27.7.15

Arrumas o que não fica?


Eu arrumo sempre tudo e todos que têm um lugar na minha vida, nem que seja dentro de uma gaveta bem fechada a sete chaves, não vá eu ter alguma curiosidade mórbida!

O parar, analisar, o ver com clareza e depois decidir, assusta muita gente. A vida corre tão rápido que alguns esquecem-se de a viver devagar, saboreando realmente as coisas, parando de reclamar, simplesmente porque não adianta, apenas atrasa e faz recuar demasiados passos para valer a pena.

Gosto de saber onde coloquei tudo e de que forma lá poderei chegar sem demasiado esforço. Gosto da sensação de poder prosseguir, não me agarrando demasiado ao que não tenho forma de mudar.
Não me interpretem mal, não desisto facilmente, a questão é que nunca entrego aos outros as minhas responsabilidades, até porque não adiantaria. "Queres bem feito, faz tu". Dá-me gozo perceber que fui eu a passar por todas as etapas, depois de as ter delineado mentalmente, procurando as minhas próprias soluções e não sacrificando mais ninguém para além de mim. Posso até levar algum tempo a arrumar mas mesmo não me esquecendo, deixo a água correr, fazendo o seu percurso natural. Tudo é passível de ser mudado, excepto a morte, porque para ela sim, perdemos mesmo.

Quando sinto que chegou o tempo, arrumo o que não pode continuar exposto e acabo a arrumar-me a mim também, naturalmente!

26.7.15

O meu Ying e o meu Yang!



O Ying e o Yang. A subtileza e a suavidade em equilíbrio com o vigor e a determinação. Gostava de saber o peso de ambas em mim, e se existe forma de os equilibrar mais vezes, porque sou muito mais Yang e sinto que preciso de me suavizar um pouco, de não estar sempre à defesa, de permitir que me conduzam e que me convençam.

Para tudo na vida existem duas formas de estar, de sentir, de ver a vida e de a encaixar nas nossas antecipações. Não me imaginava num retiro, a ver-me por dentro, não até há muito pouco tempo, mas a verdade é que percebi que existe muito mais do que aquilo que vejo e sonho e que é importante que me sossegue para simplesmente usufruir.

Estou mais emocional e consigo aceitar que não tem que ser uma fraqueza, apenas um entregar de responsabilidades para que não as absorva todas. Não sou assim tão forte para que nunca precise de ser cuidada, também posso dar-me o direito de simplesmente me encostar e deixar acontecer, sem o meu controle e sem ter que opinar e analisar.

Sou sempre eu que me "curo" e que descubro a melhor forma de superar desafios, estando para quem precisa de mim. Por isso e nesta nova fase, vou ser eu a deslindar este mistério do equilíbrio e a desligar o meu complicómetro natural.

O meu Ying está em força, sobretudo para me ajudar a entender o que me recusava a aceitar. Agora já me sinto pronta para suavizar a minha determinação!

Na minha cara!

Resultado de imagem para casal cara a cara

Diz, na minha cara, tudo sem receares a minha reacção, porque só me poderás conhecer assim, quando conseguires e souberes como me dizer TUDO, olhando-me bem fundo com esse sorriso malandro que consegues deixar a pairar nos teus lábios, para me impressionares e impressionas sempre!

Já sabias ao que vinhas, que tipo de mulher sou e que terás de me saber calar para que te oiça, inundando-me de palavras, falando-me de ti, do que sentes, do que esperas de nós, de que medos te assolam, mas terás que falar, porque se te fechares, se não me souberes iluminar a mente, não serás bem-sucedido.

Não sou uma mulher comum, até eu o sei, não significando que seja melhor, sou diferente porque quero e porque sei que desta forma terei mais para dar, muito mais do que toque e palavras, as tais que povoam o meu Universo. Não sou muito "normal" porque tive imenso trabalho para me conhecer e para saber, exactamente o que me move e o que espero da única vida da qual me recordarei.

Fala-me de ti. Conta-me o que viveste. De que forma te marcou o que aprendeste e como me poderás incluir para que nos possamos contar no futuro. Deixa-me entender se és mesmo tu e não receies nada do que trazes, se for teu eu saberei como o amar. Fica comigo, mesmo sempre que estiveres. Nunca permitas que eu te intimide. Puxa dos galões se tiver que ser, porque eu preciso de um homem forte e de convicções e que se mova decidido.

