31.10.16

Ai o amor!

Feelme/Ai o amor! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet



Ai o amor, o amor não se implora, não se pede, não se espera...

Foi o que li num texto partilhado e cada vez acredito mais nisso. O amor ou chega, no tempo em que se precisa, ou é dado, de vontade, desejando o outro e apenas querendo ser desejado, ou não adianta, nem pedir, nem esperar, desesperando.

Nada pode ser mais fácil do que desejar outra pessoa, do que a querer na nossa vida, para nos encher de sentimentos que se intensificam e que crescem como crescemos nós. Sempre que alguém cruza o nosso caminho, começar de novo passa a ser um desafio. Reencontramos traços que perdemos, algures, em dores antigas, e que até nos poderão ter deixados adormecidos, mas que de repente como que por magia, despertam-nos e recordam-nos que sentir assim sempre será bom e que se já o foi antes, poderá muito bem voltar a ser.

O amor é apenas o motor de arranque, uma vez começando o carro a mover-se, tudo o resto fará o que é suposto, levando-nos até onde o nosso combustível o permitir. O amor permite-nos sonhar, e sonhar pode ser grande, dando-nos poderes, asas, corpos prontos e olhares que nunca mais se desviam.

Não me vou deixar levar por amores que me possam corroer e por sentimentos que alguns temem reavivar, com medo de serem felizes. Não vou fugir da sensação de vulnerabilidade, porque ela apenas me lembra que estou viva e que também posso ser frágil. Não vou impedir-me de sentir o que me faz mover a velocidades certas, porque parada sou apenas eu e sozinha não sirvo. Não vou deixar de olhar em frente, porque algures, do nada, pode surgir quem me consiga ver.

Eu não vou implorar amor, nem pedir que me sintam, que aprendam como me tocar, ou como me mover, porque se me amarem realmente, saberão!

Não foi fácil!

Monica Bellucci:
Feelme/Não foi fácil! Tema:Sentimentos!
Imagem retirada da internet



Não foi fácil, largar a parte do meu coração onde estavas tu. Eu sei como me custou aceitar que não poderia ser, que não existiria forma de voltar atrás, de recomeçar e que teria de parar de me magoar. Deixei-te ir, vi cada momento, senti cada decisão, bem dentro de mim, tão dentro que por diversas vezes achei que voltar atrás seria mais fácil...

Deixar de acordar contigo, a pensar no que correrá ao longo do dia,  passou a ser a minha rotina, a minha defesa e a minha sobrevivência. Não te incluir, não sabendo o que sentes, o que fazes e do que precisas, foi bem duro no início, mas eu mesma me curei e fui-me recordando, de cada vez que arriscava vacilar, que só tinha poder para mim mesma, para me proteger, de mim, para continuar a olhar para tudo o resto com os mesmos olhos, com a mesma vontade de ser e de ter o que continuo a querer.

Não foi fácil, admitir, aos outros, que não deu certo, que não consegui, que não soube como e o que fazer.
Não foi fácil dizer que continuo a ser apenas eu, mesmo que mais consistente e capaz de outros desafios.
Não foi fácil responder a perguntas que apenas tento adivinhar, porque nunca tive certezas e sem elas continuarei, até ao dia em que não saber deixará de importar.

Não voltarei a ser a mesma, nem poderia, mas apenas porque cresci e amadureci um pouco mais. Passei a ver para além do que julgava ser natural, tendo que conviver com quem não soube como conviver comigo, forçando-me a aceitar que a minha escolha tinha sido a errada e perdoando-me a mim por ter falhado os sinais. Nunca mais voltarei a ser tão crente que aceite sem perguntas, mas também não serei tão descrente que julgue serem todos os outros iguais.

Tudo é um percurso e uns serão, inevitávelmente, mais difíceis, a fazerem menos sentido e a não terem explicação, mas sem eles não estaria aqui, não seria a força que alimenta todos à minha volta, nem teria as palavras que vos ofereço, porque na verdade acabo sempre a dar pedaços do que recebo!

Deixa-me dizer-te!

Source: forthosewhocravefashion - http://forthosewhocravefashion.tumblr.com/:
Feelme/ Deixa-me dizer-te! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet



Deixa-me dizer-te quem sou eu, o que procuro e espero da vida!

Quando falamos que o amor não tem idades, eu entendo que não se trata de termos 30 ou 50 e de nos misturarmos, homens e mulheres, e os outros também, porque não me cabe ser discriminatória ou homofóbica, mas sim de termos a nossa própria idade e de querermos um amor que se encaixe, sem receios de que seja inapropriado, incoerente, louco, desesperado, ou sequer incoerente, porque eu quero querer da forma que me der na real gana!

Acabar sozinha não será uma opção, mas uma enorme dificuldade em encaixar amores mornos, daqueles que assentam na "idade" perdendo o melhor de cada uma. Eu não amo aos 50 como o fiz aos 20. Aos 30 já aceitava o amor que construíra e pedia muito pouco do muito que ainda estava para vir. Aos 18, quando achei que amava mesmo, estava apenas a dar os primeiros passos. Valha-me a Santa, havia partes do meu corpo que desconhecia de todo e que nem imagina me pudessem proporcionar os prazeres que retiro deles agora.

Eu QUERO um amor INTEIRO, aquele em que me encaixe, que me faça sentir as tais borboletas na barriga transformarem-se em abelhas, mesmo que piquem. Do que me adianta ser a que "manda", a que pode definir como e quando, se do lado de lá não vier quem entre realmente?

O amor depois dos 40, depois de já ter testado e sentido tanto, ainda é capaz de me dar muito mais.

What about sex? Uauuu!! É melhor, mais maduro, menos botões, mas com muitos ainda, novos, coloridos e electrizantes. O amor, agora com sexo à mistura, é o que sei, é o que entendo e o meu corpo corrobora cada palavra.

Deixa-me dizer-te de que forma estou disposta a amar, só para a eventualidade de ainda não teres entendido:

- Amar para mim é o que me compõe, é tudo o que sou, com várias camadas de pele, sem receios de que corra mal, porque terei tido e percebido.
- Amar é não ter que me sentir com medo de estar demasiado apagada, ou tão viva que te assuste.
- Amar deixou de ser cliché, porque a idade ensinou-me que existe mesmo, porque o senti, porque o
  vivi e se não ficou foi porque ainda não aprendeste a amar de volta.
- Amar és tu, quem quer que já tenhas sido, e quem ainda voltarás a ser, tantas e quantas vezes eu
  precisar de que me saibas mesmo.

Deixa-me dizer-te que eu amo assim e que eu sou assim!

Carregamo-nos!

women-and-curves
Feelme/Carregamo-nos! Tema: Relações!
Imagem retirada da internet


Carregamo-nos, uns aos outros, mesmo depois de nos termos estilhaçado e partido em mil pedaços. Carregamo-nos, acreditando que nunca mais voltaremos a ser os mesmos, e olhando para trás com a nostalgia dos que fizeram más escolhas, numa das perspectivas, ou dos que se arriscaram a viver e se deram mal, numa outra talvez mais coerente.

As emoções que nos envolvem chegam aos pares, amor e ódio nunca se despegam e conseguem, de alguma forma, e contra o que desejávamos, andar cá e lá, revezando-se até que nos esgotemos e acabemos a desistir.

Nenhum amor poderá continuar ou ser mantido à força, quando o desamor se instala, porque, rápidamente e depois dele, virá o ódio, as acusações, as mágoas e os ressentimentos. A verdade é que NADA, mas mesmo NADA do que nos acontece pode ser imputado ao outro, a nós foi-nos dado o livre arbítrio e se escolhemos desta ou daquela forma, talvez porque nos tenha realmente sido mais conveniente, há que aceitar, e parar de apontar dedos acusatórios, quando muito teremos que os virar na nossa direcção.

"O amor é cego"! Diz-se por aí, com enorme verdade, porque escolhemos o prazer que nos insufla o coração, à razão que nos espicaça de quando em vez e sem sucesso, tentando que nos mantenhamos acordados e a raciocinar. Amar é bom, CLARO, e ninguém duvida, mas quando e de cada vez que for unilateral, terminará depressa e mal. O amor é uma dádiva dos céus, é a nossa busca incessante pela perfeição, pela alma gémea, a que nos entenderá até quando não nos expressarmos e porquê? Porque não queremos estar sozinhos, sem um suporte emocional, sem alguém que nos cuide quando não o soubermos fazer. Não estamos preparados para nunca ter, do mesmo lado da nossa vida, a única pessoa que nunca nos abandonará, quem nos saberá perdoar as falhas, movendo-nos, de forma a sermos mais perfeitos, mais realizados e mais felizes.

Não sei se existe, se é possível, se o encontramos em alguma das vidas pela qual andaremos, mas que jamais desistiremos de o perseguir, isso já posso garantir. No entanto também precisamos de aprender a parar de carregar o desamor, teremos que o deixar ir, tal como foi a pessoa que nos parecia preencher, não olhando demasiado para trás e aceitando que todos os caminhos serão válidos para conseguirmos chegar ao destino certo.

