Não há como medir!

- Tenho medo de gostar demasiado de ti.
- E porquê?
- Não me apetece sofrer.





É difícil, por esta altura, achar que não estou já demasiado apaixonado por ti, mas tento convencer-me do contrário e faço-o para me proteger, para me manter à tona. Eu sei que tu és quem eu tanto procurei, que a tua forma de me dares o que preciso para te pensar, a toda a hora, para te desejar a cada minuto, é o que me deixa de sorriso rasgado, a "quase" acreditar que posso ter quem fique do meu lado para a vida.

O que procuramos, todos, afinal? Quem nos possa dar as mãos e caminhar do nosso lado. Quem não receie expor-se, desnudar-se, mostrar as fraquezas e manter-se forte para o outro. Os caminhos nem sempre serão os mais suaves, mas se forem percorridos com que nos muda, CARAMBA, tornam-se mais suportáveis, mais seguros, menos solitários.

Não tens como medir de que forma gostas de mim, não o terei eu também, mas que já deve ser muito, disso não duvido!