Eu não me escondo, nunca o farei. De mim terás sempre o que sou realmente, agora só precisas de te saber encaixar, mas fá-lo logo porque não sou paciente para os indecisos!

24.7.15

Eu, tu, ele e nós!

Resultado de imagem para us in the crowd
Feelme/Eu, tu, ele e nós!Tema:Sentimentos!
Imagem retirada da internet
Mais do que dois já é uma multidão, mas por vezes estamos sem estar e mantemo-nos agarrados a fantasmas, mais ou menos reais, nos momentos supostamente importantes!

O que fazer quando somos todos, juntos a fazer amor? E não estou a falar numa orgia, parem lá de revirar os olhinhos. É igualmente complicado de gerir e tem sempre dois desfechos, ou nos vimos mais depressa, ou NUNCA mais, nada, nadinha...

Os cheiros, o toque, o enrolar de uma outra pele, o som e o tom de uma voz que não se adequa, tudo, mas tudo mesmo serve para nos transportar para a pessoa que realmente queríamos e ainda consegue despoletar todos os sentimentos que deveriam estar sempre presentes quando nos unimos fisicamente.

TANTA gente a padecer do mesmo, eu sei-o, porque por mais do que uma vez, já aconselhei algumas amigas a usarem o método da "viagem" mental, para suportarem o toque de quem há muito deixou de estar. É duro, é massacrante, mata aos poucos, e eu recuso-me, definitivamente, a fazê-lo, porque posso obviamente. Fazer amor é totalmente distinto de fazer sexo, podendo conviver ambos, naturalmente, se estivermos com a pessoa que nos liga os botões, quem escolhemos e realmente queremos na nossa vida, a não acontecer, chega como uma espécie de castigo e depois do "amor", chegam a culpa, os castigos emocionais e o afastamento.

Enquanto não estiver, totalmente livre e limpa, jamais juntarei o corpo a quem não me percorrer, inteiramente, a mente e o coração. Já me basta sentir, assim, a tua falta, lutando diariamente para te limpar de mim, a última coisa que preciso, é de fingir que me estás dentro, até porque não seria possível, o que tu tens não se reproduz, e sentir-me tocada por outras mãos, consegue-me fazer arrepiar, no mau sentido, até em lugares que não sabia possuir. Enquanto fores tu, não será mais ninguém, depois logo se vê!

22.7.15

Aceitavas-te, a ti?

Feelme/Aceitavas-te, a ti?Tema:Sentimentos!

Aceitavas-te, a ti?

Conhecem a expressão, "as carraças só são boas nos cães dos outros"? Pois é, quando os comportamentos provocam cansaço, amargura, dores que nos fazem sangrar, o melhor será sempre sair de cena, ou arriscar uma prisão emocional, com uma pena perpétua, e se até mesmo os masoquistas têm pavor à dor, que direi eu que não sou nada parva!

Eu brinco, brinco, com as palavras, aparento andar a pregar a moral e os bons costumes, mas também não sei tudo, sei apenas de mim, da forma como sinto, sei o que me magoa e desilude, sei o que quero e o que NÃO quero, mas não tenho receitas, porque não sei como mudar mentalidades, e nem como escancarar a porta para que consigam ver para além do nariz. Posso tentar, abanar estruturas, mas mais do que isso...

- Ela rejeitou-me e não me aceita de volta, o que posso fazer?
- Que tal comportares-te como um homem e admitires que não estiveste bem?
- Pedir desculpa, é isso que estás a sugerir?
- Se não sabes a resposta, ainda, como é que alguém te poderá ajudar?

Valha-nos a Nossa Senhora da Agrela, já vou parecer os meus avós e tios, mas a verdade é que acredito que o mundo está perdido. Já ninguém parece saber que papel desempenha na vida, e não está incluído o clubismo, ou as jantaradas com os amigos, estou a falar de coisas sérias, com substância e responsabilidade (outro palavrão dos difíceis), a responsabilidade come-se por acaso?

Cuidar dos outros, não os cilindrando, esquecendo de os ver quando não estão por perto, é um exercício quase impossível para muitos, mas com treino consegue-se. Vá lá, somos burros ou somos burros?

- Se conseguisses sentir na tua pele o quanto foste um valente filho da mãe, também te aceitavas de volta? Pois, bem me parecia...




19.7.15

"Lado a Lado"!