Comecemos por nos perdoar e depois tudo entrará, de forma mais suave, onde é suposto!

Ela diz que a completo!

I love the cute pictures of every day life together. It's the little things that make a marriage bliss.:
Feelme/Ela diz que a completo! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Ela diz, que a completo, que a deixo mais mulher e eu não consigo deixar de me surpreender e de encher de mais desejo e amor. Ela diz, que a completo e eu preciso que seja verdade porque os meus dias são passados a respirar do seu ar, a desejar que nunca saia de mim e que me queira cada vez mais.

Encontrei quem mexe verdadeiramente comigo, quem não me assusta, mesmo passando verdadeiros sustos, sobretudo os de a perder. Ela é quem trás ao de cima o melhor de mim, em todas as circunstâncias. A sua constante alegria, os sorrisos que me oferece de cada vez que me aproximo sem vontade de nunca mais a deixar, apagam os meus momentos maus, dissipam as nuvens e trazem de volta o sol.

Não me canso de a olhar, de tocar a sua face serena, a sua pele suave aveludada e os lábios de um doce mais apurado que o mel. Os mesmos que beijo até que me seque por dentro, mas incapaz de me parar. Não quero ter que planear mais nada, porque ela entrou bem dentro da minha vida para mudar tudo e para melhor. Sei que ficarei bem, que me manterei eu mesmo, mas numa versão melhorada, porque nunca me quer mudar, não me impõe as suas vontades, porque diz ter apenas uma, que eu a saiba querer como me quer a mim. Tudo deixou de importar, até o que fazia bem. Os lugares que percorria numa necessidade absoluta de me reencontrar. Os amigos com quem privava e aos quais me abria e expunha. Tudo passou a ser o que é ela e tê-la comigo equilibra-me, resolve-me, deixa-me a ser o homem certo, para a única mulher que poderei ter, porque a mereço, porque a conquistei e porque sem ela nada voltaria a valer a pena.

Ela diz, que a completo e eu sorrio numa felicidade infantil que se mistura com a minha determinação de homem. Ela diz, que a completo e eu digo-lhe que passou a ser minha, hoje e sempre!

Onde encontramos o amor?

Artistic makeup - brush strokes. makes her look very much like a painting, How to apply makeup correctly, info here: www.crazymakeupideas.com----Bellos ojos mas bellos si ven vien. Controlate cada año. Lee ennuestro blog " Como descansar frente a la PC " y otros:
Feelme/Onde encontramos o amor? Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Onde encontramos o amor? Por vezes aqui mesmo onde estamos!

Não adianta procurar, querer muito, porque o que nos estiver reservado virá, mais cedo ou mais tarde. Eu agora já o sei e entendo.

A razão pela qual, muitas das vezes, as relações falham, tem a ver com a procura incessante de uma metade de nós. Será talvez por mito, ou por crença que acreditamos na sua existência, mas haverá realmente alguém que se nos assemelhe, que nos complete e nos traga a TÃO desejada felicidade? Esperamos todos que sim, porque de contrário continuaremos este percurso, por vezes bem sinuoso e longo, a sentirmo-nos desemparceirados, mutilados, sem um lugar que seja o nosso.

Cada vez que faço este exercício de pensamento e reflexão, convenço-me, ainda mais, de que a felicidade, os risos e as alegrias que poderemos ter e conseguir, deverão vir de nós primeiro, e quem sabe depois, com alguns ajustes, não acabamos a introduzir alguém, que consiga ficar.

Não existe manual nem fórmula ou sequer formato, o que aprendermos sairá do nosso pelo, deixará marcas mais ou menos intensas, mas seja de que forma for, no final alguma coisa de bom restará. Eu acredito que sim.

Espero que aprenda tudo ainda nesta vida, já agora, depois de tanto "trabalho" não me parece que seja pedir muito!

30.10.16

Quando te dás!

"E a sombra disse: 'inclui-me, ou eu te devorarei'. "  (frase de Lígia Prado, astróloga):
Feelme/Quando te dás! Tema: Me!
Imagem retirada da internet


Quando te dás demasiado, quando passas, metade do teu tempo, a cuidar dos outros, acabas a perceber, e nem sempre nos momentos mais tranquilos, que importas o que te deixarem importar e que mesmo que tentes e voltes a tentar, virá quem te diga, "eu avisei-te que era demasiado"...

Nada de mim é dado em vão. Nada do que mostro sentir pelos outros, é pequeno, simulado e sem entrega. Tudo o que preciso, é que entendam que não vem sem custos, porque também preciso de reconhecimento e de contacto visual, Eu sei que é meu, que o escolhi eu, mas não estou sozinha aqui, ou pelo menos achava que não. Eu sei que digo que não importa o que carrego, que o meu desejo é que o final seja definido e que tenha a clareza que coloco em tudo o que começo. Que valha a pena, e não apenas para mim. Eu sei que não cobrava, mas vou começar a fazê-lo, vou cuidar de mim, em primeiro lugar, vou liderar os meus passos, como já fazia antes, mas puxando menos a "corda" emocional que me tem deixado, demasiado, presa. Vou soltar-me de mim, soltando quem parece precisar que vigie menos e que esteja menos.

Não controlo nada, não consigo, mesmo que faça, aparentemente, tudo bem. Não tenho forma de levar a que os outros bebam da mesma fonte, que sigam passos mais seguros e a que parem de cair para serem, constantemente, levantados por mim. Percebi-o da única forma que funciona para mim, vivendo-o, sentindo-o na pele, deixando-me perder, por breves, longos momentos. Percebi-o e chegou no momento certo para mudar a sintonia.

Estou pronta para me desligar, já sei que consigo empreender sozinha, e que nada, nem ninguém, terá forma de me deter, de acabar a mudar o que acertei, com tanto empenho e conhecimento. Já não me vou voltar a mover no escuro, com medos que me gelavam antes. Já percebi que passei as ferramentas e que agora me cabe dar um passo atrás, e deixar que sigam, sem mim. Já percebi que me libertaram do que me parecia sufocar, que só conto até que me deixem contar e que só faço falta, se faltar realmente.

Quem, eu?

Feelme/Quem, eu? Tema: Me!
Imagem retirada da internet



Será que eu sou assim, como me dizem ver?

Assusta um pouco esta imagem que tendem a criar, baseados não sei muito bem em quê, mas que pode ser perigosa, sobretudo se eu não estiver à altura.

Sou muito apologista do, "What you see is what you get", mas há muito mais para além do que se vê, para o bem e para o mal.

Como é que eu me vejo? Como alguém que a cada dia se torna mais exigente e obstinada, quero TUDO, não aceito migalhas de ninguém, e muito menos da vida. Eu sou a que decide e por consequência, vou manter-me nesta linha, com a minha fasquia nos píncaros, até que o cansaço me "leve".

Por vezes tendo a surpreender-me com a avaliação que me devotam, será porque os olhos vêm o que o coração deseja?

Haverá sempre uma solução mais rápida e eficaz, na dúvida, perguntem que eu respondo!

Acreditar em ti!

Feelme/Acreditar em ti!Tema: Contos!
Imagem retirada da internet


Nunca disseste que me amavas, nem sequer o teu olhar, mas fui continuando, encolhida sobre a minha fé, ou desejo, de que um dia te ouvisse dizer que eu sou a tal!

És carinhoso, surpreendes-me, passamos noites maravilhosas no teu apartamento, no mesmo onde não existe nenhum rasto de outra pessoa, um a.p. totalmente de solteiro, de macho que não precisa de outra mulher.

Afinal de contas, és bem sucedido, tens posição, berço, dinheiro, cozinhas bem, és organizado, cuidam do teu ninho, a mesma empregada há mais de 5 anos, uma adorável senhora com quase 60 anos, que não te vai bisbilhotar as gavetas e a quem nunca conheci.

Tens um mundo só teu, no qual não permites invasão, a tua determinação terá certamente uma razão de ser, eu só espero que seja incluir-me em breve, não sei, e tenho medo de perguntar, mas sinto crescer o desejo de ter outra rotina, de te ser mais próximo e de ser a tal.

Dizes que sou especial, inteligente, independente, que sei exactamente o que quero e como quero, e que isso te trás tranquilidade, paz. Mas será que gostas de mim, como eu gosto de ti? Será que me queres para companhia, hoje e sempre?

Eu acredito em ti, quando me mostras, até com as flores que não celebram nada, apenas os nossos momentos, mas nunca te ouvi dizer que me amavas, nem com os olhos...

Há dias em que me sinto down, sad, e que preciso desesperadamente de te ouvir dizer mais, muito mais. Há dias em que preciso de acreditar em ti e no que poderás vir a representar na minha vida...

Que raio fizemos nós?


Feelme/Que raio fizemos nós? Tema: Relações!
Imagem retirada da internet



- Porque será que tenho a sensação de que não voltarei a ser inteiro se não te tiver e se não estiver bem dentro, de ti?

