27.7.17

Consistência para que te quero?

Close-up of Man in Tree
Feelme/Consistência para que te quero?Tema:Sentimentos!

Agarrei-me sempre, com unhas e dentes, à explicação de que tudo o que fazia teria que ter consistência e tinha-a realmente. Sempre tive determinação na forma de olhar as coisas e as pessoas, mas acabei finalmente a perceber que posso mudar e que o que foi ontem, hoje já poderá ter novo formato e cor. Já aceito que se as luzes se acendem no final de cada dia, é para que possa continuar a ver, mas com novos contornos, com o conforto de ter conseguido sobreviver a mais um e de ainda estar pronta a continuar!

Ser consistente, exige-se sobretudo na forma de querer quem nos quer, de amar quem desejamos, de cuidar de quem nos muda e nos faz olhar para tudo o que afinal sempre esteve à nossa volta. Mas há que mudar o tom e o volume da consistência quando com ela vier a dor, a mágoa, sempre que os minutos se arrastarem pesados e nos roubarem a energia, os risos e a vida tal como a conhecemos.

Afinal também posso ser volátil, e em nome do que me fizer bem, posso reavaliar e decidir que quero assim porque sim, porque mando em mim, porque me quero onde me visualizo. Afinal não existe nada de errado em pedir, em te pedir, que não desistas de mim e que continues a olhar-me como já o fizeste antes, que me ames, como sempre senti e nunca me atrevi a duvidar, mesmo quando a tua quietude me roubou o sossego e me fez perceber o que se calhar não vira, e por isso mesmo é que precisava de te perder um bocadinho, não demasiado, porque perder-te de todo só me poderia matar e eu só quero morrer de amor, e das dores que o corpo aguenta e pelas quais espera, consistentemente!