Já não preciso!



Não tenho porque te explicar o que quer que seja, o tempo regressou às minhas mãos, e já nem sei muito bem do que cheguei a ter medo, porque os meus instintos falaram-me logo cedo e eles nunca se enganam!

Já estiveste na minha cabeça, já te senti tão intenso e em mim, que quis acreditar que poderias ser tu, mas eu não desisto de mim, mesmo quando acabar sozinha não é o que mais desejo, e por isso tirei-te, pronto. Encarar tudo isto como um crescimento inevitável, como mais uma etapa para poder chegar e estar pronta, é o que me forço a aceitar e a nunca me permito ficar no chão demasiado tempo.

Já deixei de precisar de ti, o meu botão foi accionado e consegui restaurar o que quase ias danificando irremediavelmente. Afinal de contas eu sou uma sobrevivente, supero-me, sobretudo a mim e encaro o que me chega. Certamente que te procurei e desejei de alguma forma, por isso o Universo ofereceu-me e esperou que eu dissesse, com toda a convicção, se era realmente isto e assim, desta forma. A resposta é não!