Quando falas assim fico desarmada, com muito pouco para dizer, ou com tanto que até tremo. Sinto um medo real, de te dizer o que também sinto eu, e despoletar todas as emoções que pareces usar, para que eu possa reagir e deixar-te vir, instalar e provar-me que estou errada.

As relações, entre duas pessoas, por norma não chegam da forma que visualizámos, ou vêm tranquilas, a crescer com o tempo, ou vêm de rompante, a abalroar tudo à sua passagem. As relaçõe spor vezes levam-nos numa montanha russa de emoções que se terão que viver para que se chegue ao final da viagem. Tu e eu chegámos, na última versão, a sermos tanto que nos parecemos sufocar, consumindo-nos o ar, a pele e o corpo.

Não sei qual seria a probabilidade de nos reatarmos, se já nos tínhamos visto antes num registo diferente. Mas eis que vem um dia e tudo muda, até o pensarmos em nós, um no outro, passa a ser o que fazemos melhor .

Eu sei que vais acabar a ter-me e que já não haverá forma de nos pararmos. Eu sei que já começámos o que só irá continuar se a chama se mantiver e se o toque for o que esperamos ambos. Eu sei que tenho que parar de te parar, e que apenas deixando-me ir poderei ter certezas.

Não sei que raio fizemos nós, mas parece ter resultado!

Ao entardecer!

© Max Twain by Max Twain, via 500px2 by Elena Kucher, via 500px.  The items here on Pinterest are the things that inspire me. They all have vision and are amazing photographs. I did not take any of these photos. All rights reside with the original photographers.:
Feelme/Ao entardecer! Tema: Relações!
Imagem retirada da internet


Ao entardecer todas as cores se amplificam, até os nossos olhares mudam e passam a ver quem está ao nosso lado de forma mais real e foi com o pôr-do-sol a iluminar a tua face que te olhei e vi verdadeiramente. Foi ao entardecer que senti um desejo incontrolável de te falar do que sinto por ti, de como me tens mudado os dias e de como o que me magoava quase se esfumou, apagado pela tua presença, pela força que me passas mesmo quando não te tenho por perto. Nos entardeceres das vidas que esbarram na minha, sinto que tudo o que as manhãs descobrem, os entardeceres permitem iludir.

Se nos pudessemos fotografar por dentro, certamente que iriamos encontrar imagens de lugares com luzes próprias, daquelas que apenas quem sabe o que procura e que se afasta da mediocridade consegue ver. Se a tua "máquina fotográfica" me conseguisse eternizar pelo que sinto, o que irias ver seria tal como o final de tarde onde te tive. Pudera eu esticar o tempo que nos impediria de entrar na noite e de escurecer o céu que agora se ilumina tão intenso, e muito mais de nós seria dividido e entendido.

Ao entardecer, depois de tudo o que já construí, o meu tempo cresce, amplia-se e passo a ver-te de forma mais tranquila e sem as barreiras naturais do dia. Quem sabe não nos acertamos e transformamos os dias, inteiros, de forma a que nos possamos ver, sempre e para sempre....

29.10.16

No topo do mundo!

Feelme/No topo do mundo! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Quando estamos assim, no topo do mundo, de bem connosco, a achar que o que desejamos chegará, não importa o tempo que demore, vê-se, vêem-nos, ganhamos uma aura e um brilho que nos projecta!

Os níveis de serotonina aumentam com o sol, com os risos, com o bem-estar que nos passamos e até com o chocolate, na falta de um amor, tornando o ciclo completo.

Bem = Melhor

Quanto mais recebemos, mais oferecemos e tudo e todos à nossa volta beneficiam. Boas energias, é disso que falo!

Já não me lembro, nem quero lembrar, de quando foi a última vez que me senti sem auto-estima, a achar que não tinha o que precisava para chegar onde desejo. Sei do que sou feita, que reservas possuo, por isso confio em mim e nunca, até hoje, permiti que me levassem o meu bem mais precioso, o que me mantém à tona da água, mesmo quando mergulho por alguns segundos.

Tenho-me deparado com casos graves, alguns sem fim à vista, de mulheres que se perderam, para doenças mentais, algumas bem camufladas, mas que ao olhar atento mostram o ponto da sua fragilidade, e se uma mulher quebra, recuperá-la será sempre uma tarefa gigantesca Segundo dizem os especialistas, muitas vezes inglória.

É surpreendente perceber que bastarão algumas reacções erradas e mal calculadas, para que se cai num fosso fundo, escuro e de paredes lisas. A fronteira entre a sanidade e a insanidade temporária é tão ténue, que talvez sirva para que entendamos a nossa mortalidade. Não somos de ferro, não aguentamos tudo, nem mesmo as mais fortes, por isso há que fugir do que nos faz mal, a passos largos, porque ninguém nem nada merece que deixemos de nos reconhecer.

No topo do mundo, é onde me quero manter, mesmo que seja apenas eu e por mim, No topo do mundo para que veja de forma mais clara e possa continuar, até e quando me doer...

Não quero...

"There is no longer a woman's dreams..."  Photography by Tommy Cavarela:
Feelme/Não quero... Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet



Não quero o que não for meu.

Não quero quem não me queira.

Não quero ter que me justificar por ser eu, por amar assim, por ter muito.

Não quero quem me questione, por não me conseguir ver.

Não quero quem me adie, quem me faça esperar, quem não me toque.

Não quero quem não sabe fazer amor com a mesma entrega.

Não quero quem saia, de mansinho, mesmo sabendo que preciso que fique.

Não quero ter que pedir.

Não quero ter que esperar.

Não quero a dúvida, nem a indecisão.

Não quero o medo que me provocam por terem medo de mim.

Não quero menos quando sou capaz de dar mais. 

Não quero nem preciso de quem saiba viver sem mim.

Não quero quem se arrependa por não ter tentado.

Não quero ser forçada a deixar de querer, porque eu sei quem quero, de que forma e por quanto tempo.

Não quero passar metade do meu tempo a pensar no que fazer do tempo que me resta.

Não queria que fosse outro e não queria ter que deixar de te querer...

Quando eras tu...

Lembras-te de quando eras tu? Ainda consegues recordar como era quando eras tu e apenas tu, nos meus dias o dia todo?

City Chic Engagement Shoot in Denver:
Feelme/Quando eras tu... Tema: Relações!
Imagem retirada da internet


Quando eras tu, eu sabia o que fazer, o que esperar, de que forma me mover, eu sabia porque fazia sentido e porque não precisava de mais nada nem ninguém. Quando eras tu, eu fazia bem e da forma certa mesmo quando parecia errar. Quando eras tu, o que se acontecia à minha volta tinha a mesma cor, até quando se coloria de forma mais intensa.

Ter quem foi tanto. Ter quem passou comigo cada segundo de todas as horas. Ter quem acordou e adormeceu comigo, mesmo que lomge. Ter quem sonhámos, sonhando juntos e ansiando pelo toque que teria que chegar. Ter quem faria que tudo se encaixasse. Ter o amor, o desejo, o olhar e o toque que apenas conseguem os que se amam. Ter-te quando sabias que me tinhas.

Será que ainda te lembras dos começos, das corridas para cada um de nós, esperando que o dia não demorasse a passar, para que nos pudéssemos demorar um no outro? Será que ainda te lembras do som ansioso da minha voz de cada vez que ouvia a tua?

Quando eras tu, no presente que estávamos a conseguir reparar, vindos de um passado onde foramos tão pouco, mas querendo, desesperadamente, um futuro que construíssemos juntos, o que nos chegava era tudo o que nos fazia falta. Quando eras tu e apenas tu, nada do que eu julgava saber se encaixava, porque nos revolvíamos de forma quase louca, numa intensidade que parecíamos não ser capazes de suportar. Quando eras tu, eu sabia como te querer, de que forma esperar que me tocasses, onde e como te olhar, beijar e sentir. Quando eras tu, metade de mim vivia para te manter e a outra metade temia que deixasses de o ser.

Eu ainda me lembro e mesmo que agora sorria por te recordar, não consigo deixar de sentir que foste mesmo tu, pelo tempo que me permitiste. Eu ainda me lembro e não vou querer que me saia da pele o que implantaste, porque durante o nosso tempo eu fui MESMO, a mulher que quero ser. Fui o que certamente saberei repetir, até quando deixares de ser apenas tu...

Pensamentos!


Se fosses minha!

Men's Coats & Jackets Shopping, Design Ideas, Pictures And Inspiration:
Feelme/Se fosses minha! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet



Se fosses minha, se o pudesse dizer, se o conseguisse sentir, se fosse verdade, serias minha de todas as formas!

Não sei se me enfeitiçaste, o que tens que me deixa a querer sempre mais, a não conseguir que saias da minha cabeça, a desejar que te coles a mim, e que não precises de mais nada, nem de mais ninguém. Não sei quem és tu e porque entras assim, no meu sistema, paralisando a minha vontade de tudo o resto.

