Jura meu amor!



Vou querer que jures e que me assegures de tudo o que temos passado, um para o outro, porque preciso e porque passou a fazer sentido!

Jura meu amor, que não cometerás nenhuma loucura nem mesmo por amor, porque preciso de te continuar a ter. Jura que sou a mulher que procuravas, mesmo que procurar seja um verbo que não conjugavas. Jura, não para que eu acredite, porque acredito já em tudo o que dizes sentir por mim, mas para que te possa ouvir uma vez mais. Jura que irás cuidar de mim da mesma forma e com a mesma vontade, durante o resto das nossas vidas, para que também eu cuide de cada pedaço de ti.
Jura, sem esforço nem obrigação, de todas as vezes que eu precisar e sei que precisarei, muitas vezes, de saber de tudo o que sabes, de entender o que começou eu ti e de manter o que nos representa aos dois. Jura que a ternura e o cuidado estará de mãos dadas e que nunca farás com que sofra para além do que sofro já por não te ter todo e a toda a hora.

Nenhum de nós se imagina, agora e no nosso futuro, a não ter quem temos no nosso presente, porque lá para trás, o que ficou deixou de valer a pena, deixou de nos servir e de nos definir. Nenhum de nós consegue, ou sequer precisa, de entender porque nos escolhemos e vimos desta maneira, mas o que podemos e devemos, em todos os momentos é saber que o que jurarmos será mantido e que TUDO o que mantivermos nos continuará a alimentar.

Jura, amor meu, que me amarás até quando eu achar que não mereço, porque eu juro que te amarei até quando não precisares de pedir!