Por vezes não há como esperar mais...

Photography | 25 Best Black and White Photography examples and Tips for Beginners:
Feelme/Por vezes não há como esperar mais...
respeito, o amor, e a amizade por alguém, permite-nos esperar que estejam prontos, mas obviamente que até as esperas têm prazo, e não se podem prolongar apenas para um dos lados!

Duas pessoas, são mesmo duas, certo? Não é uma a sobrepor-se à outra, e não é, certamente, uma a querer que a outra se anule, se subjugue, e desista de viver por si, para viver para o outro. Seja homem ou mulher, ninguém merece estar, sempre, em segundo plano. Precisamos, ambos de ter uma palavra, de chegar a acordos, regateando e cedendo sempre que possível.

Tu até sabes que esperei, pacientemente, por ti, para que me visses, para que te decidisses, achando eu que te dava todas as certezas que alguém poderá precisar, nunca te asfixiando ou acelerando o passo, por si só já tão lento, mas chegando a julgar que acabaria a morrer na praia, e não é que morri mesmo?

Mágoas, raivas, ódiosNão, nada disso, eu não me alimento do negativo. Eu não sobrevivo da morte, e não tenho qualquer costela de abutre. Gosto do que é simples e claro, sou uma fazedora, uma conciliadora, e de cada vez que pressinto já não serem possíveis as cedências, saio de cena.
Arrependimentos? Nenhuns, tive tudo o que conseguiste dar, quando o conseguiste fazer e usufruí de tudo.
DoresMuitas, daquelas que me arrepiam por dentro, que quase me obrigam a vergar, mas eu resisto, estóica, porque não fiz nada de errado, nem fui responsável pelo que não aconteceu. Dói-me a tua falta de amor, a tua frieza quanto ao que eu poderia sentir. Dói-me que nunca me tivesses visto no teu futuro, por mais distante que pudesse ser. Doeu-me cada palavra, dita com tal alheamento, que parecias estar a falar de outra pessoa.

Eu até que poderia esperar, se esperar valesse de alguma coisa e nos levasse a algum lado, mas o que querias não existe, não subsiste, nem resiste às tempestades. O que querias era apenas o que já tiveste, nadaO que querias era o que já tinhas vivido, e não foste capaz sequer de sonhar. O que querias era manter-te racional, o tempo todo, mas apenas porque não dominas o emocional, não te sabes entregar, nem entendes como pode alguém querer outra, mesmo, com entrega, e sem ferir. O que querias não poderia ser eu a dar...