás por perto, gosto de gostar de ti, assim. O teu caminho passou pelo meu, vimo-nos e soubemos que teríamos que nos pertencer, porque existem coisas que nos ultrapassam, e que se não fizessem parte de nós, nos deixariam pela metade.

O teu olhar, fugidio por vezes, mas que me entra bem dentro e fala com todas as palavras que te faltam, o teu porte direito e seguro (fachada, já sei) mas que me dá  a ilusão de altura, eu sei que sou pequena, mas tu agigantas-te sempre, fazendo-me admirar cada pedaço do corpo que me alimenta.

Sabe-me bem saber que és tu, que existe alguém, neste meu pedaço de mundo, que chegou para ficar.

Gosto de ti, todo, mesmo das partes que gosto menos, até de quando te "recolhes" de mim e me deixas a sentir tanto a tua falta que me apetece enrolar-me sobre mim e nem sequer respirar.

Gosto de ti, já o sabes, mas vou querer também, e continuarei à espera, que me digas de que forma gostas tu de mim!