Já vi o filme um par de vezes e acabo sempre na mesma choradeira, mas acontece apenas porque mesmo nos momentos mais injustos,percebo que a vida consegue oferecer-nos alternativas, basta que o nosso coração seja grande o bastante para que caibam os milagres!


É possível termos filhos do coração, amando-os como se fossem nossos, e apenas porque vieram de quem passámos a incluir na nossa vida. Neste filme podemos entender os laços que se unem em torno de duas mulheres, uma que teve o passado e outra a quem caberá o futuro, de duas crianças que mesmo num processo doloroso de perda, passaram a sentir que jamais ficarão sozinhos. Uma visão sobre as novas famílias e o papel dos padrastos e das madrastas

Termos a capacidade de incluir os que entram, mesmo que tenham vindo abanar as nossas estruturas, distinguindo o que é importante do acessório e unindo forças para um bem comum, faz-me acreditar no bom de todos nós, e em como uma vez amando alguém, ele ou ela permanecerá em nós e connosco para sempre.

Vale a pena ver, mesmo sendo forte para mães como eu, mas pode ser uma lição de vida, só é pena que tenhamos que estar em situações limite para realmente aprender alguma coisa. Interpretações fabulosas de Susan Sarandon e de Julia Roberts!

15.7.15

Dia do Homem!

Feelme/Dia do Homem!Tema:Miscelâneas!

Aos HOMENS mesmo, porque também existem e eu felizmente conheço uns quantos, vou dedicar este post, com todo o esmero, respeito e admiração que me merecem!

Não gosto de generalizar e não somos todos iguais, como se diz por malícia, nem homens, nem mulheres. Existem seres maravilhosos que fazem tudo valer a pena, que cuidam dos que amam, desde companheiras, a filhos, pais e amigos. Homens que são tranquilos, presentes, que conseguem dar um conselho sem segundas intenções, que estão disponíveis para aprenderem e para serem melhores.

Temos homens tão bons, quanto mulheres terríveis, são fruto do que lhes proporcionaram, das suas lutas internas, da vontade que encontraram em querer a diferença, e também eles procuram a medida certa para o seu sapato, passando por inúmeros desalinhos, amargos de boca e até por dores insuportáveis. Somos feitos de carne e osso, uns e outros e por isso padecemos do mesmo, apenas correspondemos e reagimos de forma diferente.

Se nem eu sou perfeita, porque razão poderei julgar que exista quem o seja?

O que eu achava, honestamente, era que fosse mais fácil encontrar seres completos, com uma enorme inteligência e disponibilidade emocional, alguém que mesmo magoado, estivesse disponível para deixar que lhe lambessem as feridas, que não temesse o novo e que acreditasse no futuro, outra vez. Mas na realidade, uns e outros, nós e vocês, temos medos reais e preferimos, muitas vezes, refugiar-nos no que conhecemos, para nos escudarmos do que não entendemos.

Aos que ainda me fazem suspirar de respeito. Aos que não se escondem atrás de uma força que não têm. Aos que sabem e conseguem rir e chorar quando sente vontade, e aos que respeitam e admiram, cuidando, o outro lado das suas vidas, eu desejo um dia em pleno, o "vosso" dia, ladeado de tudo o que importar realmente!

14.7.15

Fazes-me falta, é um facto!

Feelme/Fazes-me falta, é um facto!Tema:Sentimentos!

Estou preenchida com gente, projectos, imagens e sons, com dias a correrem a uma velocidade incrível, mas continuas a fazer-me falta!

Fazes-me falta, é um facto!

Sinto falta do que representavas na minha vida, das movimentações que criavas, dos barulhos que ampliavas, e da forma como eu corria, ainda mais do que o habitual, para te poder ter. Sinto falta de como me olhavas, e dos toques que se sucediam sem palavras. Sinto a tua falta até quando acho que não me fazes falta, porque nada voltou a ser igual quando te foste.

Eu não sou das que foge, ou desiste, mas sou das que sabe quando parar, quando percebe que está a mais, que não consegue mudar a vida do outro, que nada do que fizer adianta, e quando sinto que apenas ando às voltas.

Não estou nostálgica, apenas consciente do que sinto, e eu nunca fujo do que faz de mim "isto", que tão bem conheço, nunca finjo, nem me engano, não valeria a pena, acabaria a rebentar por algum lado e depois a falta de ti seria ainda maior!




