3.1.18

Tu sabes porque é que eu te sinto desta forma!



Tu sabes porque é que eu te sinto desta forma e porque é que o meu progresso tem sido, TÃO grande, no que nos diz respeito! Tu sabes como te tornaste, já, tão importante para mim e como mudei cada hábito, para te incluir. Tu sabes que te sinto como a metade que me faltava e que o me dás não tem forma de ser reproduzido por palavras, nem sequer por mim. Tu sabes que agora, nada do que é meu e passa por mim, te deixa de lado.

Como podem as coisas mudar, num estalar de dedos e apenas pelo repisar de algumas palavras? Como podemos, nós, ter mudado o que sentíamos para nos incluirmos desta forma? Como é que encontrámos forma e formato em tudo isto?

Não, não são dúvidas, é quando muito espanto, uma surpresa perante a surpresa que representaste. Tanto que é assim, que todos os dias aprendo a gerir mais um pouco do que passaste a significar. Não são dúvidas e já nem sequer são medos, já passei essa barreira, já estou para lá de todos os arrepios que me passaste. Não são dúvidas, são expectativas já bem altas e desejos, muitos também. Não são dúvidas, é amor mesmo e até sei que é de ti para mim, tal como vai de mim para ti.

Tu sabes porque é que eu te sinto desta forma e porque o aceito, até porque às vezes pareces saber bem mais de mim do que eu mesma. Falem-me agora em previsibilidade, em gente desarrumada, sem destino ou destinatário, que eu refuto tudo. Falem-me dos que não sabem falar, sobre nada, deixando tudo em suspenso, que eu já consigo rebater que até poderão ser muitos, mas tu não és com toda a certeza e tu és quem me importa agora!