As pazes estão feitas!

“What do we live for, if it is not to make life less difficult for each other?”  George Eliot:
Feelme/As pazes estão feitas! Tema: Sentimentos!
Imagem retirada da internet


As pazes estão feitas e não há nada melhor para se conseguir continuar, para se reentrar no caminho, que permitir que os outros se curem de nós. Eu fiz as pazes contigo, aceitei até as desculpas que falhaste a pedir e assim continuamos ambos.

Os dias agora passarão a ser como eram antes de ti, e assim sinto, outra vez, a alma cheia. Aceitei-te como és e percebi que não eras para mim. Não tenho nada para perdoar, apenas que continuar, entendendo as imperfeições, porque também eu padeço de umas quantas.

Dizemos que as desculpas não se pedem, evitam-se, mas errar é uma inevitabilidade, é apenas mais um das muitas etapas de uma vida que levamos a aprender e abençoados os que conseguem, refazer, voltar a dizer e recomeçar.

O ontem já passou, não quero ficar a mastigar carne com demasiados nervos, agora já sou quase vegetariana, como e engulo apenas o que me faz bem e restauro-me a cada momento, deixando para trás os que me atrasam e todas as coisas que vão ficando, a cada dia, mais pequenas.

A fasquia, essa, subiu vertiginosamente e agora, mais do que antes, sei que terá que ser à minha maneira, na minha medida, porque quero e porque posso. As pazes estão feitas e os recomeços carregam sempre uma adrenalina que sabe a ano novo, a lugar novo e a um potencial amor novo.