Vou escrevendo...

Resultado de imagem para mulher a escrever
Feelme/Vou escrevendo...

Vou escrevendo e nunca é apenas e só sobre mim, que se desenganem os que o querem acreditar. Por esta altura, 4 anos depois do início do blog, muitas são as histórias e os pedidos para que continue a falar de amores perdidos, bem-sucedidos alguns, mas muitos que deixam dúvidas por detrás de pessoas que outras tantas julgavam já conhecer.

A maior dúvida chega quando tentam imaginar a falta que farão, se é que a fazem realmente. Alguns gostariam de a poder gritar tendo uma resposta em tempo real, porque quando se teve alguém sobre e dentro da pele, algum tempo, diz-nos a razão que tirá-la demorará o seu tempo. Será que demora mesmo? Lamento sempre decepcioná-los quando digo que para certas almas, entrar e sair será tão veloz quanto a cópula dos coelhos. (Esta parte teve o intuito de vos fazer rir). Não adianta iludirmo-nos quanto às proezas emocionais das pessoas a quem já amámos, porque algumas serão mesmo trapezistas e saberão como dar mortais para a frente e para trás quase que ao mesmo tempo.

Meus queridos, quem nos sente a falta, procura-nos, e se as desculpas forem os muitos medos ou dúvidas quanto a isto ou aquilo, não acreditem, porque não é verdade. Mesmo que vos digam que o que é para uns não será de igual forma para os outros,  AMAR MESMO, faz com que tudo o que desejamos e esperamos da vida esteja com aquela pessoa, e se ela existe, se tem por nós o mesmo sentimento, então o que nos poderia impedir de a procurar? Nada, a não ser a falta de amor.

Tem sido uma aventura, esta de passar por tantos corações feridos, de tal forma que me têm ajudado a curar o meu, porque também terei uns quantos assuntos por resolver, umas tantas perguntas para as quais gostaria de ouvir respostas, mesmo que já nada me tirem o sono, porque para mim o que não consigo mudar, está resolvido.

Gostava de ver e sentir mais sorrisos, de perceber que as pessoas conseguem realmente amar para serem amadas. Que os seus egoísmos se poderiam afunilar se ao menos percebessem que sozinhos,  não terão como sentir o calor de beijos apaixonados, nem as mãos trémulas quando tocarem o corpo que os esperará, ansioso. Saber que o que importa realmente é ter no nosso percurso, e não no final, quem fará tudo valer a pena. Não estamos cá para mais nada, e apenas o amor, se o conseguirmos sentir, fará de nós pessoas melhores, mais corajosas, capazes até de tapar o sol ou a lua, bastando que estejamos a sorrir por dentro.

Vou escrevendo, sempre,  na esperança de que muitos de vocês se reencontrem e nos consigam passar a felicidade que todos procuramos!