Não funciono sem ti. Nada é igual se não te oiço, se te afastas e se decides viver outras vidas onde não esteja eu.
Não gosto de gostar de mais nada, não me apetece, sequer, usar palavras que não sejam para ti.
Não decido, não escolho, nem sonho se não for contigo e por ti.
Não é doença incurável, é apenas um amor que nunca experimentei antes, são emoções, talvez em demasia, mas que para mim fazem sentido e me servem.

Será que posso dizer que és minha?
Será que o permites?
Será que me aceitas?

Só posso prometer que tudo farei para não te falhar. Que estarei aqui, sempre que precisares de colo. Que farei de ti a minha primeira opção e que o meu amor não se esgotará, porque amar-te foi o que aprendi a fazer melhor. Só posso prometer que te quero comigo, sempre e para sempre, porque agora és tu que me moves e me renovas a fé na vida, nas relações e na felicidade da qual fugi para não ser magoado.

Quem sabe, não me surpreendes, e acabas a dizer que sentes de igual forma, que não receias que passemos a ser apenas nós.
Quem sabe, não me pedes, para que te peça, e não fazes de mim o homem que sempre esperei ser.
Quem sabe, até sabes mais de mim e estás a sorrir ao óbvio.

Eu só preciso que sejas minha e que que o digas, com a convicção que pões em tudo o que fazes, e que me "prendeu" a ti, asssim. Vou ficar, aqui, onde estou sempre, ansiosamente, à tua espera!

Quando eu já não estiver!






Proverbs 4:25-27 Look straight ahead, and fix your eyes on what lies before you. 26 Mark out a straight path for your feet; stay on the safe path. 27 Don’t get sidetracked; keep your feet from following evil:
Feelme/Quando eu já não estiver! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Quando eu já não estiver, sei que irás sentir a minha falta. Vais querer ouvir-me,  tocar-me, mas eu já não estarei mais aqui, mesmo e nem terei como voltar!

São escolhas, foram as tuas. As minhas, agora, passam por um outro Universo, por um lugar que me acolherá e no qual irei recomeçar. Quando deres por ti, eu já estarei a tirar-te de mim, terei viajado muitos quilómetros e começado a ver gente nova, lugares que me abrirão horizontes, começarei a ter rotinas que já não te voltarão a incluir, nem memória de ti, porque lembrar-te seria masoquismo e seria sofrer em vão...

Talvez sintas a minha falta quando eu te faltar realmente. Talvez passes a lembrar-te, mais vezes, do que desejávamos ambos. Talvez te arrependas do que deixaste por fazer, mas aí já nem eu poderei valer-te, a nossa distância será tão grande quanto ainda é o meu amor por ti, aquele que se vai desvanecendo, agora mais depressa, sabendo o que há fazer e desistindo de lutar.

Eu já regressei, há algum tempo, às minhas rotinas, deixei de te pensar a toda a hora, deixei de ter espaço apenas para ti, foquei-me em mim e nos meus e passei a acrescentar muito ao que já era meu. Perdi-te, eu sei, mas apenas a ti, porque eu continuo aqui, a querer as mesmas coisas, a ser a pessoa com quem se conta, a propagar-me a estar para quem precisa de mim.

Eu continuo aqui, a ser quem sempre fui, da mesma forma, mesmo que em maior descrédito. Tu continuas aí, do lado que também estiveste sempre, porque apenas foste vindo quando a minha falta crescia, talvez porque eu tivesse algo de especial, ou diferente, mas existem coisas das quais não se regressa, vidas que não recebem a benção da segunda oportunidade, e almas que nunca se juntarão, não importa quantas vezes se cruzem. Nada a fazer, nada mais a dizer, nem quando não ter quem importa se tornar insuportável.

De lá...

Feelme/De lá... Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet




De lá, não se volta!

Não temos como voltar do lugar onde enterraram metade de nós. Não sabemos como tirar, de dentro, do buraco, do escuro, a esperança feita em pedaços minúsculos, de vidro, que só teriam porque se partir quando nos agarraram com uma força desmedida e nos fizeram perder o suporte.

Quando alguém se entrega, acreditando que poderia estar de alma aberta, sem camuflagens, usando e falando de todas as palavras, saindo da sombra, rindo-se à luz que surge, caminhando com passos seguros, em direcção a alguém e a algum lugar, fica tão vulnerável que se for magoado, atingido, numa luta desleal, numa entrega falsa, muito dificilmente sairá inteiro...

De lá não se volta, desse lugar obscuro onde se passa a questionar tudo. A sensação de medo claustrofóbico paralisa cada membro, prende até a respiração e deixa-nos a morrer, enterrados, tão abaixo da terra, que escapar passará apenas pela capacidade de vermos mais para lá, para fora da bolha, como se uma mão estendida nos guiasse e nos puxasse com força. O corpo até poderá vir à superfície, mas o resto morrerá, como morto ficará até o olhar, a capacidade de voltar a acreditar e a coragem de sentir o que nos matou antes.

De lá não se volta, fica-se morto-vivo, e até os que se achavam fortes perceberão que apenas salvaram metade, porque tudo o resto, o que faria a diferença, o que existia para completar e para acrescentar de forma a que nunca se duvidasse, permanecerá lá, durante o tempo que o nosso tempo entender!

28.10.16

Mereço ou não?

Feelme/Mereço ou não? Tema: Me!
Imagem retirada da internet




Mereço ou não, prometer-me a mim mesma ir até onde tiver que ser para conseguir que cada sonho deixe de o ser?

Já consigo que as lágrimas sejam de alegria e que aceite de forma estoica cada erro cometido, cada olhar que deixei de ver, cada pedaço de muitos outros que não bastaram para que deixasse de ser apenas eu.

Levou tempo até que aceitasse que ou sigo da forma que me identifica, ou ficarei pela metade, lamentando sempre o que permiti que me fizessem acreditar. Demorou, mas consegui, sobretudo, entender que não me posso camuflar, que se me defraudar em qualquer momento, jamais me conseguirei perdoar e que não tenho mais vidas para compensar o que não tiver tido forças para manter.

Parece simples. Parece fácil de entender, mas nunca o será, nem que todas as estrelas no céu se reposicionem. Aceitar-me custou-me tanto que até me arrepia pensá-lo, mas também me fez a única pessoa que concebo, a que olho em cada dia e reconheço. Sou eu em cada sorriso, em todas as lágrimas que largo de forma compulsiva, porque agora quando choro, faço-o como todas as tempestades conhecidas ou por identificar. Não sei sentir pela metade. Não provo, bebo e engulo rápido. Eu sinto todo o calor e sabores bem misturados e únicos.

Mereço a mulher que construí. Mereço não me deixar quebrar e ter conseguido passar a sentir e a desejar TUDO, para o bem e para o mal. Agora quem me quiser merecer que trabalhe tanto quanto eu!

Eu respondo!

Tippy Toe on The Pi -- ano.:
Feelme/Eu respondo! Tema: Me!
Imagem retirada da internet


Perguntam-me, varias vezes, para quem escrevo, se padeço de tudo o que partilho, se tenho mágoas de alma, e se sou assim tão abençoada, por todos os amores que descrevo. E eu respondo, tentando explicar que mesmo sendo eu em cada palavra, muitas delas serão apenas histórias de todos quantos se cruzam comigo e que me enriquecem ao ponto de nunca me esgotar, tendo matéria, amores, dores e arrepios que também me enregelam por dentro. Mas a verdade é que NÃO, nem sempre são histórias minhas. Nem sempre falo de mim, por vezes será apenas para mim, dizendo-me o que preciso de ouvir e mais ninguém consegue.

Tudo o que escrevo não encontra forma de ficar retido, porque se já sou difícil e por vezes intragável, imaginem-me "engasgada", sem poder "gritar" que mesmo quando não for eu, o serei sempre, porque é de toda a vida que me rodeia que me alimento. É de cada um de vocês que me chega cada pensamento, cada lágrima e todos os risos e rasgos de felicidade que a escrita me permite.

Escrevo para quem me quiser ler e para todos os que se conseguirem rever em vidas que serão de alguma forma iguais, com toda a diferença a que os pólos nos obrigam, a latitude, a longitude, o comprimento de onda, o gostar de sal e o ser intolerante à lactose. Eu sou cada um de todos quantos não se conseguem fazer ler, entender e até chorar em conjunto. Eu sou o que escrevo e não vivo sem os sons que provoco.

Obrigada por continuarem desse lado, porque eu ficarei deste, enquanto tiver palavras!

Pensamentos!


O que me inspira!

READ about: THREE RIVERS DEEP book series on FACEBOOK @ https://www.facebook.com/threeriversdeepbooks?ref=aymt_homepage_panel  ***A two-souled girl begins a journey of self-discovery...   (pic source:   http://misconceit.tumblr.com/ ):
Feelme/O que me inspira! Tema: Pensamentos!
Imagem retirada da internet



O que me inspira! Para além do amor? Tudo o resto. Pequenos motes que alguns deixam cair, aparentemente nada importantes, sons, imagens, desejos, uns mais escondidos do que outros, dores de alma e não apenas os meus...

