Eu, como sou!

Lindsay Fulton in our Nikiya leotard during our photoshoot. Available now at  thedancewearproject.com  Photo by Ballet Zaida.:
Feelme/Eu, como sou!Tema:Me!
Imagem retirada da internet

Nem sempre falo de mim, mesmo que use e abuse das palavras. Os que acham que me conhecem aoenas pelo que escrevo, podem desde já desenganar-se, porque a verdade é que nem eu mesma sei do que sou capaz e é sempre MUITO e TUDO. Nunca me defraudo e nunca me permito choramingar e reclamar do que me chega. Quanto mais vivo, mais aprendo e mais sou capaz de resitir às intempéries.

Estou, incrivelmente, mais serena e melhor preparada. Estou mais determinada a ser esta pessoa que me tornei, não tendo nada o que me apontar, porque sou para os outros o que espero que sejam para mim, mesmo que saiba já, que muito dificilmente estarão à altura das minhas exigências. Quero mais. Quero melhor. Quero voar porque correr já não me chega e quero, sobretudo, recomeçar a cada recomeço. Quero amar cada novo amor. Quero olhar e ver mesmo, o que distraídamente deixei passar. Quero que me queiram como sou, por inteiro, porque como escrevo, MILHÕES DE VEZES, metade de alguma coisa é coisa nenhuma. Quero continuar a ter respeito e orgulho em mim, o mesmo que o meu pai ainda conseguiu sentir. Quero que os meus planos sejam bem mais do rabiscos na agenda que vou enchendo ao longo do ano. Quero manter a capacidade de deixar que os outros façam escolhas, afastando-me, ou aproximando-me, para que não colida e provoque danos.

Já percebi, há algum tempo, que sou demasiada areia para a maioria dos "camiões", mas ao invés de me preocupar, vou-me deixando sorrir, sem qualquer receio de terminar sozinha, porque a minha felicidade não vem do exterior. A minha felicidade, não está nas mãos dos outros, se assim fosse teria mais altos e baixos que os gráficos da bolsa. A minha felicidade é fruto de tudo o que fui capaz de me ensinar e aprender. Já percebi que a cada ano algumas pessoas partirão irremediávelmente. umas de morte natural e após terem vivido uma vida em pleno e outras porque não me restará outra opção que não "matá-las". Já percebi que até me podem beliscar, mas nunca permito que me "mordam".

Para os amigos que criei, sou o que precisam e recebo deles o que me sabem dar. Para cada um dos novos que vão chegando, arranjo sempre mais um cantinho, aumentando-me e enriquecendo-me, porque esta caminhada deve ser feita na passada certa, mesmo que com hesitações.

Não sei tudo, mas já sei bem mais do que ontem e para hoje quero apenas continuar a ser eu, assim mesmo como sou!