14.1.18

Qual a parte de mim que mais gosto?

New Manicures, As Inspired by Modern Artists. art direction by natalie shriver, photos by dawn dicarlo, and nails by madeline poole

Qual a parte de mim que mais gosto? Não sei muito bem o que escolheria em primeiro lugar, porque até que gosto de quase tudo em mim, mas a ter que ser, muito provavelmente seriam as mãos. São o motor de tudo o que faço, gosto de as olhar, de as enfeitar, de as manter como a extensão do que sou. As minhas mãos nunca se fecham, são abertas tal como tudo na minha vida, estão sempre prontas a segurar as que se estendam para mim, e nelas cabe o meu mundo, inteiro, sobretudo quando percebi que com elas cuidava, como ainda faço, dos meus e de todos quantos consigo amar. Tanto que eu produzo, todos os dias, tanto que faço acontecer e que toco, com estas mãos que são tão pequenas quanto é grande a minha capacidade de as preencher.

As mãos tocam, afagam, acariciam faces, corpos, cabelos. As mãos mostram, sem palavras, o quanto desejamos outra pessoa e até onde podemos ir. As mãos, as minhas, são o meu reflexo, são a minha marca.

Não gesticulo em demasia, controlo cada possível descontrole, gosto de passar, pelas mãos, a minha firmeza, mas também a minha capacidade de me manter pouco exposta, porque não tenho que ser "sonora" para me fazer ouvir. O que seria de mim, sem as mãos que me tranquilizam, quando mais ninguém está suficientemente perto? O meu corpo sabe do que falo, todo ele, a minha alma usa-as para que saibam o que sinto, como, quando e com quem.

Estou a olhá-las, como não me esqueço de fazer, todos os dias, porque são do formato, do tamanho e da determinação que me caracteriza. Com elas serei capaz de fazer nascer e de matar. Com elas uso o que aprendi para que possa mudar o meu mundo e o dos que conseguem fazer parte dele. Com as minhas mãos sei que te tocaria agora, da forma que certamente, precisarias para que tivesses a certeza de que nunca se movem em vão, e que a fazê-lo terá que ser no corpo certo, num outro para além do meu, e com elas sei que seria capaz de nos juntar.