O dia da liberdade de pensamento!

Feelme/O dia da liberdade de pensamento!Tema:Sentimentos!

O dia da liberdade de pensamento
, não deixa de ser interessante que exista um dia assim, porque na verdade é a única coisa na qual somos TOTALMENTE livres, é no pensamento!

O que valeria mesmo a pena, era criar um evento onde nos pudéssemos exprimir, com a mesma liberdade com que pensamos. Aí sim seria um feito. Já estou a imaginar a cara de algumas pessoas se soubessem o que penso delas, e até o que penso de mim quando estou com elas...

Embora lá hoje deixar umas quantas frases que exemplifiquem o que estamos a pensar, nada muito elaborado, apenas pensamentos, desabafos, suspiros. Experimentem e sentirão o alivio.

Eu vou deixar aqui umas quantas saídas sem qualquer relação ou selecção:

- Bolas, eu gosto mesmo de gostar de ti assim.
- Saíste-me uma verdadeira ave rara.
- Onde vais buscar tanta capacidade de te enganares?
- Como consegues dormir de noite com tanto que deixas por fazer?
- Porra que és mesmo estúpida, e burra para complementar.

E podia continuar, e continuar, aqui, porque no meu dia a dia, eu ponho por palavras o que penso, falo comigo, passo-me instruções com sons, chamo-me à atenção e penso livremente como sempre fui capaz e ninguém poderá impedir.

Haja liberdade para alguma coisa!

13.7.15

Os novos caçadores deste século!

Resultado de imagem para caçador
Feelme/Caçadores!Tema:Sentimentos!

Os novos caçadores deste século, já não são de prémios, nem sequer de cabeças, são de mulheres mesmo e o que fazem para o conseguir!

Juntam umas quantas frases, vão sondando o que grande parte delas gosta, analisam a forma como reagem, e PIMBA, "saltam" sobre a vítima, lançando um charme muito próprio e usando as palavras como fazem para o horóscopo, de semana a semana trocam os signos, mas vão debitando as mesmas lengalengas.

Quem ainda cai nisto?

Quem está desesperado, sozinho, carente. Quem já aceita qualquer trampa, foi esta a palavra que a Iva Domingues usou em televisão e que quase lhe custou a cabeça, mas eu posso, porque sim. Quem não distingue o trigo do joio e ainda está à espera do homem certo, no corpo e mente certos. Acordem do sonho, rapidamente.

Já muitos me conhecem pela falta de paciência para com gente com tanta falta de conteúdo, mas eu juro que tento, que sou diplomática, que não desato logo a deitar abaixo, mas se insistem. Ai a nossa vida...

Confesso que não me importo muito, até me deixa com mais opções para o que escrevo, mas mesmo tranquila no meu canto, não consigo deixar de me surpreender com a capacidade dos caçadores, e com a enorme limitação das presas, por favor, quando a oferta for muita, desconfiem, mesmo, estiquem-lhes a corda, lancem-lhes os dados, e garanto-vos que no mesmo dia, se não na mesma hora, lhes cortam logo a cabeça e seguem para o próximo, sem danos colaterais.

Cuidado meus amigos, tal como o mundo é redondo, depressa se invertem os papeis!

12.7.15

Humores, emoções...

Feelme/Humores, emoções...


Humores e emoções, estão, inevitavelmente ligados e condicionam tudo, para o bem e para o mal!

Se estivermos de bom humor, se recebermos o que nos chega, com sorrisos, com abraços sentidos (abraços no mínimo de 6 segundos, diz o Jorge), então o que vier a seguir, só poderá ser bom e fazer-nos bem.

Existem dias, em que mesmo cansada, depois de tudo o que já comecei, depois de te ter pensado, uma vez mais, cada segundo parece valer a pena, correr da forma certa e dar frutos. Será talvez de quem me acompanha na altura, de quem consegue mesmo estar comigo, sem máscaras, usufruindo do que tenho para dar, e retornando de forma a que possa sentir assim, como hoje.

Os nossos humores são como os nossos amores, sobretudo agora, vão e vêm, são o reflexo de quem nos rodeia, de quem chega e não consegue ficar, e de quem nem se aproxima, com receio de ser aceite e depois de não encontrar forma de recuar.

