17.3.16

Tiveste o meu coração na palma da tua mão...




Tiveste o meu coração na palma da tua mão e tiveste-me a mim durante todo o tempo em que me soube dar!

Fui sempre capaz de cuidar da tua alma com o que de melhor sei sentir e fazer. Sempre te falei no amor que o meu reconhecia e nunca deixei nada por dizer. Sempre te mostrei o que tinha e como desejava ter-te, para que soubesses o que fazer comigo e com TANTO. Tiveste sempre o meu coração, mas escolheste deixá-lo ir.

Cheguei a jurar que ficaria onde estava. Cheguei a pensar que nunca deixaria de pensar em ti, mas soube, assim que escolhi saber de mim, que deveria cuidar de quem me cuida e que poderia fazer o que me deixasse em paz comigo, e pronta para quem esteja realmente pronto para mim.

Por vezes os amores terminam. Por vezes quem ama não se reconhece, não ao mesmo tempo. Por vezes o que fazemos não basta ao outro e acabamos a ter que encontrar o nosso caminho, sozinhos. Por vezes teremos que esperar por mais umas quantas vezes, por outras voltas e por novos despertares. Por vezes nunca seremos nós, não ao mesmo tempo.

Talvez não estivéssemos destinados, porque não poderíamos ter permanecido no que não era e no que nunca foi, quando outros esperam, pacientemente, por nos ter, por nos amar e por ter nas mãos o único coração que fará com que o seu bata no ritmo certo.

Na verdade nunca te conheci, nem nunca soube como vieras parar aqui, a mim. Nunca entendi o teu percurso, porque ele não fora percorrido por ninguém próximo de mim. Não tínhamos nada em comum, não desejávamos as mesmas coisas, nem estávamos sequer no mesmo ponto da vida, mas sabia, soube sempre, o que fazer de quem entrasse e me conseguisse fazer sentir o que vale realmente a pena. Soubeste sempre que poderias ir amando, gostando e sentindo, até que te fosse permitido.

Lamento que tivesses deixado fugir o meu coração, porque o tiveste, bem na palma da tua mão...

Publicação em destaque

Finais que sabem a recomeços!

Somos o fruto das nossas escolhas, até das que adiamos. Somos os lugares por onde passamos e cada uma das pessoas que nos marcam, mes...