Impotência!


Feelme/Impotência!

Fiquei sem poder fazer nada, sem te conseguir parar, ou impedir de ires embora, para sempre, sentindo um vazio, tão grande, e um medo de me vir a arrepender, como nunca experimentara antes!

Já me "matavas" os momentos em que me conseguia, ir  esquecendo, de que caminho sozinha, e de forma egoísta, mantinha-te, alimentava-te, na esperança de acabar a ver-te, deixando de me ter apenas a mim.

Vai ser difícil, já o está a ser, porque sei que te sentirei a falta, que daqui para a frente não voltarás a entrar na vida que te dei a conhecer, e nada, mas nada mesmo, voltará a ser como antes de ti, nem eu, nem tu, e tudo para quê e com que propósito?

Eu sei que terias que ser tu a decidir, e que não haveria outra forma, não para nós, mas precisava de ter o melhor dos dois mundos, queria-te por perto, a saber de que forma gostas de mim, a usarmos todas as infindáveis palavras com que nos expressamos. Queria saber-te desse lado, talvez por estar mais preocupada comigo, mas sejam lá quais forem as razões, não bastaram para te prender e "apagaste-me".

Estou estranha, num misto de impotência e de alívio, porque a verdade é que só poderia piorar, para ti, mas se tivesse que ser eu a decidir, ficarias mais tempo, ficarias comigo, e serias a parte mais importante dos meus dias. Nem acredito que o estou a admitir, e estou envergonhada!