Quando o amor e o verão se vão! - Blogazine

Resultado de imagem para casal passeando na praia ao por do sol
Feelme/Quando o amor e o verão se vão!

Amores que chegam com a temperatura que o calor carrega. Amores quase desenfreados, cheios de toda a energia que as noites longas nos fizeram acumular. Amores desesperados e ansiosos, por mudanças, por renovações e previsões de recomeços. Amores que começam à velocidade que terminam, mas ainda assim a valerem cada sopro.

Encontrar-te, de face já mais morena que a minha. Olhar-te e ser olhado da mesma forma, sabendo que tinhas entendido o que ainda não arriscara dizer. Sorrir-te sabendo que me irias sorrir de volta, esperando que me movesse, com passos seguros, porque me asseguraras do sucesso. Desejar-te, no minuto a seguir ao perceber que te poderia ter, fez-me confiante.

O verão durou o tempo que durámos nós. Estivemos quentes, intensos, determinados em prolongar, pelo tempo que estaríamos, juntos, no mesmo lugar, sendo de outros bem distantes, o que sentíamos, na mesma sintonia e velocidade. O verão durou dias quase loucos e noites pela noite dentro. O verão trouxe-nos, a ti e a mim, sabores que ainda não tivéramos, mas que acabámos a reconhecer. O nosso verão, tal como o amor que criámos, não teve lugar nem tempo para mais ninguém.

Ver-te rir e sorrir com os olhos. Saber que sabias, tal como eu, que apenas seríamos, ambos, cada um dos momentos que decidíramos experimentar. Deixar de lado, para o final do verão, o regresso à realidade que nos consumiria. Trocar cada toque vazio, por todos que nos enchiam e que não nos cansávamos de partilhar, foi o que nos deixou com a sensação de que valera a pena.


A despedida não foi chorosa nem cinzenta. Sabíamos o que tínhamos começado e terminar era apenas mais um passo e uma consequência. Tu serás, por muitos verões, o melhor amor de um verão comum, aquele em que decidimos ambos que podíamos, porque queríamos e porque sim. Eu fui, sem qualquer dúvida, o teu verão possível.