26.7.18

Corres, buscas e eventualmente encontras...

Chasing sunset through the rolling hills of Byron Bay ✨ Editorial with @augustethelabel on tuulavintage.com


Corres, procuras e eventualmente quando encontras passa a fazer sentido. Tudo o que tinhas planeado, desejado e perseguido, chega de forma tão natural, que sentes que não poderia ser de outra forma!

Podes e deves correr atrás do que te motiva. Buscas e não deves parar, porque quem desiste morre. Se procuras, eventualmente encontras, porque é disso que são feitas as tentativas. Claro que existe um tempo para se deixar ir o que não pode ficar. Claro que nem sempre se encontra o que se procura. Claro que correr, por vezes significa que apenas estamos a ir para o lado errado mais depressa. Mas é claro, também, que sem tentar nunca saberemos.

Interessante a forma como agora vejo o mundo e as pessoas e como percebo do que parecem não perceber elas. Quero porque sim e vou atrás do que me deixa feliz, sem desculpas, nem dúvidas convenientes. Interessante dar comigo, agora, a sentir pena dos que não conseguem saborear os mesmos prazeres dos que procuram respostas para as perguntas que ninguém responde, porque simplesmente não as desejam dar. Interessante ter este novo olhar sobre as relações e o que se espera delas, porque a realidade diz-nos que ou queremos e procuramos, fazendo por ter, ou arranjamos desculpas para fugir do que nos exigiria mais do que conseguimos dar.

O que podes dizer, de ti, e da tua felicidade, quando o que tanto alguns desejam, não lhes permite sequer sorrir? O que podes fazer pelos outros, quando percebes que aquele não é o caminho e que a manterem-no, apenas irão cavar mais fundo? Nada, ou muito pouco, porque terão que ser elas a querer.

Corres,  procuras e eventualmente encontras o lugar que te estava reservado. A sensação que passas a carregar, permite-te condescender com o resto do mundo, porque a ti, sobram-te os sorrisos que te preenchem a alma e é apenas disso que é feito o amor!