Desde que me levanto, nas manhãs que antecipam dias duros e de muitas tarefas, que tenho sempre imensa gente para cuidar e amores para distribuir. Vou sendo sempre capaz de apanhar cada pedaço que sobra e que nunca deixo cair, alimentando-me de tudo com que alimento os outros, inspirada no que me inspira porque não sei estar quieta, nem parada, nem sem alma.

As músicas que tocam a cada começo de dia, movimentadas para me animar e lentas para que me sossegue, essas operam milagres e soltam-me como ainda mais ninguém foi capaz de fazer. Inspiro-me em mim, em ti, no amor que tivemos, no que deixámos perder e no que acredito que ainda consiga sobreviver. Inspiro-me em todos quantos dizem sentir-se representados, tocados por cada sílaba, identificando-se com o que tantas vezes "falo" mesmo que a chorar, mas que acabo a trocar por sorrisos que me ajudam a continuar.

O que me inspira manter-me-à aqui, sem que me demova, a mim, de prosseguir com o que sei fazer bem e que me dá a perspectiva certa da vida, a que vale a pena e me tem mudado para melhor, quando e de cada vez que falharem os outros!

Achas que adianta?

Resultado de imagem para mulher zangada
Feelme/Achas que adianta? Tema:Pensamentos!


Achas que adianta fazer com que os outros entendam que estão errados e que estiveram mal, quando eles próprios não o conseguem ver? NÃO, mesmo. Malhar em ferro frio nunca surtiu qualquer efeito, por isso o melhor é desistir e dar-lhes razão, fazendo o que se faz às crianças, acenando com a cabeça numa concordância discordante. As energias começam a escassear com a idade, por isso preservem-nas. Achas que adianta tentar mostrar que não se faz o que não se gostaria que nos fizessem, a quem nunca sentiu na pele o efeito do seu "veneno"? NÃO, mesmo. Teremos que esperar que provem o fel, que se lhes afecte a bílis e que vomitem dores que não se conseguem ver como se sentem. Só assim!

Os donos da verdade, os crentes num Deus maior, mas que tem o nome que lhe quiseram dar e que mais ninguém conhece. Os "doentes", de uma doença que lhes mina cada pedaço de orgão, funcionam qual relógio que nunca se atrasa, mas que tem uma hora que não serve a ninguém.

Eu odeio ter que me repetir. Odeio ter que fazer desenhos e que explicar o que para muitos nunca fará sentido. Mas porque não sou egocêntrica e não espero que o mundo gire à minha volta, deixo-os com as suas convicções e vou logo ali tornar-me útil,  fazendo o que importa para mim.

Eu já sei que com certas pessoas não adianta, nem sequer usar o dedo grande para lhes fazer gestos que às tantas ainda vão acabar a confundir, sei lá eu...

27.10.16

Se te doer!

Feelme/Se te doer! Tema: Relações!
Imagem retirada da internet

Se te doer, magoa-me bem mais! Não gosto da sensação que te passo, sem querer, de desconforto e de insegurança. Quero que me sintas inteira para ti e contigo e que consigas nunca duvidar do que me trás dentro. Se é contigo, então estou a 100, ou a 1000, não misturo, não procuro, não me aventuro, não tenho lugar para mais ninguém, não preciso de mais ninguém.

Os nossos meses parecem anos já, a tua firmeza em relação a mim, conquistou-me, revelou-te, deu-me certezas e vontade de te saber. És diferente do comum, és muito TU, com a garra que preciso, com vontades e desejos que me deixam ainda desconcertada, mas que surtem efeito e me deixam cada dia mais segura do que és para mim.

Magoei-te, sem qualquer intenção, aprofundei os teus receios e acabei mal, comigo, dorida por dentro a não conseguir processar. Se estiveres mal eu estarei bem pior, a minha tranquilidade passa pela tua e não quero dar-te o que recuso receber.

Ontem percebi o quanto gosto afinal de ti e como consigo, dia a dia, que o meu sentimento cresça e acabe a chegar até onde estão já os teus, bem definidos desde que me olhaste, desde que me viste e acabaste a sentir.

Pedi desculpa, chorei por dentro, acabei a magoar-me a dobrar, e decidi que não voltarei a repetir, nunca mais deixarei de te informar, como acordámos. Quando eu souber, saberás tu e juntos, diluiremos os danos, porque já importas demasiado para que me descuide.

Pensamentos!


Nada de usar demasiada emoção!

Femininity:
Feelme/Nada de usar demasiada emoção! Tema: Pensamentos!
Imagem retirada da internet


Quem o consegue? Quem sabe o que espera da vida e dos outros, quem se conhece, o bastante, para não abdicar de alguns valores, e do muito que conseguiu conquistar.

Vão sempre existir pessoas que apenas existem para nos perturbar, que chegam porque nada lhes corre como planearam, por incoerência ou por falta de carácter, essa análise já não me cabe a mim, mas o certo é que mesmo fazendo número, apenas têm a importância que lhe dermos.

Não precisas de voltar, não tens que te cansar a "gritar-me" as tuas frustrações, porque eu não quero saber do que sabes tu. Não me importa o teu percurso, os teus amores, ou a incapacidade em os manteres, o que me importa, verdadeiramente, é que percebas que não conheces nenhuma mulher igual a mim e esse prazer, lamento, nunca o terás.

Não esperes, demasiada emoção, da minha parte, porque a que tenho, cabe apenas nuns quantos, nos que escolho eu, porque sei com quem falo.
Não esperes que te dê, o que sozinha, pareces não conseguir, ou que me afaste para que passes.
Não esperes ter de mim, simpatia ou apoio, porque não estamos, nem sequer em lados opostos, os nossos lados não têm forma de se tocar, porque somos de mundos diferentes.
Não esperes, solidariedade feminina, porque eu conheço as mulheres de M grande, e desse grupo não fazes parte.

Quando, e de cada vez que permites que o teu excesso de emoção se sobreponha à razão, vais apenas arranjar forma de te magoares, mais um pouco. E se queres um conselho, um que seja realmente válido e gratuito,  posso-te dizer que o amor não se pedincha, não se impõe, nem se negoceia. Ou acontece, ou simplesmente, não.

Eu vou-te dar um desconto, não tens mais, pronto, eu compreendo!

Perdoar!

ḺỚV℮:
Feelme/Perdoar! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Existem várias formas de prisão e por norma, as emocionais são as mais complexas.

Perdoar é um processo mais simples do que podes imaginar, porque quando perdoas, aceitas que não podes controlar tudo, sobretudo a vontade dos outros. Perdoar é poder continuar, de forma mais tranquila e a conseguir retomar rotinas. Perdoar é a melhor e maior forma de amor, porque só perdoas quem foi importante.

Eu sou das felizardas, das que não odeia ninguém porque nem sei como se faz. Por vezes zango-me, claro, mas como nunca deixo nada por dizer, acabo a fazer as pazes comigo e com os que me deixaram na mão, recusando-me o que até poderiam dar, se quisessem.

Já me decepcionei. Já me surpreendi e já fui apanhada, de surpresa no meio das muitas surpresas que alguma falta de carácter provoca, mas NUNCA, em nenhum momento, tive intenção de odiar, não perdoando o que até se torna perdoável, bastando que passe a desejar outra pessoa.

Nada do que queremos, MUITO hoje, é totalmente impossível de se deixar de querer, amanhã. Se nos sentirmos presos, amarrados a quem não nos consegue provar o que sente. Se não tivermos retorno nos sentimentos e nas emoções que não temos receio de dar, podemos simplesmente desistir e parar de lutar.

De cada vez que te impedes de perdoar, agarrando-te ao passado que te magoou, tornas-te tu o prisioneiro e ficas amarrado de forma invisível a quem nada fez por te merecer. De cada vez que te impedes de perdoar, colando-te a um momento, a algumas palavras e à falta de cuidado de quem afinal nunca te cuidou, acabas a apertar mais as grilhetas e a deitar fora a chave.

Perdoa, porque perdoar é tão natural quanto amar e acredita que os benefícios a longo prazo compensarão!

26.10.16

Saudades de quem sente saudades, de mim!

Portrait - Black and White - Veil - Photography - Pose:
Feelme/Saudades de quem sente saudades, de mim! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Quem te faz falta está contigo de alguma forma. Quem mexe e remexe no teu interior, tem uma importância que mais nenhum outro consegue. Quem gosta de ti, mesmo, deixa-te saudades boas, de cada vez que se desvie, mesmo que por 1 minuto!

Ter saudades faz-nos recordar quem não pode ser esquecido.
Ter saudades torna-nos mais humanos e menos sós.
Ter saudades significa que algures, e num determinado momento, tivémos quem importava.

Sempre que me for dado escolher, vou querer quem me deixe saudades, quem me faça lembrar, a cada segundo, que não sou apenas eu que conto e que estar sozinho só é bom enquanto não nos sentirmos sós.

Há quem nos deixe saudades estando do nosso lado, mas esse sentimento pode ser dúbio, porque quando fantasiamos alguém que não existe, acabamos com saudades do que teríamos, se...