Os meus humores são como eu mesma, sempre de acordo com o que me deixam sentir, sempre a puxar-me para o lado certo, tirando-me do chão, quando me atrevo cair, e rebaixando a minha suposta altivez, recordando-me de que sou mortal, com erros que não consigo corrigir, mas com a minha vontade de melhorar, usando o que já aprendi, nunca me vendendo por pataca e meia, sendo EU em cada percurso.

Os meus humores estão de braço dado com as emoções de que sou feita, e gosto e continuo em frente, e divido se alguém precisar!

11.7.15

Ao lado de ti!

Feelme/Ao lado de ti!


Do mesmo lado, sem divisões, sem fronteiras que nos delimitem, à procura do mesmo, olhando para onde nos possamos ver, aos dois, é tudo o que preciso e desejo agora!

Gostava de estar do teu lado, em cada começo e final de dia, sabendo que é contigo que quero terminar.
Gostava de saber que existe alguém que me lê por dentro, e que sabe o que esperar de mim.
Gostava de poder gostar de ti, todo, sabendo o que foste, o que te sobrou do passado, e porque razão te construíste assim, neste meu presente.

Ao lado de ti, sei que seria capaz de suportar tudo, e que mesmo que não estivéssemos sempre, estaríamos o tempo que nos faria falta para nunca pararmos o "nós".

Juntos, acrescentando-nos, esperando pelas histórias em toda a história nova, nada nos traria para baixo, nem os amuos, os arrufos, os olhares de esguelha, nada, mas mesmo nada, bastaria para que parássemos de nos bastar.

Gostava de te poder ter ao meu lado, agora, neste preciso momento em que te penso, e lá mais para a frente, no resto da nossa vida!

10.7.15

Era eu contigo e eras tu comigo!

brunette, fashion, friends


Fomos, as duas, amigas do coração, ligadas pelo sangue, e juntas até que o permitiu a vida e as nossas escolhas!

Teríamos, eventualmente, que seguir percursos apenas nossos, mas tivemos tudo de nós, estivemos próximas quando e sempre que nos fizemos falta, sabíamos dos amores, das dores, mantinhamo-nos seguras esperando que a porta se fechasse para podermos dormir tranquilas, olhando-nos e vendo-nos realmente.

Caminhámos juntas até à faculdade, escolhemos os mesmos cursos, partilhámos o quarto e tivemos amores que se pareciam. Ríamos de tudo, usufruíamos  de cada conquista e incluíamos quem se aproximasse pela nossa alegria, luz e vontade de viver.

Tudo o que foi possível mantermos igual, ficou igual. Tudo o que a nossa garra nos levou a fazer, teve a opinião, a análise e a crítica que esperamos de amigos verdadeiros. Dizíamos muitas vezes que Deus errara na atribuição da família, porque deveríamos ter nascido irmãs, mas a verdade é que muito provavelmente não nos teríamos apoiado tanto se o fossemos, nem passado tantas horas a sonhar acordadas, falando, noite fora do que iríamos fazer juntas, e fizemos mesmo. Concretizámos cada desejo. Perseguimos cada sonho e fomos bem sucedidas, até quando criámos as nossas próprias famílias e as juntámos ao que já éramos nós.

Tivemos o nosso quinhão de balanços, de tombos, de dores que quase nos mataram por dentro, mas nada foi vivido, ou suportado sozinhas, até quando tive que te segurar as mãos enquanto as agulhas te furavam a pele gasta e a tua alma ameaçava abandonar-te. Estive SEMPRE onde deveria e não faria nada diferente, teria vivido com a mesma intensidade, chorado as mesmas lágrimas e rido até me doer a barriga. Não mudaria nenhuma vírgula a tudo o que te disse, nem à forma como te amei, minha irmã do coração. Não mudaria a felicidade que te fiz sentir tantas vezes, mudaria só e apenas a hora em que ouvimos ambas, de mãos bem apertadas e de coração a saltar do peito, que a tua doença te levaria, e levou mesmo, para tão longe que não tenho forma de te tocar, de te abraçar e de voltar a rir das tuas loucuras.

Era eu, contigo e eras tu comigo desde que sou gente, e agora tenho que continuar no meu percurso, sozinha, cuidando dos meus, dos teus e mantendo apenas as memórias, porque essas deixarei iluminadas para que saibam todos o quanto podemos ter a outra metade de nós também numa irmã.

