A força que nos move impede-nos de desistir!

architecture, beach, clouds
Feelme/A força que nos move impede-nos de desistir!Tema:Sentimentos!

Criar barreiras emocionais e tomar decisões que nos desliguem do que já nos magoou, ou não acrescenta, não é para todos e nem todos serão capazes de o fazer. Saber do que precisamos e quem não nos faz falta, vem com um misto de uma solidão extrema e de um desligar que nada mais consegue, alguma vez voltar a conectar. Sabermos que teremos que continuar a ser apenas nós, no decidir e no sentir, atira-nos para um lugar que os outros não reconhecem, mas que nos assegura que estamos prontos para enfrentar o mundo.

A força que nos move impede-nos de desistir e eu não desisto de tudo aquilo em que me tornei. Não desisto de ser pura de sentimentos e de dar na proporção do que recebo, para o bem e para o mal. Não desisto de amar quem me alimenta o amor, porque sem ele nada mais me restará. Não fui sempre feita desta força. Não fui sempre fria o bastante para afastar quem quase me impediu de continuar a acreditar. Não nasci isolada de olhares que não se fixam, mas aprendi a não olhar para trás, porque é lá que está o que já não me serve mais.

Não tenho forma de vos passar, nem mesmo eu que vivo e respiro palavras, o vazio que sinto desde que escolhi escolher-me. Fiz um reset e recomecei do início. Acabei uma estranha até para mim, porque a força com que faço o que tem que ser feito chega a assustar-me. Passei a temer até o que penso, porque passei a praticar o que prego. Por vezes duvido do papel que me conferiram nesta vida, porque o considero demasiado para uma pessoa só, mas se o recebi é porque tenho como o representar.

Agora apenas a mim presto contas. Agora só recebo no meu espaço quem for bem-vindo e agora já não entrego de bandeja o que tanto me custa fazer crescer.

A força que nos move impede-nos de desistir e por isso aqui estou, de pedra e cal, a fazer com que me leiam com atenção e consigam interpretar cada sinal, porque se falharem serão vetados ao silêncio com que brindo os que não reconheço. Já desisti de mudar o mundo, agora mudo-me apenas a mim, todos os dias, até que ser eu se transforme na minha marca!