Já tive saudades tuas, sentindo que respirar era doloroso porque temia nunca mais te ter.
Já tive saudades do amor que reconheci, mal te vi, e que acabei a experimentar quando chegaste.
Já tive saudades das conversas longas, das descobertas de nós, dos pontos em comum, das gargalhadas sinceras e das zangas disparatadas.
Já tive até saudades das saudades que acabaste a deixar-me.

Certamente, digo eu, ter saudades de alguém, deixar-nos-à com a sensação de que já foi, já esteve e já importou tanto que nos deixou a querer mais. Não sei se as minhas saudades diminuiriam se soubesse a dimensão das tuas, mas é de mim que falo e é a mim que cabe o sentimento mais incompleto do mundo, aquele que não se explica, apenas entra com o risco de não mais voltar a sair!

Tempestades de inverno!

‘Life through a Marble’ is a stunningly beautiful set of photographs by 16-year-old Cabe26 from New Jersey.:
Feelme/Tempestades de inverno! Tema: Relações!
Imagem retirada da internet


Por ti sou ainda mais eu. Por ti não permito que a chuva, os ventos fortes e os vidros embaciados me impeçam de continuar a lutar!

Mesmo que as forças se estejam a ir, eu sei que estarei, de pedra e cal, para ti, e que por ti serei capaz de transformar até as tempestades de inverno, trazendo de volta o sol. Não sou das que me perco sem causa, acredito que até as tenho em demasia e que por vezes apenas me falha por quem e para quem olhar. Mesmo que o meu amor possa ir brilhando por ti, afastando, com as mãos, as nuvens que se formam ameaçadoras, tenho dias em que as pernas desejam apenas falhar, sentando-me no chão frio e deixando-me "saborear" o amargo sabor da derrota, mas eu não deixo, não permito e endireito os ombros, compensando o que o resto do corpo grita em desespero.

A chuva cai, o bater do coração acelera e eu deixo que o choro salgado me lave por fora a dor que me mata por dentro.
A música recorda-me de cada imagem e atiça-me os pensamentos mais difíceis de suportar.
A rotina recusa instalar-se e apenas o pronúncio do inverno me faz pensar no muito que tive que caminhar para estar aqui, mesmo que sem ti.

- Não está a chover minha querida, és apenas tu, e estás a sentir-te derramar, lutando, desesperada, para te libertares do que te aprisionou numa tempestade que se recusa a passar.

De que cor é o fogo?

Hestia; Greek Goddess of the Harth and home, virgin goddess:
Feelme/De que cor é o fogo? Tema: Relações!
Imagem retirada da internet



De que cor é o fogo? Aquele no qual nos deixamos arder, sempre que esbarramos na paixão incontrolável, ou num amor inesperado?

Como é que nos sentimos, quando o calor chega e se instala, aquecendo até as partes de nós que esquecêramos há muito?
Como se retribui o calor que nos inflama e de que forma o mantemos?

Andamos por aqui, olhamospedimos, sonhamoscorremos, atrás ou ao lado, mas na maioria das vezes sem qualquer sucesso e sem sentir o único fogo que nos poderia afastar de qualquer mal.
Andamos, esperamos, e quase sempre desesperamos, porque queremos o que não existe, procuramos a metade que não nos pertence, e recusamos seguir em frente.

Quem é que nos magoa mesmo, fundo e por tempo indeterminado? NÓS, sempre NÓS e culpamos o que estiver mais próximo e vulnerável. É de nós que sai a escolha, certa ou errada, e é para nós que volta tudo o que arriscámos, mesmo sabendo que perderíamos.

Gosto do fogo que me alimenta, porque preciso dele para me recordar que estou viva, e que tenho sentimentos e emoções que devem ser partilhadas.
Gosto de saber que alguém, para além de mim, se importa com o que sou e faço, e que espera para me retribuir cada gesto.
Gosto de conseguir acreditar que posso criar algo, do início, mantendo-me para me acrescentar.
Gosto da ideia de seres "TU" o responsável pelo fogo que me consome agora, mas de uma maneira boa, certa, e a fazer sentido.

A cor do meu fogo é sempre intensa, está viva, e brilha para me recordar de que vale a pena sentir, mesmo que com riscos.
A cor do meu fogo mudou quando percebi que eras tu que o acordavas, mas que terei que ser eu a não permitir que se apague, porque depois de ti continuarei a ser eu!

Nada como o tempo, para o tempo correr!

Quando os nossos sonhos estão prestes a se realizar...:
Feelme/Nada como o tempo, para o tempo correr! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Nada como o tempo, para o tempo correr! Um dia depois do outro apenas serve para que se veja, mesmo, a verdadeira face dos outros. Ninguém consegue ser diferente só para impressionar, demasiado tempo, e mesmo que nos tenhamos iludido, um dia qualquer, talvez até por razão nenhuma, acordamos a ver tão claro que já nenhum esforço precisará de ser feito para deixarmos ir o que nos prendia, com amarras tão invisíveis, que falhámos ver-nos a nós mesmos.

Temos aliados onde menos esperamos e se soubermos aceitar o que nos chega, conseguiremos parar de questionar quem nunca esteve, quem apenas buscou, de forma talvez até artística, "caçar" presas difíceis, no entanto convinha que soubessem que há que ter cuidados acrescidos com a caça dita perigosa, é que se apenas for ferida, se a morte não for imediata, o caçador passa a presa e o que parecia simples complica-se, quase sempre sem volta.

Todos nós nos enganamos, sim, porque deixamos, porque queremos, porque nos convém, porque nos sabe bem, mas enganarmo-nos não significa penarmos para sempre, muito pelo contrário, apenas torna todas as outras águas mais claras, e passamos a ver através do que já não adianta esconderem.

A dor confere poderes absolutos, porque com ela a alma agiganta-se, o coração aprende de que forma bombear sem se estatelar todo, até porque só temos um e os transplantes são demorados. Sentir que nos esmagam os sonhos, que nos puxam o tapete, pode até colar alguma descrença, mas se o que precisamos é de encontrar a felicidade onde ela existe realmente, conseguiremos entender que tudo fará parte deste caminho que não temos forma de parar de viver, e que até o sal pode adoçar a fruta ácida, dando-lhe um sabor que chegará mais tarde, mais único, mais real, e a valer mais a pena.

Nada como o tempo, não para curar, mas para permitir continuar, eu sei-o bem, porque já me fui, já saí de onde nunca chegaria a lugar nenhum, já reiniciei e já estou pronta!

Definição de amor!

Hearts in Nature - Curated by Lori Cartwright | kirtsy:
Feelme/Definição de amor! Tema: Sentimemtos!
Imagem retirada da internet


Definição de amor! Cada um de nós terá a sua definição, muito própria, acreditando, sempre, que será a certa e a única!

Sempre que me cruzo com quem consegue sorrir com os olhos, tal como faz com a boca, sei, de imediato, que estou perante alguém que tem o amor que lhe assenta e que agarrou a oportunidade de crescimento que se lhe impunha, não permitindo que o errado do passado se instalasse no seu presente.

Temos sempre uma palavra a dizer, sobretudo no amor e devemos acreditar que ele existe, SIM, porque existe mesmo, se ainda não aconteceu como esperávamos, é porque vem a caminho, só não o podemos bloquear.

Encaixar o amor de alguém nos nossos padrões é um enorme exercício, porque esse alguém tem defeitos e qualidades, mas não nos podemos focar apenas no que está errado, querendo mudá-lo o tempo todo, devemos, sim, aceitar as qualidades que certamente nos envolveram e o fizeram amar. Receber o outro tal como ele é, permitindo que se mantenha sem se anular, é meio caminho andado para o sucesso.

FácilNÃO, de todo, obriga a muitas lições extra, a muita motivação e foco, mas pode resultar, se quem temos é quem queremos manter.

Esta coisa do amor deveria ter um manual, mesmo que com mais páginas do que a bíblia, mas com imensos bonecos para ilustrar cada ideia, não havendo forma de criar dúvidas ou sequer ilusões. Nem percebo porque ainda não foi compilado e reconhecido, porque andamos todos tão perdidos e desiludidos, que certamente nos ajudaria, pelo menos a repensar decisões.

Se a nossa definição de amor for demasiado diferente da do outro, juntar duas pessoas torna-se quase tarefa impossível, mas como para cada impossível, a palavra possível está igualmente contida, o que quisermos que aconteça, acontecerá.

Estamos a banalizar o amor, a palavra e o sentimento. Estamos a tomá-lo por garantido, ou a arredá-lo, definitivamente, das nossas vidas, com os enormes prejuízos que tudo isso acarreta. Vamos reaprenderreconstruir, e apaziguar sentimentos, os resultados certamente que falarão por tudo o resto.

25.10.16

Na chuva!

Feelme/Na chuva! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Tenho ciúmes da chuva que toca a tua pele, a que se mistura com o vento que te fustiga, que te envolve num abraço gelado, mas que te faz arrepiar como nunca saberei...