Eu estou aqui e sei que desse lado iluminarás os meus caminhos, e que mesmo nunca voltando a ser os mesmos, continuarão a ter-te na estrela que olho de cada vez que levanto os olhos para que não me vejam as lágrimas.

Era eu contigo e eras tu comigo e assim seremos, até que nos tenhamos de volta!

9.7.15

Masoquismo = a doença!



Já nem sequer é rara, porque cada vez mais e mais pessoas parecem gostar de sofrer, de sentir uma nostalgia que os leve a ver novelas mexicanas e a chorarem no ombro dos amigos, com frases a acompanhar, do género "ela não podia ser minha", " vai ficar para sempre em mim"...bla bla bla...

PLEAAAASE!


Onde foi que eu errei meu DEUS, para só esbarrar em gente lamechas? Que raio de castigo é este?Mas afinal o que é que os move, e porque razão gostam de se "lambuzarem" em comiserações, em sentimentos da treta e em amores impossíveis? Sabem em que século se escreveu "Romeu e Julieta"? Tenham dó...


Estou com pouca paciência para quem prefere a mágoazinha para se alimentar, do que a vontade de viver, de tocar, de beijar, e de amar alguém, MESMO. Larguem-me a braguilha que eu já dobrei a esquina, já estou longe.

Se querem, querem, se não, desamparem a loja, vão morrer longe. Calma gente, não estou zangada, não mesmo, estou pasmada com os filmes que vejo por aí e é com cada realizador. Continuo a dizer que a maior vantagem de todos estes dramas, é a matéria infindável que me fornecem, não tarda tenho mais 2 romances escritos, daqueles de faca e alguidar, com muito choro. Preparem os lenços!

Já me ri tanto, mas tanto, que até fiquei com uma dor igual à que sempre me ataca quando exagero na corrida. Bem feita. É para eu não gozar com os "desgraçadinhos"!

8.7.15

Só queres o que não tens!




Só queres o que não tens! Os eternos "caçadores" sem arma são assim mesmo, e ainda vou saber de alguns com bengala, a apalpar rabos e a piscar o olho a quem passar. Não resisti a dar uma gargalhada só com esta visão!

Será que não lhes passa pela cabeça, um segundo que seja, que assim ou ficarão sozinhos, ou pior ainda, mal acompanhados, sobretudo por eles mesmos, como já estão há tanto tempo? Eu até entendo que não gostem da sensação de não ter quem os encante, mas como lhes sobra talento para mexer em tudo o que mexe, a sua solidão passa rápido, como rapidamente passará a sensação de não terem quem desejam, desejar sim, porque venhamos e convenhamos, amar não é o que sabem fazer, nunca foram capazes de aprender. 

Estar sozinho é uma opção, mas a grande maioria vive acompanhada de toda a gente, excepto deles mesmos, e como serão os últimos a ter o que quer que seja, haverá dias de vazios, de silêncios, mas só porque estão de asa quebrada, porque antes, cheios de força e de sangue na guelra, dividiram o melhor que tinham com outros, roubando o tempo que lhes sobra agora e provavelmente perdendo as  pessoas que realmente queriam saber deles, em todas as horas do dia. 

"Foste tu que escolheste, vais ter que viver com isso agora"!

7.7.15

Elogiar!

Feelme/Elogiar!Tema:Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Pegando numa frase, interessante, que alguém partilhou sobre os elogios, vou, com frases da minha autoria, porque tudo o que escrevo é meu, dizer o que penso sobre o assunto!

Eu, mais do que muita gente comum, sabe o poder do elogio, o quanto ele levanta a auto-estima e confere uma confiança que nos redobra as forças, levando-nos até a ver muito para além do que fazíamos já. Para além de mulher, sou educadora, dos meus filhos e dos filhos dos outros, e elogiar, reparar no que fazem bem feito, mesmo que seja pequenino, é tão natural como respirar, e eu pratico o elogio. Eu uso o "está bem feito", "és fantástico", "és incrível", com o natural e necessário, "amo-te" a acompanhar, e sei que efeito provocam.

Felizmente, não pertenço ao grupo dos que apenas encontram defeitos, nos outros, no sistema, na comida, no calor e no frio, eu olho, sempre, e em primeiro lugar, para o que é tão bom que faz tudo o resto valer a pena, MAS... atenção, aqui vem o lado que ninguém gosta, porque incomoda, obviamente, eu não sei dourar a pílula, e quando alguma coisa é mal feita, ao ponto de magoar ou prejudicar os outros, PIMBA, eu ataco.

