Foste amiga!



Já somos um laço inquebrável, gosto da tua forma de Mulher do norte, curta e concisa, de gargalhada maravilhosa, de astral bem alto, mesmo quando o teu coração está apertadinho. Sabes, também eu tenho costelas do norte, talvez por isso me salte a tampa, de vez em quando, diga tudo quando devo, e quando até não deveria, seja uma bem disposta crónica e MUITO amiga de quem me trata bem e se importa comigo. Já como inimiga...

Sabes o que faço? Ignoro, saio fora, torno-me um fantasma e nada mais me poderá trazer à vida, não depois de ter sentido o pior dos outros. Não me vejas como intolerante, muito pelo contrário, eu tento e tento, viro e reviro, mas quando percebo que não consigo, que nunca vou mudar os outros, saio fora e vou à minha vida.

Ontem cuidaste-me, deste-me conselhos frontais, empurraste-me para a frente, quiseste que eu parasse de sofrer, mas como te expliquei, deixou de estar nas minhas mãos, nunca fui de querer relações mornas, de aceitar que não me amem como eu sou capaz de o fazer. Quero TUDO, espero TUDO e vou ter, não, claro, sem antes passar por lugares mais escuros e estreitos, mas o que fazer, eu não controlo o Universo.

Estás na minha vida por uma razão, por isso te acarinho e agradeço o cuidado e o tempo. Um dia vou-te devolver em dobro e vou esperar que também tu encontres a tua metade e que possamos partilhar mais sorrisos do que lágrimas!