Tenho pena de não fazer parte das tuas noites, de não saber o que sonhas e de quem se deita, ao teu lado, tocando-te, como a chuva, de mansinho, e enrolando-se no abraço que não poderei sentir, deixando-me com ciúmes, do que tens, do sorriso com que a presenteias, das lágrimas que lhe seguras, quando se entrega, porque te pertence.

Estou a olhar para as minhas mãos, tentando perceber porque nunca conseguirão estar perto o suficiente, para te tocar como o faz o vento, o sol que te põe os cabelos da cor do ouro e te abre o olhar, que brilha num brilho que nunca será meu, nem por mim.

Estou a deixar correr a água, forte, para que me fustigue esta sensação de vazio que carrego por não te poder sentir, por saber que o que sei está certo, e que o meu coração despedaçado é apenas por te saber feliz, sem mim.

Se deixarem eu morro, uma vez só, para te ver do outro lado, para estar nos pedaços de pele que já me tocaram, para parar de morrer quando perceber e vir que mesmo sendo difícil, terei que estar feliz por seres feliz, mesmo sem mim!

Na chuva, lavo a alma e reparo cada sensação que não tenho como reproduzir.
Na chuva sou eu, a dizer-te que não há nada que possas fazer, já não.
Na chuva, molhado por dentro, de mãos frias, as que mesmo estendidas nunca chegarão até a ti, sei que me posso perdoar, e retorno ao lugar de onde saí quando te consegui tocar.

O ontem e o hoje!

You're walking down these stairs very early on a foggy morning. You smell the faint scent of men's cologne, and hear footsteps, but, no matter how hard you look, you don't see anyone. You spin around and find you're now face-to-face with the illusive man... What happens?:
Feelme/O ontem e o hoje! Tema: Sentimentos!


Venha lá o diabo e explique, porque razão o sabor amargo de ontemhoje já me sabe a tão doce!

Para onde vai a tal da consistência, as ideias formadas, o sabermos que queremos desta forma, mas que depressa transformamos numa outra, bem melhor, mais racional talvez, mas certamente mais bem-sucedida? O que se passa com os mortais deste planeta, será que até a mudança das estações nos está a influenciar?

Não sei explicar tudo, mas talvez seja menos complexo do que parece. Na verdade estamos a viver à velocidade da luz, não paramos, na maioria das vezes, para pensar, para analisar o que nos chega, para equilibrar as palavras, regulando o tom que usamos para nos fazermos entender. Eis que passamos a largar, qual bomba, todas as mágoas, medos e preconceitos de que somos feitos, a partir daí, os danos serão sempre prolongados. No dia seguinte, e já estou a ser generosa quanto à passagem das horas, sim, porque há quem "acorde" daí a um par de segundos, mas voltemos atrás, no dia seguinte, já refeitos dos impactos negativos, começamos a ver com a tal da tranquilidade que nos andámos a roubar, e o que parecia caótico, deixa de ter qualquer importância.

Estamos a ficar todos malucos? É uma possibilidade, talvez de tantos produtos tóxicos que consumimos, mas eu penso que é mesmo pressa de viver, de decidir, de saber, de ter respostas e a pressa sem foi inimiga da perfeição.

Vou começar a tentar pensar, com calma e com tempo, quem sabe assim os sabores não se mantêm mais consistentes e não acabo a conseguir que o que realmente queria ontem, seja o que ainda desejo no hoje, sem tirar nem pôr demasiadas vírgulas!

Confia em mim!

I travel your length, like a river, I travel your body, like a forest, like a path in the mountain that ends at a cliff, I travel along the edge of your thoughts... ~Octavio Paz, from “Sunstone":
Feelme/Conia em mim! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Aprende a ouvir, realmente, com todas as palavras que uso e que querem dizer exactamente o que digo, sem embelezamentos, sem duplo sentido, sem qualquer intenção de te confundir!

Confia em mim quando digo que te amo, que preciso de ti por perto, que és o homem que me faz repensar o que tenho, agora, e que contigo posso assumir o que importa aos dois,
Confia que uma vez do meu lado, jamais precisarás de temer o que quer que seja, porque serás parte de mim e eu não me magoo.
Confia que se te deres, que se não quiseres o meu mundo e o das outras, que se não puseres na mesma cama, mesmo que em pensamento, outros corpos, eu te serei fiel, devotada, a tua mulher e amante.

Nunca precisarás de olhar por cima do ombro, porque eu estarei a cuidar de ti, do que tens, do coração que desejo a bater enquanto estivermos no mesmo tempo e lugar. De mim terás os dias seguros, reais, completos, tão preenchidos que até respirar sem mim será penoso.

Não tenhas medo de amar assim, para de fugir do que te trará a felicidade que não arriscas procurar.
Cuida-te, arruma-te e vem, estou à tua espera e vou fazer valer a pena, TUDO, o que já imaginas e o que ainda nem sabes que existe.

Confia em mim, prometo que me darei mesmo antes de o pedires. Amar-te é o que sei fazer melhor, por isso respira fundo, relaxa, deixa-te ir, eu mostro-te o caminho, anda, não demores, estou aqui, confia!

Não quero esperar mais!

.:
Feelme/Não quero esperar mais! Tema: Sentimentos!
Imagem retirrada da internet


Não quero esperar mais! Não quero que o meu mundo se mova de forma a que fique, eu, à espera do que certamente terá que chegar, não quando eu o disser, ou pedir, mas quando o sentir. E para te sentir...

Eu explico, ou pelo menos vou tentar que me entendas. Eu já sei quem és, vejo os contornos da tua face quando o meu sono é profundo, o que nem sempre acontece, porque raramente me desligo. Eu sei tudo o que ouvirei quando falares e qual é o timbre da tua voz. É colocado, determinado e quente, tal como o meu, fala quando me calo e diz-me sempre o que espero. Eu já sei o tamanho das tuas mãos e o poder delas de cada vez que me envolverem pela cintura, aproximando-me, tanto, da tua boca, que beijar-te será inevitável e carregado de um desejo que o meu corpo será incapaz de disfarçar.

Não quero esperar mais, mas não existe outra forma. Tu foste feito para mim, é comigo que vais permanecer, mas teremos que esperar, eu e tu, para que os planetas se alinhem e para que tu me vejas e reconheças como eu serei capaz de o fazer já.

Não deveria haver intervalos, não para este filme, o argumento teria que ser corrido, imparável e sem silêncios. Não deveria ser preciso passar pela mesma ponte, uma e outra vez, apenas para perceber que estava a escolher a margem errada. Não deveria ter que me saber tocada, olhada e amada, num amor de ensaio, para que a peça, pronta e com todas as personagens, pudesse ser estreada.

Não quero esperar mais, se até já te sinto o cheiro, e se cada um dos teus passos vão vindo, determinados na minha direcção. Não quero esperar mais porque preciso tanto de te tocar, de olhar os olhos que têm a cor que escolhi e de me arrepiar com o sorriso que virá da única boca que saberei beijar. Não quero ter que esperar mais, mesmo que saiba que não virás um minuto mais cedo e que por hora, apenas terei que te ir encontrando, noite após noite, nos sonhos onde és quem preciso e onde eu sou quem que trará até aqui, a mim, a nós!

Pensamentos!


Quem me escolheu?

Feelme/Quem me escolheu? Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet



Quem me escolheu? Já foram uns quantos, algumas vidas que não deixei que se cruzassem com a minha, corações que se diziam prontos para me amar, para me darem o que pareço procurar, em caminhos que nem sempre se encontram, talvez porque esteja distraída, ou simplesmente porque TU, a pessoa certa, terás que chegar e quando acontecer preciso de estar pronta, sem amarras!

Podia escrever um novo romance, apenas com os amores que já sentiram por mim, com todas as pessoas que se atreveram a falar-me do que as movia, esperando que as aceitasse, que me soubesse encaixar, mas nesta coisa do amor, ou sentimos, ou nunca chegaremos ao lugar comum a ambos. Nunca forcei nada nem ninguém, nunca procurei o que procuro em mim, o que sei que terei que ter para que pare, de apenas desejar, e sinta que me pertence mesmo. Nunca prometi o que não podia dar, fui sempre tão clara e direta, que acabei a assustar uns quantos, mas se querem saber a verdade, fiz sempre o que esperei para mim, que me tratassem com verdade, que nunca me oferecessem, a mais remota ilusão, e que não viessem se não poderiam ficar.

Qual teria sido o meu percurso se tivesse dito SIM mais vezes?
Onde estaria agora eu, e será que o que me amavam me bastaria?
Como viveria se estivesse com quem não me faz mover o corpo como faz tudo o que amo?

Já morri lá atrás. Já fui sem ser. Já estive sem estar mesmo, por isso nunca mais voltarei a aceitar apenas um dos lados da verdade. Já provei o sabor de uma relação onde estávamos ambos na mesma sintonia e por isso deixei de me contentar com menos. Quero TUDO, quero-te a ti que estás aí, à espera que te veja e aceite. Quero começar e terminar os meus dias, grata por te ter do lado certo da minha vida, desta, a única que tenho e que por isso me obrigo a preservar.