O que tiver sido bem feito, e felizmente que conheço muita gente que me fez e faz bem, fica para sempre, e não apaga o que se fizer, posteriormente, mal, mas se mexer com as emoções, se me tocar na alma como se toca uma ferida que acabámos de fazer, então a dor vai condicionar as decisões e seremos obrigados a pesar e a medir cada acção e reacção, não podemos, eu sei que não o faço, colocar uma pala como os burros e apenas olhar em frente, porque os lados também são parte da nossa vida e cada pedaço de muitos lados, reflectem o que queremos e esperamos de nós e dos outros.

Assim sendo, e sem muita filosofia, sendo curta e dura, (mas nesta parte sempre podes fechar os olhos e ouvires a minha voz, porque ela raramente se altera), vou-te dizer, meu querido, que o que fizeste de mal, superou e MUITO, o bem que conseguiste oferecer-me. Não tenhas a pretensão de achar que umas quantas palavras, poucas por sinal, uns beijos e abraços, daqueles que apenas chegavam após um longo despacho oficial, poderiam alguma vez apagar o que não fizeste, o caminho, mesmo que mínimo, que te recusaste a percorrer, o tempo que te "atreveste" a dividir com quem nem conhecias, por teres o ego demasiado inflamado. O teu errado, magoou tanto, que até duvidei do meu discernimento, mas se te deixar mais feliz, o teu bem ficou, está guardado, e irá sempre servir para memória futura, até porque nem toda a gente é apenas má, ou pequena, muitas, e tu estás lá incluído, são apenas cobardes, e nunca assumem que erram e que isso jamais poderá ser elogiado, não por mim pelo menos.


6.7.15

Forever!

Feelme/Forever!


I don´t want to be just on my side, only for me, without you, without knowing, but feeling that you are the one!

I promise to take it lightly, to accept that I am not always right, that I can let you choose, and simply follow my heart, no explanations, and calling your name, because you are the one.

Forever, and ever, you will be who I already knew, the soul that matched mine, the laughter I can recognise, no matter how far. You are the light that brings clarity to my heart, you are the one who makes sense, you are my one.

I know I should have let you go, that I could have accepted that we don´t belong together, not here, not in this life, but I still want you, I always will, forever, you can bring back what I have lost, so please make it work, be mine, still.

I know you need me, I know you dream of me, that you pay attention, that you are close, I know, because what ever comes from you, is mine, it belongs to me, and that´s the only way I can continue, having you is what makes my world go round, so please stay, forever, I am begging you!

Melhor sozinha!

Feelme/Melhor sozinha!


Muito melhor, mesmo com a sensação de solidão que nos assola, do que erradamente e acompanhada!

Isto de ter vontade própria, de saber o que nos faz bem, como podemos tirar o melhor de nós e da vida, leva imenso tempo a construir, e vem com a obrigação de saber dizer que NÃO.

Não para os que acham que devermos ser carneiros, seguindo os outros, porque sabem para onde vão.
Não para quem acredita ter encontrado a fórmula para a felicidade, e que ela passa por simplesmente aceitar o que a vida nos oferecer.
Não para quem espera que consigamos, sempre, estar disponíveis, nunca contestando nada porque já fazem o melhor que podem e sabem.

Conformismos é que nem pensar, quando algo não está bem, e não nos basta, temos que o saber mudar, usando todos os nãos que o caminho trará, porque não há outra forma, não para quem espera ser feliz, ainda aqui, no seu pedaço de mundo.

Melhor sozinha, a sentir que falta alguma coisa, mas gostando de gostar de mim e dos meus, do que mal acompanhada, sobretudo por quem não sabe gostar, não aprendeu, e precisa apenas de umas quantas bengalas para ir prosseguindo em estradas mais duras.

Melhor sozinha e decidindo como gastar o meu tempo, sabendo o que fazer dos meus dias e que músicas ouvir, do que estar sentada, literalmente assim, à espera que me ofereçam o que deveria ser meu por direito.

Melhor sozinha, ainda, sem ter um amor que me complete, do que acompanhada por um amor de mentira!

5.7.15

Do que adianta...

Feelme/Do que adianta...Tema:Relações!
Imagem retirada da internet

Do que adianta estar com outra pessoa, se ainda és tu que me enlouqueces e deixas a fervilhar por dentro?

