Sim, solteiras!



Em busca do amor perfeito, do homem que nos deixará a suspirar infinitamente e que o consigamos reconhecer e manter!

Gostaríamos todas, CLARO, de chegar lá, de deixar para trás tudo o que fez de nós pessoas amargas e menos felizes, mas não é fácil, não é mesmo. Não sei até que ponto será deprimente, observar as tentativas, goradas na maioria das vezes, de chegar, ver e agarrar o TAL, mas alguém vai ter que tentar.

Já passei a fase da descrença, do medo, ou pânico, julgo que estou mais no "whatever", o que for, será. Não porque o tenha decidido, mas porque não tenho alternativa.

O que há de errado em se estar sozinha? TUDO, mesmo TUDO. Ter quem esteja do meu lado, sentada na cama a ler, de cabeça encostada ao peito que bate por mim, sentindo a respiração, o pulso e saber que o que sou e desejo tem eco, não pode ser um sonho, tem que ser uma possibilidade, preciso de acreditar que sim.

Não entrei em desespero, ainda. Estou solteira, outra vez, como diz o bilhete de identidade, mas acredito que até lá para os...60, me vou manter como sou, exigente, a não querer só porque sim, a não entregar os pontos a qualquer bandido, mas isso digo agora que ainda sou fresca e rija, vamos ver quanto tempo dura!