Quem sabe "amanhã" não estaremos, eu e tu, a falar do amor que, finalmente, conseguimos juntar...

O elogio!

G»Feelme/O elogio! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet



Pegando numa frase, interessante, que alguém partilhou sobre os elogios, vou, com frases da minha autoria, porque tudo o que escrevo é meu, dizer o que penso sobre o assunto!

Eu, mais do que muita gente comum, sabe o poder do elogio, o quanto ele levanta a auto estima e confere uma confiança que nos redobra as forças, levando-nos até a ver muito para além do que fazíamos já. Para além de mulher, sou educadora, dos meus filhos e dos filhos dos outros, e elogiar, reparar no que fazem bem feito, mesmo que seja pequenino, é tão natural como respirar, e eu pratico o elogio. Eu uso o "está bem feito", "és fantástico", "és incrível", com o natural e necessário, "amo-te" porque sei que efeito que provocam.

Felizmente, não pertenço ao grupo dos que apenas encontram defeitos, nos outros, no sistema, na comida, no calor e no frio. Eu olho, sempre, e em primeiro lugar, para o que é tão bom que faz tudo o resto valer a pena, MAS... atenção, aqui vem o lado que ninguém gosta, porque incomoda, obviamente, eu não sei dourar a pílula e quando alguma coisa é mal feita, ao ponto de magoar ou prejudicar os outros, PIMBA, ataco.

O que tiver sido bem feito, e felizmente que conheço muita gente que me fez e faz bem, fica para sempre, e não apaga o que se fizer, posteriormente, mal. Mas se mexer com as emoções, se me tocar na alma como se toca uma ferida que acabámos de fazer, então a dor vai condicionar as decisões e serei obrigada a pesar e a medir cada acção e reacção. Não podemos, eu sei que não o faço, colocar uma pala como os burros e apenas olhar em frente, porque os lados também são parte da nossa vida e cada pedaço de muitos lados, reflectem o que queremos e esperamos de nós e dos outros.

Assim sendo, e sem muita filosofia, sendo curta e dura, (mas nesta parte sempre podes fechar os olhos e ouvires a minha voz, porque ela raramente se altera), vou-te dizer, meu querido, que o que fizeste de mal, superou e MUITO, o bem que conseguiste oferecer-me. Não tenhas a pretensão de achar que umas quantas palavras, poucas por sinal, uns beijos e abraços, daqueles que apenas chegavam após um longo despacho oficial, poderiam alguma vez apagar o que não fizeste, o caminho, mesmo que mínimo, que te recusaste a percorrer, o tempo que te "atreveste" a dividir com quem nem conhecias, por teres o ego demasiado inflamado. O teu errado, magoou tanto, que até duvidei do meu discernimento, mas se te deixar mais feliz, o teu bem ficou, está guardado, e irá sempre servir para memória futura, até porque nem toda a gente é apenas má, ou apenas pequena, muitas, e tu estás lá incluído, são apenas cobardes, e nunca assumem que erram e que isso jamais poderá ser elogiado, não por mim pelo menos.

24.10.16

Pensamentos!


Não te quero magoar!

Intimate Kitchen Engagement Session | Wedding Ideas | OnceWed.com
Feelme/Não te quero magoar! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Nada do que te faz doer, me dá prazer. As tuas dores são minhas, as tuas mágoas alastram-se a mim e o teu olhar dolorido deixa-me sem saber como reagir!

Não te quero magoar, nunca o faço com essa intenção, porque quem gosta, mesmo, NUNCA, em momento algum, inflige dor ou sofrimento. Quantas vezes dou comigo a desejar abraçar-te, protegendo-te do que te deixa indefesa e em baixo. Quantas vezes, sinto, com toda a certeza, que apenas eu te saberia pôr de novo em pé, de sorriso nos lábios e pronta, outra vez, para o que nos vai chegando sem aviso.

Como, e durante quanto tempo serei capaz de te amar, com todas as tuas fragilidades e defeitos?
Será que o meu amor por ti pode mesmo, ser testado, logo após o primeiro revés?
Terei capacidade para te perdoar as inseguranças, esperando, paciente, para que fales sobre o que te preocupa?

Eu serei, sempre, a última pessoa a virar-te as costas, MAS, terei de saber, MESMO que me queres contigo, de frente, e capaz de apenas te agarrar as mãos, em silêncio se o precisares. Tenho poucas certezas, tal como teremos todos, no geral, mas sei do que falo, de cada vez que te falo de mim, do que passaste a representar na minha vida, do que me fazes sentir, e de que forma mudaste a minha própria perspectiva do mundo e das pessoas.

Não te quero magoar, porque não quero ficar sem ti. Já não saberia como retornar a mim, e mesmo que o fizesse, e eventualmente até que o faria, o sabor seria tão amargo quanto o saboreio já, bastando que o pense.
Não te quero magoar, porque de cada vez que o faço, magoo-me a mim, tanto, que acabamos derrotados, ambos.
Não te quero magoar, porque te amo. É simples!

Tanto que se aprende!

Feelme/Tanto que se aprende! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Tanto que se aprende sobre nós, pela forma como amamos outra pessoa!

O que nos muda, ou faz acordar para a vida, são os sentimentos, e quanto mais fortes, mais determinados ficamos. Muitas vezes acordamos surpreendidos com a nossa capacidade de mudar tanto, de revolver o nosso espaço, saindo da zona de conforto e de lugares comuns, apenas para conseguir quem nos parece ser certo.

Já dei comigo a dizer que nunca iria fazer isto ou aquilo, e que nenhum homem me faria ir a um lugar que não visualizasse, e afinal, assim que consegui sentir a força com que chegaram os sentimentos por quem amo, tudo se modificou, deixou de fazer sentido e parou de me roubar horas ao sono. Deixar-me sentir, não pensar tanto, aprender com quem certamente viveu o que não conheci, só pode ser bom e servir para me fazer crescer, ainda mais, por isso já sei como se faz, e de que forma encaixar outra pessoa na minha vida.

Qual o grau de casualidade que existe na chegada de alguém que nada nem ninguém previa? Terá sido assim tão casual, será que não o teremos pedido, nem que tenha sido em sonhos? Se estivermos atentos, acabamos a perceber que cada nova lição de vida é o seguimento do que estávamos a precisar de aprender, e que os nossos passos seguem sempre na direcção certa, mesmo quando parecemos não saber por onde ir e de que forma chegar.

Tanto que já aprendi com quem arrisquei amar, que estou certa não seria nem metade do que vejo hoje, se os meus medos me tivessem afugentado. De alguns fugi realmente, mas apenas porque senti mais do mesmo, do menos bom, do que não saberia a nada e não me soava a genuíno, mas dos que amei, mesmo que não tenham ficado, fiquei eu, e bem mais inteira e preparada!

O que vem mais forte do que o amor?

've got joy down in my heart:
Feelme/O que vem mais forte do que o amor?Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


O que vem mais forte do que o amor? Esta é fácil, só pode mesmo ser o ódio, e com que facilidade algumas pessoa odeiam!

Todos teremos um lado mau e um lado bom, eu acredito que sim, o incrível é quando o mau é bem pior do que tudo o resto, e acaba a emergir de forma violenta, provocando danos irreversíveis. Como nos podemos proteger de pessoas causticas, de gente que parece vomitar a bílis, quando consideram que o Universo conspira para os magoar? Não se trata de Universo meus queridos, o que acontece é que toda a acção resulta em reacção, mais simples ainda, cá fazes, cá pagas, e na maioria das vezes, com juros altíssimos, daqueles que já nem os bancos dão.

O que pensas afinal, sim tu que me lês agora de sobrolho levantado? O que pensas quando estás a amassar a pessoa que te cuida, quando consideras que o teu ar é mais necessário do que o de todos os outros, e que o poder que te assiste hoje não se poderá quebrar amanhã, deixando-te tão vulnerável que até pedirias um abraço a um sem abrigo? Do que te proteges afinal quando atacas, será de ti mesmo, de tudo o que já te sabes capaz de fazer, sobretudo magoar e desprezar quem nunca se impediu de te amar, mesmo contra todas as expectativas e sinais? Será que em nenhum momento receias que a mão pesada da justiça divina caia feroz sobre ti?

Algumas pessoas são verdadeiros case study, porque têm comportamentos que ninguém explica, e parecem, quando julgaríamos que até tinham tudo, o melhor e o que procuramos todos, padecer de uma doença terminal que as mina de cima a baixo, empurrando-as para o lado mais negro que a escuridão encobre.

Na grande maioria das vezes não sinto nada, nem pena, nem raiva, mesmo quando grito e esperneio, tentando que vejam a luz antes que seja tarde, mas como não me cabe fazer de Deus, só me resta vê-las esborracharem a cara no chão, e olhem que já vi umas quantas e não foi bonito. Quem sabe assim não aprendem? Lá estou eu como a mania de que o Pai Natal pode bem ter existido, mas apenas foi extinto!