Água e azeite, assim somos nós, não nos conseguimos misturar e um acaba a sobressair mais do que outro. Não fomos feitos para estar juntos, não conseguimos acertar em nada, apenas amamos da mesma forma, com uma paixão desmedida, lutando para que tudo o resto continue se não estivermos por perto. Somos uma ilusão, não conseguimos estar na mesma hora, nem no mesmo lugar, a querer as mesmas coisas, mas os nossos corpos desejam-se, muito para além da nossa racionalidade.

Não vou voltar a tentar, a estar com um outro a quem não consiga chamar pelo nome, porque é a ti que eu amo, porque é em ti que penso quando me tocam, é o teu sorriso que vejo, e se fechar os olhos, sinto o teu cheiro, misturado com o prazer que me passavas.
Não vou arriscar, tão cedo, ouvir o que deveria sair dos teus lábios, os mesmos que me beijavam até quase deixar de sentir as pernas.
Não estou pronta, ainda, para te deixar ir, quero alimentar-me, um pouco mais, do que representas, mas que eu até sei que não podes manter.

Chamem-me masoquista, digam-me que gosto de me fazer sofrer, eu já sei isso tudo, mas ainda não sei como te resistir, como te afastar, e contigo o poder que exerces sobre mim. Não sei como posso ter o meu corpo de volta.

Do que adianta querer olhar para outro lado, se tu estás em todos?

Tive dias complicados...

adult, background, beautiful

Tive dias complicados, sim, daqueles em que me recordava de tudo o que vivi contigo e que mesmo não tendo sido muito, terá sido o bastante para que desejasse ter mais!

Já dou comigo a sorrir quando me recordo das palavras mais agrestes, que por vezes me enlouqueciam, mas apenas porque faziam realmente sentido. Já não sinto qualquer mágoa ou dor, estou sarada, não tenho mais nada a apontar-te, nem sinto que precise de te desculpar o que quer que seja, na verdade só fizeste o que eu permiti e nunca me prometeste nada, nem podias. Já não tenho nada do que reclamar, muito pelo contrário, afinal pude ver o lado de lá de uma alma"perdida", da que não sabe o rumo e que se agarra, firmemente ao que tem, para que não se lhe fuja o chão e disso, de alguém assim, já não quero mais. Já sei que em breve serás apenas uma imagem distante, com uma face cujos contornos deixarei de reconhecer e até os teus olhos deixarão de ter a mesma cor, nessa altura passarei apenas a recordar o que nunca me arrisco a esquecer, das palavras, as que disseste e das que fugiste por não teres o que dizer.

Tenho dias em que QUERO mesmo recordar-me de ti e do que foste, para que não tenha forma de me esquecer quando recomeçar, não cometendo os mesmos erros e seguindo de forma mais natural e tranquila com quem esteja na mesma sintonia, com quem me consiga realmente amar e não apenas fantasiar usando-me, mesmo que o intuito não tenha sido claramente esse.

Agora já tenho dias em que quando estás presente, és a saudade que me faz bem ter e mesmo que já não te sinta por perto, sei que ficaste no lugar que te destinei!

4.7.15

Mulher oferece excelente oportunidade!

Woman in White Off Shoulder Shirt
Feelme/Mulher oferece excelente oportunidade!Tema:pensamentos!
Imagem retirada da internet
Mulher oferece excelente oportunidade! Foi apelativo o título? Também achei, e não tarda é desta forma que passaremos a publicitar as candidatas a relações!

Em anúncios online, escarrapachamos as nossas qualidades, nunca os defeitos. Tudo o que esperamos receber, nunca o que queremos dar, com a desculpa de que isso virá com o tempo, e depois ficamos à espera, qual aranhas em teias bem construídas, para que caia a "presa".

Que não se convençam os homens, que já devem estar a esfregar as mãozitas, porque o mais provável é que seja o público feminino a socorrer-se mais destas ferramentas e a fazer como a verdadeira aranha, a viúva negra, primeiro acasala, e depois arranca a cabeça ao macho. Ups!

Ainda ando a pensar no meu melhor texto, terá que ser bem apelativo, do género - morena enxuta procura...

Lá chegarei certamente, não sou nem mais, nem menos do que as outras, e se for uma questão de sobrevivência... Estão a reconhecer-me? Naaaa, nem eu, ora bolas, até para ser cabra há que ter talento!