2.12.16

Blá blá blá masculino!

Resultado de imagem para homem com medo
Feelme/Blá blá blá masculino!Tema:Sentimentos!
Imagem retirada da internet


Blá blá blá masculino! Que língua, falam, afinal e como podemos interpretar os seus esgares que mais se assemelham a códigos morse?

Já estive mais longe de compilar um manual, com palavras-chave, com legendagem, mas a porra é que para isso também eu precisava de os perceber.

- Mas afinal és um homem ou um rato?

MEDO? Isso é o quê, alguma coisa que se coma? Medo da sombra, medo do amor, medo das mulheres, medo de não pertencer ao clube que vencerá o campeonato, medo de ter medo... IRRAA!

Estaremos irremediavelmente perdidas, se não os descodificamos. O resultado será um fim penoso, mas pronto, o efeito também será idêntico ao da injecção de penicilina, dói que se farta, mas protege durante uma década. Do mal o menos!

Sou mãe de três "homens" e acreditem que vou percebendo que nem a eles percebo, mesmo que ache que os conheço melhor do que qualquer outra pessoa. Também eles têm medo dos compromissos. De serem magoados e usados e também eles parecem não possuir defesas para o desamor, para as mulheres mais aguerridas e para a força de que agora são feitas. Quando ouço o blá blá blá deles, fico verdadeiramente assustada. Primeiro porque gostava de os ver usufruir das sensações, únicas, que os amores passam, mesmo que passem eles, os amores, à velocidade a que chegam. Segundo porque apenas a prática faz a perfeição, e se não tiverem forma de ir entrando, com ambos os pés, no mundo das emoções, nunca conseguirão a força de que vão, definitivamente, precisar no futuro.

Quanto a mim, a mãe, o assunto é menos grave, porque já amei. Porque acredito que já fui amada e já entrei de cabeça, corpo e alma no único mundo onde vale a pena viver. Se tiver que acabar sendo apenas eu, garanto-vos que não vou precisar da tal injecção de penicilina, porque criei discurso, articulado o bastante, para sobreviver a esta selva. Eu sei que me safo, mas também sei que nunca irei entender quem não se entende e que nunca saberei o que esperar de quem não espera por nada.

Este é o nosso novo mundo e há que saber viver nele. Boa sorte a todos envolvidos!

Publicação em destaque

Finais que sabem a recomeços!

Somos o fruto das nossas escolhas, até das que adiamos. Somos os lugares por onde passamos e cada uma das pessoas que nos marcam, mes...