A tua namorada!




É assim que me vês, como a tua namorada!

Começou por ser estranho, despropositado, mas a verdade é que o que fazemos, agora, é exactamente isso, namorar, portanto e visto dessa perspectiva, eu sou tua namorada e tu és o meu namorado.

Parece que voltei à adolescência e que comecei a acreditar, outra vez, nas inúmeras possibilidades que sempre acabam a surgir, quando nos apaixonamos. Gostar, mesmo, de alguém, dá-nos um aconchego maior, e enche-nos de um desejo crescente de felicidade a dois.

Não me perguntaste se queria namorar contigo, disseste-me que estávamos a namorar e que eu passara a ser uma das pessoas mais importantes da tua vida. Eu acreditei e acredito, porque nunca me deixas margem para pensar de outra forma ou sequer duvidar. Não me perguntaste se estava disposta a arriscar numa relação, arriscaste tu, de imediato e tens vindo a ensinar-me a não ser apenas eu, a não querer saber e fazer, tudo, sozinha. Não me perguntaste se era capaz de te incluir e aceitar no meu presente, incluíste-te tudo, entraste de peito cheio e com toda a convicção que sempre têm o que amam.

Já me disseste que NUNCA tive quem se dedicasse, TANTO a mim. Quem se preocupasse, TANTO, comigo. Quem me adorasse, TANTO. Disseste até que eu estava mal habituada, mas que me irias ensinar, nem que fosse a "mal", porque te irias explicar muito bem.

A tua namorada, eu, está a perceber de que matéria és feito, que determinação pões nesta relação e até onde és capaz de ir para me fazer feliz.
A tua namorada, por vezes sente-se muito pequena, porque até achava saber dar-se, mas está a aprender que existe muito mais quando se quer realmente.
A tua namorada acredita, agora, que pertencer-te é um privilégio e que as "explicações" que nunca te cansas de dar, tornarão esta nossa caminhada mais clara.
A tua namorada está a gostar de namorar contigo.