E vão dezassete...

Imagem relacionada
Feelme/E vão dezassete...Tema:Miscelâneas!
Imagem retirada da internet


Hoje e pela primeira vez desde que sou mãe, estive práticamente ausente no dia da celebração do nascimento de uma das minhas crias. O meu segundo filho, o Rúben, fez, 17 anos e quase não me teve!

Por motivos profissionais fui forçada a dormir fora de casa, ontem, mas acreditem que apenas o meu corpo se deitou, porque a minha mente deu sinal de hora a hora e cheguei a sentir suores frios e claustrofobia, porque do outro lado da minha vida, ficaram 3 filhos, sozinhos. "Já são crescidos" - dizem os que não sabem NADA sobre mim e sobre a forma como sinto cada um deles. Podem até estar crescidos, mas não estou ainda, capaz, EU, de cortar o cordão e de repousar a alma.

O meu rapagão fez 17 anos às 09:35 da manhã. É o mais parecido comigo em termos de personalidade. Desafia-me. Tem vontade própria muito vincada. Sabe o que quer dele e da vida. Testa-me, mas estimula-me ao mesmo tempo.

Hoje não houve bolo, mas o amor não faltou. Hoje a mãe sentiu-se mais pequena e menos capaz de dominar "o mundo", porque na verdade não domina nada. Hoje o sabor do dia foi semi-amargo porque não me desmultipliquei como sempre pareço conseguir.

Eu sei que existem todos os outros dias do ano. Eu até sei que uma andorinha não faz a primavera. Eu sei tudo o que quiserem dizer-me para que me desculpe, mas hoje estive ausente do meu próprio parto. Talvez assim me entendam melhor.

Amar-te, meu filho, nem sempre é o que sei fazer melhor!